Sexta-feira , Junho 22 2018
ÚLTIMAS
Home / RALI / M-Sport perdeu apelo pelos pontos retirados a Ogier
M-Sport perdeu apelo pelos pontos retirados a Ogier

M-Sport perdeu apelo pelos pontos retirados a Ogier

 

A equipa da M-Sport perdeu o seu apelo feito ao FIA após o ultimo Rali do México, quando o Colégio de Comissários Desportivos decidiu penalizar em 10 seg. o piloto da equipa britânica Sébastien Ogier, alegadamente por este ter dado um toque deliberado na primeira de um um grupo de três barreiras (chicanes) no decorrer da Power Stage em Las Minas. Esta penalização – que em nada não impediu o piloto francês de triunfar naquela prova, viu-lhe ser retirado quatro pontos “extra” conquistados pelo segundo melhor tempo obtido na Power Stage, ao contrário de outros cinco pilotos (Sebastien Loeb, Jari-Matti Latvala, Dani Sordo, Ott Tanak e Thierry Neuville) que na primeira ou segunda passagem pela mesma especial, tocaram igualmente naquelas “barreiras” (tanques de água) mas que não foram sancionados.

O Tribunal de Apelo (FIA International Court of Appeal) descreveu as razões pelas quais considerou que a primeira barreira era mais importante do que as outras duas, afirmando que: “O Tribunal considera que isso faz uma diferença essencial entre o caso dos outros competidores e o caso do carro # 1 do apelante (M-Sport). O conjunto de elementos de uma chicane tem o impacto mais importante quando se trata de adaptar a direção do carro, reduzir a velocidade do carro e cumprir os objetivos de segurança de uma chicane.” A FIA declarou ainda que Ogier, “não apenas tocou nos elementos da chicane, mas deslocou completamente o primeiro elemento, infringindo o artigo 14.2 do regulamento desportivo do WRC que estipula que as tripulações devem seguir o itinerário descrito no Roadbook.”

O apelante – a M-Sport, pela voz do seu “patrão” Malcolm Wilson declarou que a sua equipa estava: “Muito desapontada com a decisão. Sentimos – e ainda sentimos – que temos um caso muito “forte” aqui. Estamos muito interessados em ver aonde caminhamos a partir daqui”.

Esta decisão da FIA voltou assim a expor algumas falhas nos regulamentos ou a sua interpretação tendo estabelecido um precedente potencialmente problemático: a penalizar seria para todos, independente de se ter provado ao não que a sua conduta levaria ou não a um ganho de tempo. Dani Sordo (Hyundai) e Esapekka Lappi (Toyota) já foram penalizados sob a mesma regra já em Portugal.

Leia a decisão do apelo (Case ICA-2018-01): https://www.fia.com/judgements-ica

CARLOS DA SILVA

 

Scroll To Top