Terça-feira , Agosto 21 2018
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Joaquim Teixeira prossegue adaptação ao Renault Megane Trophy
Joaquim Teixeira prossegue adaptação ao Renault Megane Trophy

Joaquim Teixeira prossegue adaptação ao Renault Megane Trophy

Com o seu carro finalmente em perfeitas condições mecânicas, Joaquim Teixeira obteve o seu quarto pódio consecutivo no Campeonato Nacional de Montanha / Valvoline, terminando a Rampa do Caramulo no 2º lugar da Categoria 4.

 

Ainda assim, o piloto da Bompiso pretendia lutar pela vitória na categoria na Serra do Caramulo e, como tal, o 2º lugar não o deixou satisfeito. “Posso afirmar que é até um mau resultado em função das minhas expectativas”, comentou Joaquim Teixeira. “No entanto, é importante ressalvar que desta vez o Megane estava em perfeitas condições e que a equipa Martins Speed me entregou o carro em condições de poder lutar pela vitória. Neste momento a grande dificuldade é a minha ainda reduzida adaptação ao carro, visto que até esta prova tive sempre problemas mecânicos que me impediram de treinar com o carro e de andar em prova nas condições que me permitissem ganhar ritmo, o que era crucial para poder descobrir os limites do carro. A minha experiência com o Megane limita-se às subidas que tenho feito com ele nas provas e, como sabemos, não é aí que posso conhecer bem um carro como o Megane Trophy. Espero que agora o problema esteja ultrapassado e que tenha a oportunidade de me adaptar melhor ao carro e a partir daí conseguir melhorar os meus resultados de modo a conseguir a vitória”, afirmou o piloto de Murça.

Joaquim Teixeira também não atira a “toalha ao chão” na luta pelo título da categoria, quando ainda há três provas para disputar: “Sei que neste momento a luta pelo titulo está muito difícil mas enquanto matematicamente for possível tudo irei fazer para o conseguir. Neste momento isso só será possível se o meu concorrente direto tiver algum problema mecânico, como os que me afetaram antes desta prova”.

O presidente da Associação Portuguesa de Pilotos de Automóvel de Montanha também abordou a falta de promoção que tem vindo a afetar a Rampa do Caramulo.“Neste momento o CNM/Valvoline é um dos campeonatos mais competitivos do panorama automobilístico português. Basta ver o número de inscritos e a quantidade de público que assiste às provas, com exceção desta. Mas neste caso é fácil de perceber que a prova tem vindo a perder importância e a perder público devido ao péssimo trabalho de promoção que o Museu do Caramulo tem feito e que  este ano voltou a verificar-se. Basta ver que nos sites do Museu o grande destaque já é o numero de inscritos para a prova de Setembro e o Nacional de Montanha passa quase despercebido, e na comunicação social nacional nunca foi publicada uma única referência a esta prova, o que me leva a pensar que nestes moldes esta rampa depressa deixará de contar para o calendário do CNM/Valvoline. Penso que esta prova, para poder ser novamente revitalizada e voltar a ser uma rampa emblemática, terá de ter a sua promoção atribuída ao Targa Clube, entidade que a organiza desportivamente, e nesse ponto a Câmara Municipal terá de rever a situação senão arrisca-se a ficar sem a prova”, analisou Joaquim Teixeira.

O CNM / Valvoline regressa agora nos dias 23 e 24 de Julho, com a Rampa da Senhora da Graça.

 

Scroll To Top