Sábado , Dezembro 16 2017
ÚLTIMAS
Home / RALI / CRAIG BREEN MUITO PERTO DOS LUGARES DO PÓDIO
CRAIG BREEN MUITO PERTO DOS LUGARES DO PÓDIO

CRAIG BREEN MUITO PERTO DOS LUGARES DO PÓDIO

As duplas do Citroën Total Abu Dhabi WRT viveram sortes diferentes no segundo dia do Rali da Austrália, que ficou marcado por diversos incidentes. Quarto da Geral, Craig Breen e Scott Martin são a formação melhor classificada da equipa, enquanto Stéphane Lefebvre e Gabin Moreau terminaram o dia na sétima posição.  Kris Meeke e Paul Nagle foram forçados a abandonar a etapa.

  • Na manhã de sábado, a partida para o segundo dia marcou o incío de uma jornada bastante intensa para os concorrentes: a primeira formação arrancou às 07h18 para uma longa maratona formada pelas Especiais de Nambucca (48,89 km) e Newry (20,87 km), e que terminou com um curto troço cumprido numa pista de ralicross.

 

  • Apesar da distância considerável a percorrer no segundo dia, a chuva que caiu durante a noite – com mais chuva prevista para as próximas horas – levou a que opção mais sensata fosse a utilização de pneus Michelin LTX Force de composto macio. Durante a amnhã, os C3 WRC levaram dois pneus suplentes.

 

  • No final da Especial de Nambucca, havia sentimentos contraditórios entre os pilotos da Citroën. Apesar de manifestar a sua satisfação com os tempos obtidos, Kris Meeke tinha perdido o terceiro posto para Latvala. Na sua estreia nesta mítica Especial do WRC, Craig Breen também perdeu um lugar, passando para o 6º lugar. Mantendo-se em nono, Stéphane Lefebvre perdeu mais de um minuto depois de um pião que abalou a sua moral.

 

  • Na Especial seguinte, Kris Meeke perdeu cerca de dez segundos ao seguir em frente num cruzamento. Contudo, tal como todos os outros pilotos, o britânico subiu uma posição na tabela devido ao abandono do comandante da prova, Andreas Mikkelsen.

 

  • A meio da Especial, Kris estava em terceiro da Geral, a 22 segundos do líder, enquanto que Craig Breen e Stéphane Lefebvre ocupavam, respetivamente, o quinto e o oitavo lugares.

 

  • Após a Assistência intermédia, a segunda parte do dia levou as equipas a Welsh Creel e Argent Hill, os dois troços cronometrados que formam a maior parte da Especial de Nambucca. Desta vez, os pilotos da Citroën alinharam com pneus de misturas diferentes: Stéphane Lefebvre optou por cinco pneus macios e os seus colegas de equipa escolheram um mix de três pneus duros e dois pneus macios.

 

  • Na ES12, ao atravessar uma ponte estreita, Kris Meeke embateu na berma e danificou a suspensão do seu C3 WRC, Depois de tentar, sem sucesso, reparar os danos, acabou por ser forçado a abandonar a etapa. Como o carro não sofreu grandes danos, Meeke cumpre a última etapa em Rali2.

 

 

  • Em sequência disso, Craig Breen e Stéphane Lefebvre acabaram por subir mais um lugar na Classificação Geral: no final da ES13, estavam na quarta e na sétima posição, respetivamente.

 

  • Após a anulação da ES14 devido à falta de segurança de uma ponte danificada, a jornada terminava com mais duas passagens pela Super Especial de Coffs Harbour. Na ES15, Craig partilhou a vitória no troço com o líder do rali, Thierry Neuville, mas os lugares na Classificação Geral não sofreram alterações, tendo os dois C3 WRC encerrarado o dia sem mais contratempos.

 

O QUE ELES DISSERAM…

YVES MATTON, DIRETOR DA CITROËN RACING: “O que aconteceu ao Kris foi uma decepção. Os engenheiros acharam que os danos causados na suspensão comprometiam a segurança para disputar a ES14, por isso pedimos ao Kris para abandonar. Mas, mais uma vez, não tivemos a sorte do nosso lado, pois a Especial acabaria por seu anulada pouco depois… O Kris regressa amanhã em Rali2, com o único objetivo de testar novas opções de set-up para o C3 WRC. Os nossos pilotos mais jovens tiveram um dia positivo, especialmente o Craig, que está a pouco mais de meio minuto dos lugares do pódio. O Stéphane perdeu mais tempo devido a um pião, mas os seus outros tempos foram muito bons tendo em conta que era o terceiro a partir para a estrada.”

 

CRAIG BREEN: “Tivémos mais um dia positivo. Na parte da manhã, achei o troço de Nambucca especialmente difícil. Mas, tendo em conta que foi a nossa estreia nesta Especial, não estivemos muito mal face aos pilotos mais experientes. A jornada da parte da tarde foi melhor, com o tempo mais seco. Devido ao azar de outros, subimos alguns lugares na classificação, mas isso é algo que faz parte da competição. Estou pronto a agarrar quaisquer oportunidades que surjam para chegar a pódio.”

 

STÉPHANE LEFEBVRE: “O começo do dia foi difícil devido à chuva. Em Nambucca, deixei o carro ir abaixo depois de um pião e perdeu-se algum tempo até o motor voltar a pegar. Depois disso, perdi totalmente o andamento e foi uma luta constante até final do troço. Ser o terceiro a partir para a estrada era, de facto, uma desvantagem, e foi isso que me levou a optar por pneus macios para as Especiais da tarde. No final, acabou por não ser uma escolha lá muito sensata porque os pneus perderam a sua eficácia à medida que cumpríamos a Especial.”

 

KRIS MEEKE: “A seguir a uma curva rápida, havia uma ponte estreita, em cuja berma embatemos com a roda traseira. Alguns quilómetros depois, percebi que algo não estava bem. Parámos a seguir ao controlo horário para tentar reparar a suspensão. Eu queria continuar em prova, mas a equipa pediu-me para abandonar. Foi frustrante porque, afinal de contas, o longo troço final acabou por ser anulado. Perdemos a oportunidade de obter um bom resultado.”

 

RALI DA AUSTRÁLIA – CLASSIFICAÇÃO DA 2ª ETAPA

  1. Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) 2h51m11,6s
  2. Latvala / Anttila (Toyota Yaris WRC) +20,1s
  3. Tanak / Jarveoja (Ford Fiesta WRC) +40s
  4. Breen / Martin (Citroën C3 WRC) +1m05,2s
  5. Paddon / Marshall (Hyundai i20 WRC) +1m21,1s
  6. Ogier / Ingrassia (Ford Fiesta WRC) +1m48,2s
  7. Lefebvre / Moreau (Citroën C3 WRC) +3m00,2s
  8. Evans / Barritt (Ford Fiesta WRC) +3m25,3s
  9. Lappi / Ferm (Toyota Yaris WRC) +4m20,3s

  1. Meeke / Nagle (Citroën C3 WRC) +20m41,2s

 

Scroll To Top