Domingo , Setembro 24 2017
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Jogada táctica da Citroen em Vila Real
Jogada táctica da Citroen em Vila Real

Jogada táctica da Citroen em Vila Real

Tiago Monteiro sai de 6º e 5º

Consciente das dificuldades de ultrapassagem, no traçado de Vila Real, a Citroen fez uma clara jogada táctica, na qualificação 2, colocando o argentino Jose Maria Lopez e o francês Sébastien Loeb, na luta pela ‘pole position’ e deixando o francês Yvan Muller e o chinês Ma Qing Hua decidirem quem largava da primeira posição da grelha na segunda corrida. Tiago Monteiro quedou-se pelo sexto lugar na qualificação 2 depois de uma estratégia de equipa que não funcionou a favor do piloto português.

Depois do argentino Nelson Gilaromi (Honda Civic) e do marroquino Mehdi Bennani (Citroen C-Elysée) terem ‘batido’, o que levou a duas interrupções da qualificação, o mais lento dos 10 carros em pista seria aquele que iria partir da ‘pole’ para a segunda corrida.

Por isso, Yvan Muller e Ma Quing Hua apenas sairam para a pista com tempo para fazerem uma volta e mesmo essa, devagar, com o chinês a ser mais lento do que o francês e a conquistar o desejado 10.º lugar.
Tiago Monteiro (Honda Civic) acabou por ficar numa posição complicada, pois vai sair da sexta posição para a primeira corrida e da quinta para a segunda, o que o coloca bem no meio do pelotão, numa zona onde os toques são frequentes e onde as possibilidades de vitória mais complicadas.

Para o piloto português: “As coisas não correram bem e acabei por não conseguir nenhum dos meus objectivos. Chegar à Q3 ou ser 10.º. Estava confiante, na possibilidade de chegar à Q3, porque, o carro estava equilibrado na Q1 e na Q2. Amanhã vai ser difícil, porque as ultrapassagens não são fáceis e vai ser preciso partir bem, porque o objectivo é, não o escondo, chegar ao pódio. É fantástico estarmos em Vila Real e tenho a certeza que todos vão gostar das corridas».

No que diz respeito à luta pela “pole” para a corrida de abertura, Jose Maria Lopez bateu Sébastien Loeb e foi o único a rodar abaixo do segundo ’59’, com o francês Hugo Valente (Chevrolet Cruze) e o húngaro Nobert Michelisz (Honda Civic) a dividirem a segunda linha da grelha.

Para Jose Maria Lopez: “Fizemos um excelente trabalho e os cinco pontos da ‘pole’ são muito importantes. Num traçado como este é preciso ter confiança e tive-a, mas amanhã vai ser um dai dificil, em particular na segunda corrida, porque ultrapassar não é fácil”
Por sua vez, Sebastien Loeb reconhecia que “Tentei fazer a volta perfeita, mas cometi alguns erros, mas ser segundo é bom. O objectivo vai ser fazer uma boa partida e depois de se houver boa aderência ver o que pode acontecer. Porque num circuito como este, tudo pode acontecer”.

Para Hugo Valente, o facto de ter alcançado o terceiro tempo deixava-o “Muito feliz, porque tivemos um dia difícil e viemos sempre a melhorar de treino para treino e de qualificação para qualificação. Estar aqui é consequência do muito trabalho que fizemos no carro e da confiança que tive, porque o circuito é muito difícil. É muito fácil cometer um erro neste circuito e por isso o objectivo era não partir, e amanhã, fazer melhor”.

Ma Qing Hua vai partir da ‘pole position’ para a segundo corrida, com o piloto a revelar que “No treino livre vimos a diferença de tempos e decidimos tentar fazer o 10.º tempo para largar da ‘pole’ na segunda corrida. Fizemos um excelente trabalho para o conseguir e tudo decorreu de acordo com o nosso plano e penso que é bom para a corrida de amanhã”.

Grelha de partida:
1.ª linha – José Maria Lopez (Citroen C-Elysée), 1.58,515; Sébastien Loeb (Citroen C-Elysée), 1.59,090; 2.ª linha – Hugo Valente (Chevrolet Cruze), 1.59,333; Norbert Michelisz (Honda Civic), 2.00,023 ; 3.ª linha – Gabriele Tarquini (Honda Civic), sem tempo ; Tiago Monteiro (Honda Civic), 2.00,349; 4.ª linha – Nicky Catsburg (Lada Vesta), 2.01.724; Jaap Van Lagen (Lada Vesta), 2.01,187; 5.ª linha – Yvan Muller (Citroen C-Elysée), 2.39,871; Ma Qing Hua (Citroen C-Elysée), 3.17,063

 

Scroll To Top