Terça-feira , Novembro 20 2018
ÚLTIMAS
Home / RALLYCROSS / José Lameiro com muito azar na final
José Lameiro com muito azar na final

José Lameiro com muito azar na final

 

 

 

José Lameiro, com o espetacular Seat Leon Rx, competiu no fim de semana passado na Taça de Portugal de Ralicross. Uma prova disputada em Montalegre, debaixo de condições atmosféricas muito adversas, pois o frio e o vento foram uma presença constante. Mas, além deles, até a neve fez a sua aparição.

Quanto à prova, o piloto que corre com as cores da Diatosta / Rialto, esteve no seu melhor. Com uma concorrência bem forte, José Lameiro terminou as três corridas de qualificação com um segundo posto. Iria partir da primeira linha da grelha para a final, o que prometia um bom resultado.

Mas foi aí, que a “malapata” bateu à porta. Luz vermelha a apaga-se, partida para a final e o motor do Leon “cala-se” no arranque. Lameiro tenta repor o propulsor do Leon em funcionamento, mas este não responde. Fica por aí, a final do piloto aveirense.

Relativamente a esta jornada, José Lameiro referiu. “Montalegre no seu melhor. Frio, vento, neve, mas a corrida para nós, até estava a decorrer bem. Partíamos do segundo lugar para a final. Tínhamos começado a prova um pouco ‘lentos’, mas corrigimos algumas afinações e encontramos o nosso andamento. Sinceramente, estava esperançado em conseguir manter o segundo lugar na prova”. Um intervalo e explicou o que aconteceu. “Na grelha de partida, exatamente uns segundos antes de cair o sinal vermelho, o coletor de escape cedeu e o motor não conseguiu arrancar. Foi um balde de água muito fria”. Mais fria ainda, do que o tempo estava. Tanto para José Lameiro como para a sua claque, a Mancha Negra, que nunca parou de o ovacionar. E foram para ela, a Mancha Negra, as palavras que se seguiram. “Obrigado minha querida Mancha Negra. A todos os que nos apoiam e que connosco trabalham, foi um ano, apesar dos problemas, memorável”.

Terminada a sua primeira época de Ralicross, modalidade em que tudo era novo para José Lameiro, terá de se afirmar que foi um ano positivo, mau grado vários problemas e azares pelo meio. Foi notória a evolução do piloto, como ficou provado nesta Taça de Portugal de Ralicross.

 

Scroll To Top