Segunda-feira , Maio 28 2018
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE /

Jornada azarada para Francisco Mora em Portimão

Terminou no passado fim-de-semana mais uma época do Campeonato Nacional de Velocidade/TCR, com o Autódromo Internacional do Algarve a receber igualmente a derradeira jornada da Taça TCR Ibérica. Com tudo decidido na primeira destas duas competições, restava encontrar o vencedor da disciplina em termos ibéricos.

Depois revalidar o título nacional na jornada anterior disputada em Braga, Francisco Mora chegava ao Algarve com objectivos concretos de vencer também a taça ibérica, competição que liderava à entrada desta derradeira ronda.

Esta foi uma jornada composta por quatro corridas, duas no sábado e duas no Domingo. As duas sessões de qualificação para determinar as posições de partida para as primeiras corridas de Sábado e de Domingo, foram positivas para Francisco Mora, que ao volante de um SEAT Leon TCR, garantiu a segunda e terceira posições das respectivas grelhas de partida. A ordem de partida para a segunda corrida de cada dia teria por base a classificação final da primeira corrida.

Infelizmente as coisas não correram de feição ao jovem piloto nortenho, que ficou pelo caminho logo após a largada da corrida inaugural do programa, após o seu carro ter sido tocado por um adversário que provocou um embate violento com o muro do final das boxes, isto ainda antes da travagem para a primeira curva do circuito.

Os danos sofridos pelo SEAT foram extensos e impossíveis de reparar no local, o que provocou o final antecipado do fim-de-semana para Francisco Mora, impossibilitado desta forma de lutar pelo triunfo na Taça TCR Ibérica, competição que liderava à entrada desta decisiva jornada.

“Depois de um ano quase perfeito, saio triste do Algarve porque não pude atingir o último objectivo do ano. Foi pena o acidente logo na primeira corrida que me deixou fora de prova para o resto do fim-de-semana. O carro ficou muito afectado e se a equipa tinha os meios e material para substituir as peças danificadas, inclusive trocar o motor, detectaram-se danos ao nível do chassi e isso determinou o baixar dos braços. Podíamos colocar o carro na grelha, mas nunca conseguiríamos ter um carro em condições de lutar pelos objectivos, face a uma concorrência que, – a exemplo do que se mostrou ao longo do ano -, está muito forte.” Começou por dizer Francisco Mora.

“No entanto este ano foi fantástico e não é este fim-de-semana que vai estragar tudo o que fizemos ao longo da época. Com sete vitórias fui o piloto que mais provas conseguiu ganhar e nas 10 corridas disputadas até esta jornada, tenho dez pódios e isso é espectacular. Tenho de agradecer a todos os que me apoiaram, aos meus pais e à VLB por acreditar em mim. Uma palavra ainda para a Veloso Motorsport, equipa de grande nível, que me colocou sempre à disposição um carro em fantásticas condições.” Disse a finalizar.

 

Foto | Nuno Organista

 

Scroll To Top