Terça-feira , Novembro 21 2017
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Corridas para todos os gostos no Estoril
Corridas para todos os gostos no Estoril

Corridas para todos os gostos no Estoril

As três competições das Super Racing Series encheram o Circuito do Estoril para um domingo com corridas muito emocionantes e bastante disputadas. Na Super 7 by Kia, Nuno Santos foi quem mais lucrou nesta jornada, enquanto César Machado dominou as Single Seater Series. Nos Classic Super Stock, houve despiques intensos em diversas categorias, mas foram os Ford Escort RS2000 que se superiorizaram com uma vitória para Rui Azevedo e outra para Gonçalo e Henrique Jordão.

Num domingo soalheiro, o programa das Super Racing Series começou bem cedo. Os primeiros carros entraram em pista às nove horas para uma manhã cheia de sessões de treinos livres e cronometrados. Durante a primeira parte desta jornada competitiva ainda houve corridas, mas a maioria dos confrontos aconteceram à tarde.

Super 7 by Kia

O Autódromo Fernanda Pires da Silva recebeu a segunda jornada da Super 7 by Kia, o único troféu monomarca organizado em Portugal. As duas primeiras corridas foram muito discutidas por Eduardo Leitão e David Saraiva que trocaram de posição por inúmeras vezes. Cada um venceu uma das contendas mas foi Eduardo Leitão que conquistou o máximo de pontos combinados das duas mangas porque obteve o melhor tempo nos treinos cronometrados. Nuno Santos fez a primeira corrida sem quarta velocidade no seu carro. Na segunda, foi a terceira que deixou de entrar. Mesmo assim, o piloto conseguiu ficar no terceiro lugar combinado. Na classe Business, o vencedor foi Luís Calheiros Ferreira.

Para Eduardo Leitão, o resultado foi muito positivo. “O cone de ar conta muito aqui no Estoril. A diferença na primeira corrida aconteceu na parabólica, onde estava mais rápido. Já esperava estar mais competitivo porque os problemas técnicos de Braga foram resolvidos”, explicou.

À tarde, e já com a caixa de velocidades trocada, Santos impôs-se de forma clara e ganhou as duas corridas. O pódio foi igual em ambos os confrontos. Gonçalo Lobo Vale tirou partido de um carro competitivo para ficar em segundo, enquanto Luís Lisboa  ficou no último lugar do pódio. José Kol de Almeida impôs-se na classe Business.

“Agradeço ao Luís Lisboa que me emprestou a caixa de velocidades para a terceira e para a quarta corridas. Demonstra bem o companheirismo e o bom ambiente que se vive neste troféu. Isso é o mais importante”, afirmou o vencedor das duas mangas da tarde.

Single Seater Series

Duas corridas e outras tantas vitórias para César Machado. O piloto que ocupa a segunda posição no campeonato esteve inalcançável e leva do Estoril, para além dos triunfos, a pole-position e as voltas mais rápidas em ambos os confrontos. Luciano Carvalho foi o segundo na primeira corrida à frente de Duarte Pires que obteve o primeiro pódio do ano. Na segunda corrida, Carvalho não conseguiu repetir o segundo posto. Este foi para Gonçalo Inácio que, apesar dos problemas na caixa de velocidades, deixou o piloto da Comval Racing em terceiro e só foi batido por Machado.

“Foi um fim-de-semana perfeito. Tive um carro impecável. Não podia fazer mais. Para o campeonato foi muito bom. Se o safety-car não entra na primeira corrida, talvez ainda ganhasse mais pontos ao Gonçalo Inácio, mas fiz o que me competia e estou muito satisfeito”, esclareceu César Machado.

O piloto do Mygale também foi o mais forte na categoria FZ, enquanto Fernando M. Gaspar subiu ao primeiro lugar do pódio das duas corridas em Supertuga. O seu pai, Fernando Gaspar, impôs-se em FK80 e em FK90, Vasco Sampaio conseguiu ser o melhor. António Mendonça triunfou em FK70.

Classic Super Stock

As corridas de Classic Super Stock voltaram a ser muito animadas. A diferença de competitividade das diversas categorias promoveu lutas interessantes apesar do domínio dos Ford Escort RS2000 em termos absolutos. Mesmo assim, houve vencedores diferentes nos dois confrontos. Rui Azevedo superiorizou-se à concorrência no primeiro, enquanto Gonçalo Jordão, que faz equipa com o seu irmão Henrique – segundo na primeira corrida –, bateu Azevedo no segundo por apenas 15 milésimas de segundo. O pódio ficou completo com Carlos Fernandes que foi terceiro em ambas as corridas.

Apesar do domínio na contenda inaugural, Rui Azevedo não sentiu que tenha tido um triunfo tranquilo. “Não foi tão fácil como pareceu. É difícil segurar a malta nova. Tenho quase idade para ser pai deles”, afirmou em jeito de brincadeira. Para o piloto da Trofa, foi necessário“forçar o andamento no início para tentar descolar” e só assim conseguiu terminar na frente.

Gonçalo Jordão não escondeu a satisfação pela vitória na segunda corrida. “Foi bastante difícil. Nunca pensei que fosse tão taco a taco. Tinha a noção que iria ser complicado ganhar ao Rui que tem muita experiência com o Escort. Mas acreditei sempre”, revelou.

Por categorias, Rui Azevedo e Henrique/Gonçalo Jordão partilharam os triunfos em E4. Carlos Fernandes foi sempre o melhor em E2 e Ricardo Pereira/Manuel Cabral Menezes impuseram-se em F3, apesar de alguns problemas de subviragem na primeira corrida e de caixa de velocidades no Datsun 260Z na segunda.

Em F4, Luís Sousa Ribeiro contou com um Jaguar E competente na primeira corrida e ganhou, mas no segundo confronto a vitória foi para Pedro Serrador. Em D4, Carlos Dias Pedro e Rafael Pinto foram os mais fortes em ambos os confrontos com o Volkswagen Golf GTI, mas só alcançaram tal feito porque a equipa trocou a junta da cabeça do motor entre os treinos e as corridas, ou seja, em apenas 1h30.

Símplicio Pinto e Marco Pinto colocaram o BMW 2002 TI na frente da classe E2 em ambas as oportunidades e a dupla J. Miguel Ribeiro/Miguel Ribeiro ganhou em D2. Em Invitation, Veloso Amaral foi o melhor com o Clan Crusader e em C3 os triunfos ficaram nas mãos de Veiga Lopes. Madalena Gaspar ganhou a primeira corrida em C2, mas na segunda Nelson Rêgo e Alexandre Leal foram mais fortes. Por fim, em C4 Pedro Balons colecionou duas vitórias.

 

Fonte: FPAK

 

Scroll To Top