Sexta-feira , Setembro 21 2018
ÚLTIMAS
Home / RALI / CRÓNICA DE UM RALI QUASE PERFEITO
CRÓNICA DE UM RALI QUASE PERFEITO

CRÓNICA DE UM RALI QUASE PERFEITO

 

 

Continuando a sua campanha no Campeonato Regional de Ralis – Norte e Troféu CIN 2017, Jacinto Oliveira e Sérgio Aguiar apresentaram-se uma vez mais com o seu competitivo Renault Megane F1 à partida do Rali de Mesão Frio. Vindo de uma positiva série de bons resultados nas provas anteriores, a dupla iniciou a prova com a motivação em alta e logo na Super Especial de abertura, o terceiro melhor tempo conseguido deixava as melhores perspetivas para o segundo e mais longo dia de rali.

Com um ritmo bastante forte e um andamento isento de erros, a dupla rapidamente se instalava no 2º posto da geral logo na pec 2 (a primeira disputada no domingo) continuando na classificativa seguinte com a mesma estratégia de ataque que lhe valeria a manutenção da posição intermédia do pódio.

Na classificativa 4, um desempenho menos conseguido levava a que Jacinto Oliveira e Sérgio Aguiar descessem ao 3º posto da classificação geral, posição que viriam a manter até ao final do rali.

Porém, este muito positivo resultado viria a ser “manchado” quando, na classificação final provisória, a equipa é confrontada com uma penalização de 10 segundos, devido a uma falsa partida de 340 milésimas de segundo na PEC 5. Obviamente que, apesar da dupla defender a verdade desportiva acima de tudo, a consequente queda para o 6º posto final deixou um amargo de boca aos pilotos e acabou por levantar a esta equipa várias questões:

-Estando em causa uma falsa partida de escassas milésimas de segundo, como é possível que uma organização penalize um concorrente num troço por uma margem tão insignificante, quando no mesmo rali, uma das partidas era dada manualmente (à boa maneira antiga, com contagem pelos dedos) e onde a possibilidade e facilidade de existirem erros maiores é facílima de acontecer?

Com esta situação, não quer a equipa Jacinto Oliveira / Sérgio Aguiar descartar as suas responsabilidades quanto ao cumprimento das regras, mas não deixa de manifestar alguma mágoa com os critérios de uma penalização tão rigorosa e por uma margem de tempo tão insignificante num troço, quando noutro o rigor era bastante menor (quase nulo).

Esta situação deixa a dupla bastante descontente, mas também outros detalhes organizativos contribuíram para que Jacinto Oliveira e Sérgio Aguiar não saíssem da região das Portas do Douro com uma boa impressão:

-o prémio de presença (regulamentado como sendo obrigatório) era apenas um pequeno troféu para dois elementos da equipa;

– Jacinto Oliveira, que apesar da penalização, ainda conquistou o segundo lugar na respetiva Divisão/Classe, subiu ao pódio para receber um troféu  que emprestaram de outro concorrente só para a foto, acabando a organização por ofertar simbolicamente um pequeno saco com rebuçados.

Entende o piloto da Póvoa de Varzim que estes detalhes não engrandecem o magnifico desporto que são os ralis e contribuem para o não desenvolvimento da modalidade. A somar à rigorosa penalização imposta, num rali disputado em belos cenários, com classificativas de excelente nível.

Jacinto Oliveira e Sérgio Aguiar não deixam de agradecer a todos os patrocinadores, ao público e a toda a equipa de assistência que acompanhou esta dupla que regressará à estrada já nos dias 8 e 9 de Setembro para o Rali de Viana do Castelo.

 

Scroll To Top