Quinta-feira , Setembro 21 2017
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / As contas finais da Falperra
As contas finais da Falperra

As contas finais da Falperra

Categoria 1
António Nogueira (Porsche 911 GT3) dominou a Categoria 1. Foi o melhor GT e inclusive adicionou este resultado em termos de Campeonato da Europa de Montanha. O computo das duas subidas cifrou-se me 4m28,723 segundos, com uma vantagem de 34,5 segundos sobre o seu principal adversário, Manuel Correia (Skoda Fábia S2000). Mas este segundo posto foi uma espécie de regateio de décimas de segundo, pois Martine Pereira (Alfa-Romeo 165) estava apostado em não facilitar e a diferença de 77 centésimas é disso espelho.

Categoria 2
Rui Ramalho (Juno CN09) venceu a categoria e dessa forma arrumou a seu favor a questão do melhor tempo na geral do Nacional de Montanha. Bernardo Sá Nogueira (Silver Car S2) foi segundo, com mais 7,9 segundos do que o líder que tinha somado 4m 27,793s. Carlos Torres (Norma M20 FC) pressionou Sá Nogueira e o segundo lugar só lhe escapou por 34 escassas décimas de segundo. O vencedor da primeira prova, Pedro Castañon, depois de ter ficado parado na subida de abertura e ver a segunda subida anulada (ver resumo de Sábado), terminou na sexta posição.

Categoria 3
Tiago Reis (Ford Fiesta RS) parece que desta quebrou o “enguiço” que o tem perseguido, desde os testes até à prova de abertura, a Rampa da Penha. Venceu com margem confortável a categoria, conseguindo uma vantagem de 13,379 segundos sobre Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer Evo VI). Edgar Reis (Renault Clio RS 2000) conquistou o terceiro lugar do pódium.

Categoria 4
Joaquim Santos trouxe o Ford Focus RS de Ralicross até à rampa da Falperra. Apesar de sentir alguma inadequação do carro ao traçado, os mais de 600 cavalos empurraram-no com o tempo de 5m 09,768s, ou seja, uma vantagem de 13,6 segundos sobre o outro carro do Bompiso Racing Team (Ford Fiesta RS), tripulado por António Teixeira.

Categoria 5
A luta pelas duas primeira posições da categoria dedicada aos automóveis de ex-troféu, pareceu copiada da Rampa da Penha, primeira prova do CNV. Joaquim Teixeira (Seat Leon Supercopa), ganhou 14 segundos a Luís Silva (Mitsubishi Lancer Evo VI). Daí para baixo tudo foi muito disputado, com diferenças mínimas a separarem Hugo Araújo (Caterham Super Seven), de Paulo Silva (Seat Leon Supercopa). José Correia (Seat Leon) foi o quinto classificado.

Categoria 6
Nos clássicos assistimos à vitória de José Silvino Pires (Ford Escort RS 1800), que simultaneamente foi o vencedor do Grupo 5. Hélder Silva (BMW 323i) voltou a impressionar pelo andamento evidenciado, mas terminou a 3,6 segundos e simultaneamente é o vencedor no Grupo 2. O grupo dos três da frente era encerrado por José Pedro Gomes (Ford Escort RS 2000), que simultaneamente é segundo classificado no grupo 2. Rui setas impôs o Renault 5 Turbo no Grupo A.

 

Scroll To Top