Domingo , Julho 22 2018
ÚLTIMAS
Home / RALLYCROSS / CNRX Solidário
CNRX Solidário

CNRX Solidário

 

Eram 15.00 horas de Domingo em Mação, quando durante um minuto buzinas e sirenes dos bombeiros soaram. Dessa forma os participantes e organização lançaram um grito contra o terrorismo e manifestaram os seu repúdio pelos actos de barbárie prerpetrados. Em Nice, um camião foi usado como arma, em Mação dezenas de camiões foram usados como instrumento de apoio às vítimas.

Foi impressionante minuto que se viveu na pista da Boavista.

Do ponto de vista desportiva, as coisas não foram menos impressionantes. Corridas discutidas taco-a-taco, emoção a rodos, com alguma chapa amolgada pelo caminho, foram os condimentos de um fim de semana quente, dentro e fora da pista, que o Clube Automóvel de Mação organizou.

Finais

Kartcross

Pedro Rosário (Semog Bravo ER) puxou dos galões de campeão. Partiu na frente e geriu a corrida que lhe viria a dar a vitória.

Contado desta forma parece fácil, mas de todo o foi. Luís Almeida (Semog Bravo 600) foi um duro adversário, tentando furar por todos os meios. Mas entretanto Luís Caseiro (ASK 600) colava-se à traseira do Semog e Almeida tinha que fechar a porta. Desta forma Rosário ganhava uma ligeira vantagem.

Jorge Gonzaga (ASK 600) entrava também neste grupo e colocava-se no quarto posto, desde cedo. Os quatro da frente rodavam colados e tal como aconteceu durante todo o fim-de-semana, cada décima era importante.

Jorge Francisco (Semog Bravo SE) seria o quinto a cortar a meta, de pois de grande pressão por parte de José Luís Pereira (AG Sport). A diferença entre ambos seria de duas décimas de segundo.

Este era o grupo dos seis da frente. No lado diametralmente oposto da classificação acabava Mário Rato (Semog), que fazia um pião à entrada da recta da meta e ficava de frente para o talude que limita a pista. A prova terminava aí, ainda na primeira volta.

macao katcross domingo Pedro Rosário (Semog Bravo)

Super Buggy

Ludgero Marques (Toniauto TNTT) de novo partiu na frente e assumiu o comando.

António Estevâo (Bombardier Maverich) falahava a partida e baixava de imediato para último.

Na frente estava, de pedra e cal, Ludgero Santos e Paulo Godinho (PGRacing) rodava bem perto.

Na segunda metade da corrida Ludgero fazia valer o ditado que diz que “candeia que vai à frente alumia duas vezes” e ganhava uns confortáveis 6,7s de vantagem.

Manuel Guerreiro (Atmos Strong) foi terceiro a cortar a meta, à frente, com 15 segundos de vantagem, de Nuno Neto (Toniauto TT).

Arménio Rodrigues (Atmos Strong) era o quinto a cortar a meta, à frente de António Estevão, que ainda recuperava dois lugares, depois de ter falhado a partida.

Miguel Ferreira (Luna Sport) e Bruno Branco (Atmos Strong), completavam respectivamente a classificação final.

macao ludgero domingp Ludgero Santos (Toniauto TNTT)

Super Car

Dani Moreau (Renault Clio) dominou a final. Arrancou, bem, colocou-se na dianteira e geriu a corrida.

Mais para trás as coisas não foram tão fáceis. Joaquim Santos deu um ar da sua graça, mas logo ao terminar a primeira volta, ficava claro que algo não estava bem no Ford Focus e seguia para o parque fechado.

Vitor Lopes (BMW 325 Ix) poderia lucrar com a desistência de Santos, mas um pião deitou tudo a perder. Acabaria na quarta posição final.

A liderança pela categoria 2 fica a ser discutida por Daniel Costa (Citroen Saxo Bi-motor) e Ademar Pereira (BMW 325 Ix). Na contenda o homem do Citroen verde leva a melhor, é segundo e vence a categoria, mais uma vez.

macao moreau Dani Moreau (Reanult Clio) macao super4wd Daniel Oliveira (Citroen Saxo Bi-motor)

Super 1600

Bruno Gonçalves (Citroen Saxo S1600) partiu na frente e fez uma gestão de corrida irrepreensível, em que nem mesmo a ida à joker-lap o impediu de manter a liderança.

Para trás ficavam todos os outros a discutirem os restantes lugares.

Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600) levava a melhor, numa guerra sem quartel que teve com Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600) e com José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600). Machado seria o segundo a receber a bandeirada, à frente do conterrâneo Hélder Ribeiro.

José Eduardo Rodrigues cortava a meta em quarto, à frente de Mário Teixeira, cujo Ford Fiesta apresentava ainda algumas mazelas do capotanço de Sábado.

Ricardo Soares (Citroen Saxo S1600) lutava pelos lugares de frente, mas a direcção do carro francês pregava-lhe uma partida e Soares ficava pelo caminho ainda na primeira volta.

macao s1600 bruno helder Bruno Gonçalves (Citroen Saxo S1600), Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600)

Super Nacional

Luís Moreira (BMW 325i) foi o mais rápido na partida. Celmo Guicho (Renault Clio) era segundo e seguiu logo para a Joker Lap, o que com o passar das voltas provou ser a estratégia correcta.

Luís Moreira andava na frente a dar espectáculo com o BMW de tracção traseira, mas quando foi à joker, viu a liderança escapar-se-lhe entre os dedos. Celmo estava na frente e era em primeiro que ia terminar a corrida.

Luís Moreira seguiu para segundo, à frente de José Eduardo Queirós (Ford Escort RS2000). Sérgio Dias (Citroen Saxo) lutou para terminar um pouco mais à frente, mas ao baixar da bandeira xadrez, faltava-lhe um segundo e meio.

Arlindo Martins (Peugeot 306) foi quinto, à frente de Nuno Araújo (Peugeot 106). Sétimo e oitavo lugares, respectivamente para Daniel Leal (Citroen Saxo).

macao celmo dom Celmo Guicho (Renault Clio)

Super iniciação

Santinho Mendes (Peugeot 205) arrancou bem e desde o primeiro metro que passou a liderar a corrida.

Leandro Macedo (VW Polo) partiu como uma bala, furou pelo meio de todos, mas não conseguiu evitar o toque no Peugeot 106 de Rafael Rocha. Seguia para a Joker Lap.

De seguia era vez de Santinho fazer o percurso mais longo e quando regressava mantinha-se na frente do piloto de Alijó.

Na segunda metade da corrida o motor do Polo entregou a alma ao criador. Muito fumo, o carro não andava e Macedo “morreu na praia”, com a meta à vista.

João Fonte Novo (Peugeot 106) ficava assim com caminho aberto para recuperar o segundo posto, à frente de Lucas Simões (Peugeot 106). Macedo ainda foi quarto.

macao santinho domingo Santinho Mendes (Peugeot 205)

Corridas de Qualificação

Super Iniciação

Santinho Mendes (Peugeot 205) fez o pleno nas quatro corridas de qualificação. Venceu, pôde-se dar ao luxo de controlar o andamento e nem mesmo problemas mecânicos sentidos na tarde de sábado o impediram de ganhar.

Rafael Rocha (Peugeot 106) foi a principal opositor ao piloto de Abrantes. Em Mação faz quatro segundos lugares, que o colocam em igual posição nas contas da qualificação.

João Fonte Novo (Peugeot 106) teve um desempenho semelhante, mas na terceira posição e como tal, vai partir de terceiro na corrida final, que define a classificação da prova.

Leandro Macedo (VW Polo) esteve em dia “não”. Problemas de transmissão no sábado e um toque no domingo não lhe permitiram melhor do que o quarto lugar final e isso só aconteceu, porque conseguiu ser terceiro na primeira corrida de qualificação do fim-de-semana.

Lucas Simões (Peugeot 106) fez o quinto posto nas contas finais da qualificação da categoria.

Super Nacional

Celmo Guicho (Renault Clio) foi o homem do dia, nas qualificações da Super Nacional. Dois primeiros lugares e um segundo, foram a fórmula encontrada para a pole-position que vai ter na final.

Luís Moreira (BMW 325 Ix) foi o outro vencedor das qualificações. Ganhou por duas vezes, foi também segundo, mas o factor de desempate (o melhor resultado “deitado fora”) foi favorável a Celmo Guicho.

José Eduardo Queirós (Ford Escort RS2000) foi outro dos homens em foco. Somou 14 pontos, dos dois terceiros e um segundo posto, que lhe vão dar a terceira posição da grelha de partida da final.

Nuno Araújo (Peugeot 106) vai partir de quarto, somou 21 pontos, menos três do que Arlindo Martins (Peugeot 306). Sérgio Dias (Citroen Saxo) encerra o grupo dos seis da frente.

Na classificação final seguem-se Carlos Leal (Citroen Saxo), João Oliveira (Peugeot 206), a melhor senhora, Patrícia Pereira (Renault Clio Williams) e Tiago Alexandre (Peugeot 306) que esteve em “dias não” e o melhor resultado, o melhor o único ao nível que nos habituou, foi um segundo na primeira corrida de Sábado.

Super 1600

Bruno Gonçalves (Citroen Saxo S1600) foi quem mais venceu. Fê-lo por três vezes e portanto vai partir da pole-position para a final.

Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600) ganhou a segunda corrida de qualificação, somou ainda um segundo e um terceiro e no fecho das contas é segundo, com menos um ponto do que Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600).

Da segunda linha da grelha de partida vai arrancar Ricardo Soares (Citroen Saxo S1600) que fechou as contas com um segundo posto, como melhor resultado.

Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600) deu algum trabalho à assistência, depois do capotanço de Sábado, mas o terceiro posto da primeira corrida, permitiu-lhe ser o quinto, à frente de José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600). João Ribeiro arrumou o Citroen Saxo S1600 no final da tarde de Sábado, depois de a caixa de velocidades ter “entregado a alma ao criador”.

Super Cars

Pela primeira vez um participante da Super Nacional 4 WD fecha as contas com vantagem sobre os Super Cars. Daniel Costa (Citroen Saxo Bi-motor) foi o homem das qualificações: uma vitória e dois segundos, permitem-lhe partir à frente de Dany Moreau (Renaul Clio Super Car), que após os azares de ontem, fechou as contas com duas vitórias.

Joaquim Santos (Ford Focus Super Car) teve uma prova atribulada e problemas de motor prejudicaram-lhe a derradeira corrida, vai ser terceiro na final, à frente de Ademar Pereira (BMW 325 Ix) e de Vitor Lopes (BMW 325 Ix).

Super Buggys

Nas duas primeiras corridas de qualificação ficou claro que Ludgero Santos (Toniauto TNTT) tinha assegurado a pole-position e portanto, na terceira nem teve que se esforçar muito e Nuno Neto (Toniauto TNTT) aproveitou para vencer e assim ser o segundo na classificação.

Paulo Godinho (PGRacing) somou dois terceiros e um segundo posto, que lhe dão o lugar restante na primeira linha da final.

António Estevão (Bombardier Maverich) somou quintos lugares e assim terminou a qualificação com o quarto posto.

Seguem-no Bruno Branco (Atmos Strong), Manuel Guerreiro (Atmos Strong), Miguel Ferreira (Luna Sport) e Arménio Rodrigues (Atmos Strong).

Kartcross

Luís Almeida (Semog Bravo 600) ganhou a quarta corrida de qualificação e dessa forma ganhou o bilhete para a pole-position da final.

Pedro Rosário tem um segundo e um terceiro lugares, como melhor resultados e fica em segundo após a qualificação.

Luís Caseiro (ASK EVO) tem um quarto posto, como melhor resultado, soma 16 pontos (mais dois do que Rosário) e ganha o terceiro lugar da grelha.

As corridas de qualificação foram discutidas ao décimo de segundo, tal como os treinos e isso explica que a regularidade tenha sido mais importante. Um bom exemplo disso é o facto que Jorge Francisco (Semog Bravo SE) com dois quintos lugares tenha sido o quarto classificado.

Jorge Gonzaga (ASK 600) venceu a segunda corrida, mas os resultados nas restantes, são um bom exemplo do escrito no parágrafo anterior. Gonzaga foi quinto.

Sergio Bandeira (Semog) completou o grupo dos seis da frente. Seguem-no, respectivamente, José Luís Pereira (AG Sport), Sérgio Castro (ASK 600), Artur Monteiro (AG Sport) e Nuno Bastos (ASK EVO), que como melhor resultado teve a vitória na primeira corrida de qualificação.

 

Scroll To Top