Sexta-feira , Setembro 22 2017
ÚLTIMAS
Home / RALI / Joaquim Alves obrigado a desistir quando estava no Top 5!
Joaquim Alves obrigado a desistir quando estava no Top 5!

Joaquim Alves obrigado a desistir quando estava no Top 5!

 

Depois de uma longa paragem desde o Rallye Vidreiro, Joaquim Alves e Luís Ramalho prosseguiram no Campeonato Nacional de Ralis com a realização do Rallye de Mortágua, a sexta ronda da época que decorreu em piso de terra.

A dupla da Cesar Racing Rallye Team voltou a apostar no competitivo Ford Fiesta R5 da estrutura da ARC Sport, arrancando para a prova com a noção que seria um rali bem disputado, face uma vez mais ao bom lote de viaturas R5 presente.

Tendo já dado boas provas da sua competitividade neste tipo de piso, o piloto de Oliveira de Azeméis entrou com uma toada forte e eficaz, com bons cronos nas especiais, isto apesar de na sexta feira ser uma das equipas que já efetuou a penúltima especial do dia sem luz natural, não lhe permitindo melhorar o seu melhor tempo.

Na 2ª etapa voltou a entrar com uma boa toada e ascendeu ao top 5 da geral! Contudo na especial seguinte, um toque de traseira, acabou por deixar imobilizado o seu Fiesta R5 ditando o abandono na prova.

“Mesmo com uma lista de pilotos muito competitiva, entramos muito bem para a 1ª etapa do rali e conseguimos bons cronos nas especiais! Ainda assim, na 2ª passagem pela Aguieira fomos das equipas que já tiveram de fazer a especial de noite, com recurso aos faróis suplementares e por isso não conseguimos melhorar o tempo da 1ª passagem.

No sábado voltamos a entrar bem na 2ª etapa do rali, com um bom ritmo e conseguimos entrar no top 5 da classificação geral. Contudo no inicio da classificativa de Rigueiras, não conseguimos evitar um toque com a traseira que partiu um braço de suspensão e deixou o carro bloqueado numa zona estreita, sendo impossível retira-lo sem ajuda.

Apesar da desistência, foi um rali em que consegui rodar num ritmo alto e estava com algumas expectativas de conseguir lutar por um lugar no nos cincos primeiros. Penso que nos pisos de terra progredimos bastante e que já consigo andar a um ritmo muito bom, faltando agora evoluir mais na consistência ao longo da prova”, concluiu Joaquim Alves.

 

Scroll To Top