Segunda-feira , Outubro 23 2017
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Garnde espectaculo no arranque da velocidade nacional
Garnde espectaculo no arranque da velocidade nacional

Garnde espectaculo no arranque da velocidade nacional

Circuito Vasco Sameiro, em Braga, foi o palco da abertura do Campeonato Nacional de Velocidade Turismos (CNVT), prova que marca o início de um novo ciclo na velocidade nacional.

O Nacional de Velocidade passa assim a ser disputado com viaturas de Turismo, que se regem pelas regras do TCR Internacional, o que permite que qualquer equipa que esteja empenhada no CNVT, pode participar em qualquer outro campeonato, nacional, ou internacional, que seja regido por estas mesmas regras.  Além disso, estamos perante um regulamento que visa o equilíbrio de andamentos e o controlo de custos de participação.

A jornada bracarense foi constituída por provas duplas de Legends Classic Cup (LCC), Campeonato Nacional de Clássicos (CNC), Campeonato Nacional de Clássicos 1300 (CNC 1300), Challenge Desafio Único FEUP e, claro as quatro corridas do CNVT, que deram grande espectáculo .

Francisco Mora (Seat Leon TCR) não aproveitou a pole position. Partiu mal e Francisco Carvalho (Seat Leon Cup Racer) levou a melhor e colocou-se na frente.

José Rodrigues (Honda Civic) discutiu a segunda posição, mas no final da primeira volta, Mora tinha o segundo posto na mão.

Rafael Lobato (Seat Leon Cup Racer) passa a pressionar José Rodrigues, discute-se a terceira posição.

Na frente Mora tem igual procedimento para com Francisco Carvalho. Discutem o primeiro posto e Mora leva a melhor neste duelo.

Manuel Gião (VW Golf GTI TCR) aproxima-se de José Rodrigues, que entretanto já tinha perdido o terceiro lugar para Rafael Lobato. Gião continua a pressionar e consegue os seus intentos à quinta volta.

José Correia é penalizado com um “drive-thru”, devido a ter comunicado tardiamente uma troca de pilotos,

Com a meta quase à vista, acontece o golpe de teatro. O Seat sobreaquece, com um problema de radiador e a box é o destino.

Francisco Carvalho herda a primeira posição, mas não pode descansar. Rafael Lobato está muito rápido neste final de corrida e acaba por cortar a meta a meio segundo do líder.

Manuel Gião encerra o trio da frente.

José Rodrigues leva o Honda Civic ao quarto posto, António Cabral (Seat Leon Cup racer) é quinto, à frente do primeiro dos TCC: Tiago Ribeiro (VW Golf). José Correia é sétimo à geral, segundo nos TCC.

carvalho batista Francisco Carvalho (Seat Leon Cup Racer)

Dizem os vencedores

Francisco Mora

“Foi uma boa corrida. Tivemos um pequeno problema no arranque, porque o carro foi abaixo. Depois correu bem, éramos os mais rápidos em pista. Tive um pequeno toque com o Honda numa altura em que eu estava mais rápido e na minha opinião foi um toque de corrida. São situações que acontecem, são corridas, é normal, ontem fui eu…”

“Sabia que ia ser difícil mas eu sabia também que tinha o carro mais rápido e já ontem na primeira corrida tivemos um azar. Sabíamos que hoje estávamos fortes e foi o que aconteceu, felizmente recuperei e consegui ultrapassar, não perdi muito tempo atrás dos outros carros e foi esse o segredo.”

IMG 0980

Francisco Carvalho

“Acabei a corrida com um problema de caixa de velocidades, deve ser um problema de óleo que aqueceu e a caixa não passava no momento exacto. Depois no final da corrida já não tinha mais quarta, na última volta, deixei tempo para a frente e quando cheguei à meta consegui cortar em primeiro.”

“Foi uma corrida no fim de semana que foi 100%. Estou satisfeito, a Veloso Motorsport portou-se bem. Esperamos ter uma caixa de velocidades nova para Vila Real, para poder fazer os treinos de igual com os TCRs verdadeiros e ganhar a corrida.”

IMG 1014

NunOrganistA 401 Francisco Carvalho e Nuno Batista (Seat Leon Cup Racer)

NunOrganistA 160  José Rodrigues (Honda Civic)

cnvt partida2

 

CNC

2ª corrida

A prova não começou bem para Joaquim Jorge, o acelerador do Ford Escort colava na volta de lançamento, JJ seguiu para as boxes e acabou por partir em último.

Rui Costa (Ford Escort) arrancou bem e colocou-se na frente e começou a ganhar distância para o segundo, que era Rui Alves (Ford Escort), Rui Azevedo (Ford Escort) vinha logo, atrás, na terceira posição.

Joaquim Jorge era o piloto mais rápido em pista e recuperava posição, após posição. À quarta volta, era já o quarto classificado.

O quinto posto era discutido entre o líder dos H71, Sérgio Soares (BMW 2002) e Domingos Coutinho (Lotus Elan) também ele nos H71, mas nos 1600. Aparentemente repete-se a luta de Sábado.

O terceiro posto de Rui Azevedo está sob ataque de Joaquim Jorge e à 12ª volta cede. JJ parte em busca do segundo. Rui Alves acaba também por cair uma posição, Jorge é agora o segundo classificado final, logo atrás de Rui Costa, vencedor à geral e primeiro nos H75.

Nas quatro primeiras posições terminam os homens dos Escorts H75, respectivamente Rui Costa, Joaquim Jorge, Rui Alves e Rui Azevedo.

Sérgio Soares levou a melhor na luta pelos H71, sobre Filipe Matias, o primeiro H71 1600. Jorge Cruz (BMW 323i) foi o melhor H81, seguido de perto pelo VW Sirocco (H81 1600) de Fernando Xavier. Logo de seguida termina Paulo Sousa (Saab Sonet), vencedor do Grupo 5. Pedro Serrador (BMW 323i) venceu o Grupo 1.

Por fim os H65, cuja vitória foi para Luís Sousa Ribeiro (Ford Cortina Lotus).

NunOrganistA 109 Rui Costa (Ford Escort)

 

LCC

2ª corrida

João Novo (Ford Sierra RS Cosworth) arrancou na frente e por lá foi ficando. Herculano Antas (BMW M3) colocava-se na segunda posição e mais atrás vinha Edgar Florindo (Toyota Carina E).

João Sousa (Peugeot 306 GTI) colocava-se  no quarto posto e liderava um grupo animado. Entretanto o safty-car  teve que entrar em pista, pois era necessário rebocar o BMW de Hugo Guimarães e o pelotão volta a compactar-se.

Retomada a prova, restabelece-se a ordem natural de há pouco. João Novo a ganhar distância, Herculano Antas em segundo, Edgar Florindo terceiro.

O quarto posto era bastante mais discutido e neste grupo residia o foco de atenção da corrida. Alexandre Nogueira (Honda Integra Type-R)

Luís Barros não alinhou devido a problemas eléctricos no Mercedes Klass C DTM.

João Novo cortava a meta em primeiro e seguia para a vitória nos LCC90.

Herculano Antas, na segunda posição da geral, vencia entre os LCC99

Ricardo Dinis (Honda EMI-EJ6) ganhava a categoria Especial e trazia logo atrás Paulo Mendes  (Citroen AX Sport), que era o vencedor dos LCC99 1300.

Por fim, o vencedor dos LCC90 1300, Luís Império (Citroen AX Sport).

jnovo João Novo (Ford Sierra RS Cosworth)

CNC 1300

Início de prova muito animado, com a primeira posição a ser discutida numa espécie de “guerra sem quartel”, em que Paulo Antunes (Datsun 1200 Coupê) levava a melhor sobre Pedro Miguel Gaspar (Datsun 1200 Coupê). Depois as posições começam a definir-se e Antunes destaca-se.

José Fafiães (Datsun 1200) é o terceiro, que se afirma como o piloto mais rápido em pista, roda em 1m 33,284s e assina a melhor volta.

Arnaldo Marques (Datsun 1200) fica pelo caminho com problemas mecânicos.

Paulo Antunes segue para a vitória à geral e entre os H75.

Pedro Miguel Gaspar é segundo e ganha os H71.

Nuno Soares (Datsun 1200) é terceiro, à frente de Fernando Charais (Datsun 120Y).

Manuel Fernandes (Ford Escort 1300) é o quinto classificado, à frente de José Mota Freitas (Austin Cooper S).

Rui Castro (Datsun 1200) ganhou o Grupo 1, terminou na sétima posição.

antunes Paulo Antunes (Datsun 1200 Coupê)

FEUP

Luís Delgado (Alfa Romeo 156) venceu a prova, que mais uma vez foi marcada pela presença do safety-car, motivada pela saída de Mário Moreira (Alfa Romeo 156).

Delgado dominou no início e depois, retomada a prova, voltou arrepetir a graça. No final tinha uma vantagem de cinco segundos sobre o seu principal adversário, António Ferreira (Alfa Romeo 156).

Hélder Moura (Alfa Romeo 156) terminou na restante posição do pódium, a terceira, à frente de Rui Gonçalo (Alf Romeo 156).

Nos FEUP 2 a animação foi bem maior e Diogo Gonçalves (Fiat Punto) teve que suar para ser sétimo da geral e assim ganhar entre os Fiat Punto. A vantagem para o segundo classificado foi de nove décimas.

Assim, Paulo Varge (Fiat Punto) terminou no segundo posto, com uma vantagem de oito décimas de segundo sobre Manuel Sousa (Fiat Punto).

NunOrganistA 12 Luís Delgado e Raúl Delgado (Alfa Romeo 156)

NunOrganistA 151 Ruben Martins e Álvaro Pinto (Fiat Punto)

 

Scroll To Top