Sábado , Novembro 18 2017
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / A CITROËN À CONQUISTA DE UM 16º TÍTULO MUNDIAL
A CITROËN À CONQUISTA DE UM 16º TÍTULO MUNDIAL

A CITROËN À CONQUISTA DE UM 16º TÍTULO MUNDIAL

Como em 2014 e 2015, a equipa Citroën Total tem encontro marcado com a História em Xangai! Com efeito, faltam apenas dois pontos para que a Citroën conquiste um terceiro título consecutivo no Campeonato do Mundo de Construtores FIA WTCC. Do lado dos Pilotos, o interesse recai no lugar de delfim de José María López, sendo que Yvan Muller é o atual 2º classificado (em ex-aequo) e vai bater-se para que os Citroën C-Elysée WTCC alcancem uma dobradinha.

 

 

Desde 1993 que a história desportiva da Citroën se vê sublinhada por títulos mundiais FIA, nada menos do que 15: 5 Taças do Mundo de Rallye-Raid (entre 1993 e 1997), 8 Campeonatos do Mundo de Ralis (de 2003 a 2005 e 2008 a 2012) e 2 Campeonatos do Mundo de Carros de Turismo (em 2014 e 2015).

 

Naquela que é a sua terceira e última temporada nos circuitos mundiais, a Citroën Racing não pode, assim, ter outra ambição do que manter seus esses títulos. Do lado dos Pilotos, o objetivo foi já atingido após a jornada de Motegi (Japão), circuito onde José María López garantiu uma terceira coroa consecutiva*. No que diz respeito à classificação dos Construtores, a Citroën está a dois meros pontos de alcançar inêntico feito e conquistar aquele que será o seu 16º título, num período de 23 anos. Dentro da mais elementar lógica, o ambiente no interior das boxes da Citroën Total deverá ser de grande festa, no Sábado à tarde, logo após às Qualificações.

 

Mas a equipa não tem poir hábito dormir sobre os louros conquistados, pelo que conta assinar na China uma prestação à altura da sua reputação, aquele que é o primeiro mercado mundial da Citroën. Recorde-se que nos dois últimos anos foi também no Shanghai International Circuit que a Marca francesa garantiu os seus títulos mundiais. Aliás, a edição de 2014 continua ainda na memória de todos, já que a Citroën Racing colocou os seus quatro carros oficiais nos quatro primeiros lugares, com José María López, Ma Qing Hua, Yvan Muller e Sébastien Loeb!

 

No campeonato deste ano há outros importante desafio a conquistar, referente ao lugar de Vice-Campeão de Pilotos. Depois da sua vitória no Japão, Yvan Muller ocupa o 2º lugar no WTCC, em igualdade pontual com Tiago Monteiro (199 pontos). Na sua esteira, os dois rivais têm ainda que vigiar Rob Huff (178 pontos) e Norbert Michelisz (172 pontos).

Um objectivo que se apresenta bem mais difícil para Mehdi Bennani (160 pontos), Nick Catsburg (145 pontos) e Tom Chilton (143 pontos), sensivelmente mais distanciados. Dispondo de Citroën C-Elysée WTCC preparados pela equipa SLR, Bennani e Chilton são, por outro lado, adversários na luta pelo WTCC Trophy, reservado aos pilotos privados.

 

Com duas jornadas e quatro corridas ainda por disputar na presente temporada, estão em jogo nada menos do que 110 pontos, pelo que a luta entre todos promete ser intensa até à jornada do Qatar. Quádruplo Campeão do Mundo da disciplina, Yvan Muller está bem decidido a utilizar toda a sua experiência de competição para conservar essa sua atual posição!

 

Uma vez mais, o ajuste dos pesos de compensação deverá ter um papel importante na disposição da hierarquia: os Citroën C-Elysée WTCC levam, de novo, o lastro máximo de 80 kg, enquanto os Honda desceram para 60 kg. Os Volvo, Chevrolet e Lada deverão, por seu lado, estar isentos de qualquer handicap.

 

O QUE ELES DISSERAM…

 

José María López (Citroën C-Elysée WTCC No. 37): «Mesmo se já atingi o meu objetivo em Motegi, não estou menos motivado para a restante temporada! Em primeiro lugar, temos que assegurar o título nos Construtores. Depois, tudo farei para ajudar o Yvan a conseguir o lugar de Vice-Campeão, que é muito importante aos olhos da equipa. Finalmente, porque tenho que fechar este capítulo da minha carreira com uma nota positiva. Quero aproveitar ao máximo os dois últimos encontros. No que diz respeito a Xangai, é um local de que gosto muito. É sempre agradável evoluir em pistas de F1 e o traçado é muito interessante. Há muitas variedades e oportunidades para as ultrapassagens. Fiz as ‘pole-positions’ e ganhei as corridas em 2014 e 2015, por isso espero fazer o mesmo este ano!»

 

Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC No. 68): «Tenho que conquistar o 2º lugar do Campeonato do Mundo, pela Citroën e por toda a equipa. No passado, tive altos e baixos na China e no Qatar mas, mesmo assim, penso que estaremos em vantagem. A luta promete ser dura pois os nossos adversarios progrediram imenso nesta temporada. Por outro lado, a nossa viatura continua a ser mais pesada e é preciso estar de olho em toda a gente, em especial nos construtores que não têm nenhum lastro neste fim-de-semana. Acho o circuito de Xangai muito interessante. Gosto imenso do seu perfil rápido e a sua longa reta está feita à medida dos Citroën C-Elysée WTCC.»

 

(*) Todos os resultados estão sugeitos à confirmação oficial da FIA.

(**) Horas locais, mais 7 horas do que em Portugal

 

Scroll To Top