Domingo , Agosto 19 2018
ÚLTIMAS
Home / RALI / ANTÓNIO RAMOS/IVO TAVARES, SAGRAM-SE CAMPEÕES NO VIDREIRO HISTÓRICO
ANTÓNIO RAMOS/IVO TAVARES, SAGRAM-SE CAMPEÕES NO VIDREIRO HISTÓRICO

ANTÓNIO RAMOS/IVO TAVARES, SAGRAM-SE CAMPEÕES NO VIDREIRO HISTÓRICO

Com a vitória no II Rally Vidreiro Histórico a dupla António Ramos/Ivo Tavares em VW Golf GTI MKI, sagrou-se nos primeiros campeões nacionais de ralis de regularidade histórica. A prova organizada pelos homens do Clube Automóvel da Marinha Grande, encerrou este primeiro campeonato nacional que teve como promotor o Classic Clube de Portugal.

Esta última prova tinha quatro equipas com possibilidade de vencer o campeonato, sendo por isso encarado como uma autêntica final. Para além dos vencedores aspiravam ao título, Ana Valente/Magda Ferreira, Paulo Marques/João Martins e ainda os ausentes João Mexia/Nuno Machado.

Com 16 provas de classificação a prova partiu para a estrada desde a Marinha Grande, fazendo uma paragem em Figueiró dos Vinhos onde começou a segunda secção.

A meio da etapa da manhã eram os locais Gonçalo Figueiroa/João Marques a comandar, mas já durante a tarde o BMW recusou-se a continuar. Paulo Marques/João Martins e António Ramos/Ivo Tavares mantinham-se no TOP 5, enquanto Ana Valente /Magda Ferreira não estavam tão acertadas.

No final da primeira etapa, já a dupla Ramos/Tavares aparecia no comando, posição que não largaria até ao final. A equipa Rui Pereira/Filipe Menezes ascenderam ao segundo lugar posição que também não largariam até ao final. Em terceiro a dupla Rodrigo Teixeira/Joana Valença espreitavam uma boa classificação.

A segunda etapa foi marcada por alguns problemas que marcaram a classificação, onde se descarta a equipa Ana Valente Magda Ferreira que, depois de uma remontada espetacular, partiam para a última especial já em terceiro lugar, mas um problema mecânico fez com que se arrastassem até final caindo significativamente na classificação.

Assim o podium ficou composto por, 1º António Ramos/Ivo Tavares, 2º Rui Pereira/Filipe Menezes e 3º Paulo Marques/João Martins.

Acaba assim um campeonato marcado pelo desportivismo, competitividade e transparência, esperando-se que para 2016, haja vontade da FPAK em manter este campeonato dentro do modelo que este provou poder continuar a ter sucesso.

Fonte: Classic Press Center

Foto: Jose Ribeiro

 

Scroll To Top