Sexta-feira , Setembro 21 2018
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / GP da Bélgica dificil para a Haas F1 Team
GP da Bélgica dificil para a Haas F1 Team

GP da Bélgica dificil para a Haas F1 Team

Este domingo, o Grande prémio da Bélgica, que se disputou no Circuit de Spa-Francorchamps, começou bem para a Haas F1 Team, mas uma bandeira vermelha desmontou a estratégia da equipa, atirando Esteban Gutiérrez e Romain Grosjean para o décimo segundo e décimo terceiro lugares, respectivamente.

Grosjean realizou um excelente arranque para a corrida de quarenta e quatro voltas ao circuito de 7,004 quilómetros e 19 curvas. Depois de arrancar de décimo primeiro, evitou o caos na primeira curva de prova, deixando La Source na quinta posição. Foi ultrapassado pelo Force India de Sérgio Pérez na quarta volta, mas assentou o seu ritmo no sexto posto. Gutiérrez também conseguiu tirar beneficio da confusão da primeira volta, durante a qual quatro carros foram eliminados, e subiu desde o décimo oitavo posto até ao nono.

Quando o Safety-Car entrou em pista na sexta volta, devido ao violento despiste de Kevin Magnussen no Radillon, Grosjean aproveitou a oportunidade para entrar nas boxes e trocar os Pirelli P Zero Amarelo/Macio com que iniciou a prova por um novo jogo de pneus do mesmo composto. Gutiérrez entrou nas boxes uma volta depois, imitando a estratégia do seu colega de equipa. Depois das paragens nas boxes, Grosjean estava na décima posição e Gutiérrez na décima terceira, uma vez que alguns pilotos resolveram não entrar nas boxes.

No entanto, era necessário reparar as barreiras onde Magnussen bateu e foi mostrada a bandeira vermelha, o que comprometeu a estratégia definida pela equipa.

A interrupção da corrida permitiu aos pilotos que não tinham parado uma paragem nas boxes de borla, uma vez que puderam trocar de pneus na via das boxes. Este procedimento foi uma vantagem incrível para eles, dado que não perderam posições em pista. As posições que ganharam ao se manterem em pista antes da bandeira vermelha foram mantidas e as posições que Grosjean e Gutiérrez ganharam em pista desvaneceram-se.

Ainda assim, faltavam trinta e quatro voltas até à bandeirada de xadrez, prometendo ainda muitas oportunidades para serem aproveitadas. Grosjean provou isso mesmo ao ultrapassar Jolyon Palmer na décima segunda volta, subindo ao nono lugar. Na décima sexta volta, Gutiérrez apanhou o Palmer e ganhou o décimo segundo posto. Na mesma volta, porém, o Ferrari de Sebastian Vettel apanhou Grosjean e relegou-o para décimo e, na décima sétima volta, Felipe Massa subiu a décimo. Isto colocou Grosjean no décimo primeiro lugar e Gutiérrez no décimo segundo, estavam dezoito voltas cumpridas.

Quando uma dificuldade com o funcionamento do sistema de recuperação de energia afectou a velocidade do Grosjean, Gutiérrez pôde ultrapassar o seu colega de equipa, subindo para décimo primeiro, quando estavam decorridas dezoito voltas. Enquanto Gutiérrez olhava para o décimo posto do Toro Rosso de Daniil Kvyat, Grosjean foi obrigado a olhar para os seus retrovisores para defender a sua posição face ao Ferrari de Kimi Raikkonen, que acabou por o ultrapassar na recta de Kemmel.

Quando a corrida atingiu o seu meio, Gutiérrez rodava no décimo primeiro lugar e Grosjean no décimo segundo. Gutiérrez entrou nas boxes para montar um jogo de Pirelli P Zero Branco/Médio, estavam cumpridas vinte e duas votlas, e na seguinte Grosjean fez o mesmo.

Quando todos as paragens estavam concluídas, nas vigésima sexta volta, Gutiérrez estava no décimo terceiro lugar e Grosjean no décimo quinto.

Gutiérrez apanhou Kvyat na vigésima sétima volta para subir ao décimo segundo posto. Gutiérrez e Grosjean ganharam uma posição na vigésima oitava volta quando Max Verstappen parou nas boxes, com Gutiérrez a subir ao décimo primeiro lugar e Grosjean ao décimo quarto. Mas a velocidade de Verstappen era impressionante e recuperou o décimo quarto posto de Grosjean na vigésima nona volta. Enquanto Verstappen subiu na classificação, Grosjean fazia mesmo, tendo suplantado Palmer na luta pela décima quarta posição, na trigésima segunda volta. Kvyat foi o seguinte, com Grosjean a ascender ao décimo terceiro posto na trigésima sétima volta. Verstappen, entretanto, continuou a sua recuperação, ganhando o décimo primeiro lugar a Gutiérrez também na trigésima sétima volta.

Com sete voltas por cumprir, Gutiérrez rodava no décimo segundo posto e Grosjean no décimo terceiro, existindo uma diferença de cinco segundos entre eles. À medida que as voltas iam passando, Grosjean conseguiu diminuir a sua desvantagem para Gutiérrez, tendo o duo terminado na décima segunda e décima terceira posições, respectivamente.

Com treze dos vinte e um eventos da temporada da Fórmula 1 deste ano cumpridos, a Haas F1 Team mantém-se no oitavo posto do Campeonato de Construtores com vinte e oito pontos. No entanto, o sétimo lugar pertence agora a Scuderia Toro Rosso, uma vez que a McLaren subiu ao sexto posto graças à sexta posição de Fernando Alonso na corrida de hoje. A diferença entre a Haas F1 Team e a Scuderia Toro Rosso é de dezassete pontos. A Haas F1 Team manteve a sua vantagem de vinte e dois pontos relativamente ao nono lugar da Renault, uma vez que nem Magnussen nem Palmer terminaram nos pontos.

Nico Rosberg, piloto da Mercedes, venceu o Grande Prémio da Bélgica, deixando o Red Bull de Daniel Ricciardo a 14,113s. Esta vitória acirrou a luta pelo Campeonato de Pilotos, uma vez que Rosberg recuperou dez pontos face a Lewis Hamilton, o seu colega de equipa. A diferença entre os dois é agora apenas de nove pontos. Esta foi a vigésima vitória de Rosberg na Fórmula 1, a sexta da temporada e a sua primeira em Spa.

Ficam a faltar oito corridas, sendo o próximo evento o Grande Prémio de Itália e terá lugar no Autodromo Nazionale di Monza.

 

Scroll To Top