Quinta-feira , Novembro 23 2017
ÚLTIMAS
Home / MOTOS / Joaquim Rodrigues: “Não acredito que a Laia, pela profissional que é, tenha tido esta atitude”
Joaquim Rodrigues: “Não acredito que a Laia, pela profissional que é, tenha tido esta atitude”

Joaquim Rodrigues: “Não acredito que a Laia, pela profissional que é, tenha tido esta atitude”

Piloto português estreou-se este ano no Rali Dakar e está a fazer uma campanha de destaque ocupando o 11.º lugar da geral.

Joaquim Rodrigues está a participar pela primeira vez este ano no Rali Dakar e a ser um “estreante” de destaque na mítica prova. O piloto português, que já foi uma das estrelas do Motocross e Supercross a nível internacional, ocupa integrou recentemente a equipa indiana Hero MotoSports Team Rally com vista à mudança da sua careira para os ralis todo-o-terreno e… está a singrar!

Aos comandos de uma Hero Speedbrain 450 Rally, Joaquim Rodrigues tem vindo a conseguir tempos em etapas de acordo com os vinte mais rápidos da competição, sendo que nas últimas duas, a quarta e a quinta da edição de 2017 da prova, registou mesmo o 12.º e 11.º lugar nas “especiais” cronometradas do dia, posições que o colocam agora no 11.º lugar da tabela geral classificativa, imediatamente atrás do seu cunhado, o português Paulo Gonçalves da Honda oficial, distando 1h10min20s de atraso para o líder Sam Sunderland (KTM).

Joaquim Rodrigues é um dos participantes de destaque no pelotão da presente edição do Rali Dakar, que decorre até ao próximo dia 14 de janeiro na América do Sul, com chegada final em Buenos Aires, mas também nos últimos dias o destaque do piloto português assumiu-se por uma situação insólita causada por uma concorrente em prova, a espanhola Laia Sanz, que segundo imprensa espanhola e declarações da própria no final da quarta etapa, entre San Salvador de Jujuy e Tupiza, acusaria o piloto português de a ter enganado no percurso e com isso fazê-la perder-se cerca de trinta minutos a contrarrelógio.

A situação deixou o piloto português desagradado e incrédulo com o alvoroço causado em torno da mesma, em particular pelos apoiantes da piloto catalã.

A sexta etapa da prova, que hoje se disputava entre Oruro e La Paz, na Bolívia, foi anulada devido às más condições climatéricas locais. A caravana segue por vias alternativas até La Paz, onde amanhã, domingo, terá o habitual dia de descanso. A ação retoma na segunda-feira com a sétima de doze etapas.

Joaquim Rodrigues: Creio que seja um mal-entendido. Nunca em momento algum eu enganaria um adversário/colega, tenho os meus princípios. Acredito que ela não tenha percebido o que lhe transmiti, aliás, ela falhou o waypoint e vinha em sentido contrário quando me intercetou e perguntou se eu o tinha encontrado, eu respondi que sim e ela arrancou a grande velocidade! Como pode esta história ter tomado proporções desta maneira. Sou um estreante no Dakar, estou a fazer o meu papel que, acima de tudo, passa por aprender nesta nova modalidade. Acreditava, e acredito, que por ser a minha primeira vez nesta prova teria mais eu aprender com os pilotos com maior experiência. Não acredito que a Laia, pela profissional que é, tenha tido esta atitude. De qualquer forma, crendo que possa ter tomado mal as minhas palavras, tenho a lamentar. Lamentar ainda as palavras desagradáveis de que fui alvo, eu e os meus apoiantes, sem qualquer conhecimento de causa. Tenho tanto respeito pelos espanhóis como pelos portugueses ou qualquer outro povo. Mas a minha corrida continua, sem bodes expiatórios.”

 

Scroll To Top