Segunda-feira , Agosto 21 2017
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Haas F1 Team assegurou primeiros pontos da temporada de 2017
Haas F1 Team assegurou primeiros pontos da temporada de 2017

Haas F1 Team assegurou primeiros pontos da temporada de 2017

A Haas F1 Team assegurou hoje os seus primeiros pontos da temporada de 2017 do Campeonato  do Mundo FIA de Fórmula 1 com o seu piloto Kevin Magnussen a conquistar um oitavo lugar no Grande Prémio da China, que se realizou este domingo no Circuito Internacional de Xangai. Por pouco a equipa não teve dois pilotos nos pontos, uma vez que Romain Grosjean terminou no décimo primeiro lugar, a um lugar dos pontos.

 

Para Magnussen foi a primeira vez que terminou entre os dez primeiros depois do Grande Prémio de Singapura do ano passado, quando terminou em décimo, e o seu melhor resultado desde o Grande Prémio da Rússia de 2016. Foi a décima quinta vez que que conquistou pontos e a primeira em Xangai.

 

O décimo quarto Grande Prémio da China iniciou-se com a pista molhada, com dezanove dos vinte pilotos a iniciar a corrida de cinquenta e seis voltas ao circuito de 5,451 quilómetros e dezasseis curvas com pneus Pirelli Cinturato Verde/Intermédio. O único piloto que tinha slicks era Carlos Sainz.

 

Foi um início difícil para Sainz, uma vez que a pista mostrou-se demasiado molhada para slicks. O asfalto começou a secar rapidamente, no entanto, a escolha de Sainz pareceu precoce. Com uma situação de Safety-Car Virtual de duas voltas para recuperar o acidentado Williams de Lance Stroll, muitas equipas decidiram trocar os intermédios por slicks.

 

Uma delas foi a Haas F1 Team, protagonizando uma paragem nas boxes duplas, primeiro com Magnussen, seguindo-se Grosjean. Ambos montaram pneus supermacios.

 

As condições da pista permaneceram complicadas. Isto foi demonstrado pelo acidente de António Giovinazzi, que bateu nos muros da Curva 16 danificando bastante o seu Sauber. O incidente espalhou destroços pelo asfalto da recta da meta, levando a que o Safety-Car entrassem pista.

 

No fundo do pelotão, Grosjean aproveitou a oportunidade para parar nas boxes, trocando os supermacios por macios. Magnussen manteve-se fora das boxes. Quando a corrida foi retomada na oitava volta, Magnussen estava no décimo segundo lugar e Grosjean no décimo sétimo.

 

Com um Haas VF-17 rápido nas mãos e com a pista a melhorar, Magnussen e Grosjean empenharam-se na corrida.

 

Na décima volta, Magnussen era nono e de olho no oitavo lugar do Force India de Sérgio Pérez. Grosjean era décimo sétimo a atacar o Renault de Jolyon Palmer.

 

Foi uma luta dura no meio do pelotão, com o Williams de Felipe Massa a colocar-se entre Magnussen e Pérez. Entretanto, Grosjean, com uma pilotagem segura, subiu ao décimo terceiro posto na vigésima oitava volta, beneficiando dos problemas dos carros em redor.

 

Magnussen realizou a sua segunda paragem nas boxes no final da trigésima terceira volta, montando um novo jogo de pneus supermacios e realizando uma ajustamento na asa dianteira. A passagem pelas boxes levou-o do nono ao décimo segundo lugar, uma posição à frente de Grosjean.

 

Quando os restantes pilotos realizaram as suas respectivas segundas paragens nas boxes, Magnussen recuperou a sua posição.

 

Na trigésima sexta volta, Magnussen estava no décimo posto, enquanto Grosjean realizava a sua derradeira paragem nas boxes. Escolheu pneus supermacios e saiu no décimo terceiro lugar, atrás do Renault de Nico Hulkenberg.

 

Grosjean perseguiu Hulkenberg, apanhando-o na trigésima oitava volta e ultrapassando-o, o que o deixou no décimo segundo lugar.

 

Magnussen, por seu lado, tinha o Force India de Esteban Ocon no seu horizonte e ultrapassou, subindo a nono, na quadragésima volta. O colega de equipa de Ocon, Pérez, era quem se seguia. Magnussen seguiu-o e, com uma manobra decisiva no final da enorme recta traseira, conseguiu ultrapassá-lo para o oitavo lugar.

 

Grosjean evidenciou igualmente a sua força, suplantando Massa, subindo a décimo primeiro, na quinquagésima terceira volta, graças a uma manobra eficiente realizada do lado de fora da Curva 2.

 

Ambos os pilotos ficaram sem tempo para continuar a recuperar posições. Quando a bandeirada de xadrez foi mostrada, estavam cumpridas cinquenta e seis voltas, Magnussen estava no oitavo posto, assegurando valiosos pontos para o Campeonato de Construtores. Grosjean terminou no décimo primeiro lugar, tendo a Haas F1 Team ficado à beira da garantir pontos com ambos os pilotos.

 

O vencedor do Grande Prémio da China foi o tricampeão mundial, Lewis Hamilton. Foi a quinquagésima quarta vitória do piloto da Mercedes na Fórmula 1, a sua primeira da temporada e a sua quinta em Xangai. Hamilton deixou Sebastian Vettel, da Scuderia Ferrari, a 6,250s.

 

Com dois dos vinte rounds completados, a Haas F1 Team está no sétimo lugar do Campeonato de Construtores, com quatro pontos, a quatro da sexta classificada, a Williams e com quatro de vantagem sobre a Renault, a Sauber e McLaren.

 

Na Fórmula 1 não há descanso, uma vez que o grande circo move-se agora para o Médio Oriente, onde realizará o Grande Prémio do Bahrein no próximo dia 16 de Abril, no Circuito de Sakhir.

 

Scroll To Top