Quinta-feira , Maio 25 2017
ÚLTIMAS
Home / RALI / Fontes imparável no alcatrão albicastrense (por Paulo Homem)
Fontes imparável no alcatrão albicastrense (por Paulo Homem)

Fontes imparável no alcatrão albicastrense (por Paulo Homem)

Especialista em exibições de gala, José Pedro Fontes voltou a fazer em Castelo Branco uma exibição imaculada, tendo como prémio final a subida à liderança do Nacional de Ralis.

Em vez de três foram apenas dois os grandes “rivais” na discussão da vitória nesta prova, com José Pedro Fontes e João Barros a terem o protagonismo. Barros até foi o primeiro líder da prova, após vitória na super-especial, mas desde o segundo troço que foi o piloto do DS3 que assumiu a liderança da prova, vencendo todos os troços até final do rali, vencendo pela segunda vez consecutiva em Castelo Branco.

Só que a exibição de João Barros também foi notável. Tal como Fontes, Barros não errou na escolha de pneus para os troços (choveu durante o rali), e pressionou bastante o seu adversário, acreditando (e bem) que era possível vencer. Mesmo assim, o segundo lugar no nesta prova mantém o piloto do Fiesta na luta pelo título… e muito perto das vitórias.

Carlos Martins aproveitou bem as “más” opções e azares alheios para fazer uma prova muito interessante com o Fabia S2000, mostrando uma boa evolução ao longo do rali, numa prova particularmente difícil.

Não sendo o resultado que pretendia, Ricardo Moura sai de Castelo Branco com duas derrotas. O quarto lugar deve-se a uma má escolha de pneus e a um problema num pneu quase no final do rali, que o obrigou a parar para o mudar. Este resultado atirou-o também da liderança para o 3º lugar do nacional de ralis. Contudo, as exibições de Moura no asfalto estão longe de convencer, embora a próxima prova seja o “seu” Sata Rali Açores.

Adruzilo Lopes foi o quinto classificado e mais uma vez o líder destacado e isolado da RC2N, amebora também ele tenha errado na escolha dos pneus, ficando mesmo assim na frente de Joaquim Alves que prova a prova começa a ganhar ritmo com o Skoda Fabia S2000.

Gil Freitas voltou a vencer de novo a RGT, ficando no sétimo lugar, numa prova em que foi consistente e regular.

Nas duas rodas motrizes Marco Cid tomou-lhe o gosto, voltando a vencer de forma categoria, num rali em que a concorrência direta se eclipsou. Ruivo teve um saída de estrada no 2º troço, Paulo Neto desistiu com problemas no corta corrente do DS3 no 3º troço, pelo que foram os pequenos RC4 de Miguel Carvalho e Renato Pita a ficarem nas posições seguintes, tendo o piloto do Citroen C2 R2 Max, vencido no RC4.

André Cabeças venceu no Campoenato Fpak Centro, depois de um excelente rali, ficando na frente, por apenas 5 segundos de Fernando Teotónio. Carlos Fernandes ficou no terceiro lugar, depois de um toque na super-especial que o fez perder muito tempo.

No nacional de Clássicos a vitória foi para Anibal Rolo, ficando João mexia Leitão no 2º lugar e José Mendes na terceira posição.

Quanro ao Challenge DS3, Ricardo Sousa voltou a fazer uma excelente prova que resultou na segunda vitória nesta competição, seguido novamente por Ricardo Roda e André Rodrigues e Rafael Cardeira.

Isabel Ramos venceu pela terceira vez no Ladies Rally trophy, ficando Rosário Sottomayor no segundo lugar e Daniel Rodrigues na terceira posição.classific15castelo

Fonte: Paulo Homem (www.ralisonline.net)

 

Scroll To Top