Segunda-feira , Julho 16 2018
ÚLTIMAS
Home / RALI / C3 R5 “APROVADO” TAMBÉM EM PISOS DE TERRA
C3 R5 “APROVADO” TAMBÉM EM PISOS DE TERRA

C3 R5 “APROVADO” TAMBÉM EM PISOS DE TERRA

Stéphane Lefebvre e Gabin Moreau lideraram o Rally de Portugal ao longo de 8 das 20 Especiais disputadas no passado fim de semana, tendo mesmo registado o melhor tempo numa Especial, demonstrando que o C3 R5 tem potencial para ser uma referência sobre pisos de terra. No final, o 3º lugar à geral na categoria WRC2, naquela que foi a prova de estreia do modelo neste tipo de piso,  não esconde que a dupla esteve muito perto de um resultado ainda melhor…

 

Tendo em conta que os pisos de terra dominam os ralis que compõem o calendário do WRC, esta prova era muito importante para a Citroën em termos da sua estratégia de Competição Cliente. A Marca francesa tem, portanto, todas as razões para estar satisfeita no final deste rali, em que o C3 R5 – a nova estrela da sua gama – protagonizou uma estreia de sucesso nas difíceis estradas do Rally de Portugal que fez muitas vítimas ao longo do passado fim de semana.

Tendo vencido a primeira Especial a sério (a ES2, com 26,73 km de extensão), Stéphane Lefebvre, piloto oficial da Citroën Racing, confirmou ao que vinha, terminando a ronda da manhã de sexta-feira na liderança da classe WRC2, com uma vantagem de 27,5 segundos sobre os seus adversários mais diretos. Porém, de tarde as coisas ficaram mais difíceis, nomeadamente com o furo na ES5 que resultou em danos num tubo dos travões, que se viria a manifestar na Especial seguinte, levando o talentoso francês a cair para o 3º posto da categoria.

Contudo, Lefebre não baixou os braços e a sua persistência foi recompensada quando recuperou o comando da prova na primeira Especial do segundo dia, aumentando a sua vantagem sobre o segundo classificado até aos 49,4 segundos, ao final das passagens matinais do dia de sábado. Mas outro furo na ES14 teve consequências pesadas, bloqueando a roda, levando a que a transmissão acabasse por ceder em Amarante, a Especial mais longa do rali (37,60 km). Stéphane Lefebvre demonstrou, de novo, uma enorme força e habilidade para segurar o 3º lugar do WRC2, conseguindo terminar o rali em grande estilo.

Determinado a não desistir, o francês de 26 anos recuperou, durante a etapa de domingo, 31,3s face ao 2º classificado da categoria, ao longo da distância cronometrada de 51,53 km deste último dia, terminando a apenas 17 segundos do 2º posto.

Tudo isto deixa bem claro que Stéphane Lefebvre já criou uma forte – e eficaz – ligação com o C3 R5!

 

O QUE ELES DISSERAM…

Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing

“Como é óbvio, estávamos a contar com um desfecho bem melhor em termos de resultado porque fomos suficientemente rápidos para conseguir chegar mais longe. Mas existem várias razões para estarmos satisfeitos, principalmente devido à fiabilidade do carro, que não teve quaisquer problemas técnicos nesta sua estreia em terra. O Stéphane conseguiu vencer uma Especial e esteve no comando da categoria ao longo de várias Especiais, pelo que isto demonstra que o C3 R5 também foi bem concebido para este tipo de pisos. Estou muito satisfeito com a forma como o Stéphane geriu o seu rali, numa performance consistente e madura, pelo que agora vamos continuar a trabalhar mais no sentido de melhorar a afinação do carro.”

Stéphane Lefebvre

“Esta edição do Rally de Portugal foi especialmente difícil, principalmente nas passagens da tarde de sexta-feira, mas o C3 R5 teve um comportamento muito bom na sua estreia neste tipo de piso. Era muito importante acumular quilómetros nesta nossa primeira prova, pelo que não corremos riscos desnecessários. Infelizmente acabámos por sofrer dois furos, sem os quais teríamos conseguido um resultado ainda melhor. Mas o potencial está todo aí e isso é um bom presságio para o futuro, com a já planeada afinação em termos de ‘set-up’.”

 

Scroll To Top