Terça-feira , Novembro 20 2018
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Henrique van Uden e Rui Silva vencem Kia Racing Opportunity
Henrique van Uden e Rui Silva vencem Kia Racing Opportunity

Henrique van Uden e Rui Silva vencem Kia Racing Opportunity

 

 

  • 144 aspirantes a pilotos vibraram com as emoções do Kia Picanto GT Cup no Kia Racing Opportunity;
  • As mais de 30 eliminatórias superadas sem problemas mecânicos vincaram a fiabilidade da viatura desenvolvida pela Kia Portugal, CRM Motorsport e restantes parceiros;
  • Super Final muitíssimo disputada provocou incerteza sobre os vencedores;
  • A decorrer já no próximo fim-de-semana de 12 e 13 de Maio, a Rampa da Falperra será o primeiro teste dos vencedores, que, desta forma, integram imediatamente a ‘família’ do novo troféu monomarca do automobilismo nacional.

 

Lisboa, 10 Abril 2018 – Após dois dias de exigentes e disputadas eliminatórias no Circuito do Estoril, onde 144 aspirantes a pilotos do Kia Picanto GT Cup não quiseram perder a oportunidade de poderem vir a cumprir o sonho de uma vida, Henrique van Uden e Rui Silva foram declarados como os grandes vencedores da edição 2018 do Kia Racing Opportunity.

 

Numa Super Final marcada pelo equilíbrio entre os participantes, como provam os cinco décimos de segundo que separaram os dois primeiros classificados, os novos membros do Kia Picanto GT Cup superaram os restantes finalistas da competição, Pedro Baiona e João Santos, e garantiram, assim, o cobiçado prémio desta iniciativa conjunta da Kia Portugal e CRM Motorsport: a presença, a custo zero, na época inaugural do mais recente troféu monomarca do automobilismo nacional.

 

Entusiasmado com a afluência de concorrentes e o ambiente salutar que se viveu em pista, o diretor-geral da Kia fez questão de parabenizar os mais recentes pilotos do Kia Picanto GT Cup e todos aqueles que acudiram ao Circuito do Estoril à procura de iniciarem uma carreira no automobilismo.

 

Para João Seabra, “o facto de as inscrições para o Kia Racing Opportunity 2018 se terem esgotado em apenas duas semanas demonstra que o desporto automóvel continua a ser vivido intensamente pelos portugueses, e igualmente que continua a haver espaço no automobilismo nacional para projetos como o Kia Picanto GT Cup, focado em criar, nutrir e desenvolver novos talentos, mas também em dar-lhes as ferramentas para que possam singrar e garantir para si uma carreira sólida na modalidade”.

 

“Tendo a perfeita noção da pressão que tiveram de superar para se sagrarem vencedores do Kia Racing Opportunity 2018, quero dar ao Henrique e ao Rui as boas-vindas à ‘família’ Kia Picanto GT Cup, fazendo votos para que se divirtam e apliquem em pista a mesma rapidez e discernimento que demonstraram no caminho que os conduziu a este momento”, concluiu.

 

Já Tiago Raposo Magalhães salientou o comportamento dos Kia Picanto GT Cup e a heterogeneidade dos vencedores do Kia Racing Opportunity, elogiando, ainda, a mentalidade com que encararam o desafio:

 

“Este Kia Racing Opportunity ficou marcado, em toda a linha, pela forte adesão dos 144 inscritos. Mas igualmente pela fiabilidade e performance do novíssimo Kia Picanto GT Cup, que, após 1500 km de eliminatórias disputadas ao limite, apenas tinha mudado pneus, pastilhas de travão e sido abastecido com gasolina. Quero ainda destacar que todos os carros presentes apuraram participantes para as derradeiras fases da competição. Estes factos sustentam na íntegra tudo aquilo que definimos para este projeto, dando-nos a certeza de ter em mãos o Troféu com os ‘running costs’ mais baixos do mercado”.

 

“Quanto aos vencedores, mais do que a rapidez que demonstraram em pista e o potencial que acarretam, surpreendeu-me a forma como o Henrique e o Rui se comportaram perante o que lhes era exigido. Ambos respeitaram, na íntegra, as instruções dos nossos monitores, compreendendo que manter um ritmo consistente nas suas voltas cronometradas traria mais dividendos do que se concentrassem, apenas, em serem rápidos ao longo de uma volta. A diferença de idades entre ambos significa que o Henrique estará inscrito na categoria Pro e o Rui na categoria Júnior do Kia Picanto GT Cup. Formam uma dupla com a dose certa de maturidade e irreverência, deixando-me confiante de que darão muito bem conta dos objetivos traçados”, reiterou o responsável da CRM Motorsport.

 

 

 

PERFIL DOS VENCEDORES

Natural de Ponta Delgada, Henrique van Uden mostrou-se “surpreso” com o anúncio de que tinha sido um dos vencedores do Kia Picanto GT Cup.

 

“Já tinha andado duas vezes no Circuito do Estoril, uma de carro e outra de moto, ambos em track-days. Mas nunca pensei que poderia sagrar-me como um dos vencedores do Kia Racing Opportunity 2018. Como preparação fiz duas sessões de simulador e no domingo anterior às provas de seleção acompanhei o track-day do Estoril Experience Day para ter uma melhor noção dos limites da pista”.

 

O gosto pelas corridas é algo natural no agora piloto de 30 anos, admitindo que a falta de estrutura financeira o tinha impedido, até aqui, de cumprir o sonho de criança:

 

“Desde miúdo que tenho alguma tendência para desportos motorizados, mas não tive uma família que me tivesse dado um grande apoio nesse aspeto. Acabei, então, por ir pelo caminho mais fácil e menos dispendioso, que foi entrar no mundo das motos.”

 

Na Super Final que viria a ser decisiva, o piloto residente em Cascais admitiu ter passado por diversas situações: “Primeiro, procurei concentrar-me ao máximo. Mas depois pensei que o melhor seria encarar a derradeira eliminatória de uma forma mais descontraída. Acabei por aplicar uma mistura dos dois e concentrar-me mesmo só na segunda volta. Quando fui anunciado como um dos vencedores, senti um alívio enorme. Vieram-me lágrimas de contentamento aos olhos porque, acima de tudo, a verdade é que estavam lá 144 pessoas com as mesmas aspirações do que eu, muitos deles já com muita experiência de condução em circuito”.

 

Com um ‘olho’ na Falperra e outro no aproveitamento máximo desta oportunidade, Henrique van Uden admite que já se encontra “a fazer um esforço para encontrar apoios monetários” que lhe permitam suportar as despesas pessoais. Para já, acertou, com o novo colega de equipa, um acordo com o Autódromo Virtual de Braga — “o único com o trajeto da rampa”, recorda — que lhes irá permitir preparar a rampa local.

 

EXCELENTE INICIATIVA

Com passagem pela escola do Karting, Rui Silva viu a sua carreira interrompida em 2012 por “falta de verbas monetárias”. Ainda com 23 anos, inscreveu-se no Kia Racing Opportunity por considerar que se tratava de “uma excelente iniciativa” face ao preço e oportunidade em causa.

 

“No início, a minha ideia era fazer as sete voltas a que tinha direito e divertir-me ao máximo, usufruir do carro e da pista. Quando me apercebi que tinha passado às meias-finais, comecei a pensar que era possível dar o passo seguinte, e quando lá cheguei lembro-me de dizer ao meu pai que era já uma vitória pessoal. Na Super Final estava um bocadinho nervoso, mas depois acalmei-me e pensei em controlar a pressão para evitar erros que pudessem comprometer as minhas voltas”.

 

Uma postura que acabou por ser decisiva para o resultado final enquanto o segundo vencedor do Kia Racing Opportunity:

 

“Quando saí do carro disse ao meu monitor que, se tivesse passado, teria sido mesmo à ‘pele’, pois tinha ficado com a ideia de ter cometido um erro na primeira volta. Quando soube que ganhei fiquei em êxtase o resto da tarde e ainda não acredito que vou ter um ano de corridas proporcionado pela Kia Portugal. Sinceramente, nunca pensei que poderia chegar tão longe. Mas já estou a pensar a longo prazo e a trabalhar para a Falperra. Ontem já fiz uma noitada a ver vídeos no YouTube. Não quero ser muito ambicioso, mas gostava de, pelo menos, entrar nos três primeiros da Categoria Júnior”, garante.

 

Além da satisfação natural com a oportunidade que lhe foi concedida, Rui Silva salienta o trabalho realizado pelos parceiros no desenvolvimento do Kia Picanto GT Cup:

 

“É um carro giro de conduzir, em particular para quem vem da escola do karting. É muito compacto, com uma frente muito forte. Curva bem e é preciso dosear muito bem o acelerador e ter paciência com o carro, porque se formos calmos para ele, ele vai ser rápido para nós. Transmite muita confiança e tenho que dar os parabéns à Kia Portugal e à CRM Motorsport pelo trabalho realizado”.

 

Concluído o Kia Racing Opportunity, a Organização do Kia Picanto GT Cup abraça agora o desafio de iniciar a primeira época desportiva do novo Troféu monomarca da Velocidade Nacional com a Rampa da Falperra, prova inaugural do campeonato, a realizar já no próximo fim-de-semana, entre os dias 12 e 13 de Maio.

 

Scroll To Top