Quinta-feira , Maio 25 2017
ÚLTIMAS
Home / RALI / Mário Barbosa: “O Mundial de Ralicross é outro mundo”
Mário Barbosa: “O Mundial de Ralicross é outro mundo”

Mário Barbosa: “O Mundial de Ralicross é outro mundo”

Mário Barbosa foi o melhor piloto português na prova de abertura do Campeonato do Mundo FIA de Ralicross, disputada em Montalegre. Entre a elite da modalidade, o piloto da Compincar Racing Team descobriu uma realidade completamente diferente.

 

Correndo num plantel onde estavam nomes como o Campeão do Mundo de Ralis e de Ralicross Petter Solberg, o bicampeão do DTM Mattias Ekström ou os diversos pilotos oficiais da Volkswagen, Ford e Peugeot, Mário Barbosa teve a sua primeira experiência entre a elite desta espectacular modalidade. Numa lista com 21 pilotos nos Supercars, e naquela que era apenas a sua segunda prova ao volante do Citroën DS3, Mário Barbosa chegou a ser segundo numa das mangas em que participou e depois terminaria o fim-de-semana no 14º lugar, a apenas duas posições de um lugar nas semi-finais.

Fiquei ao mesmo tempo contente e desiludido, afirmou o piloto de Paredes, que no início da época tinha vencido logo na estreia nos Supercars, na ronda do Nacional em Lousada. Por um lado fiquei contente por andar no meio deles mas ao mesmo tempo fiquei algo desiludido ao constatar a diferença abismal que existe para as equipas do Mundial. O meu carro tem dois anos mas já está completamente ultrapassado em comparação com os Supercars do Mundial. O meu DS3 tem 580 cv enquanto os carros de topo têm mais 100cv! As suspensões também são outro ponto onde já houve uma evolução enorme e eu tinha muitas dificuldades em colocar a potência no chão. Depois há a questão dos meios pois aquilo são estruturas enormes, com dois a três camiões de assistência e engenheiros dedicados que, por exemplo, ajudam a colmatar a perda de potência devido à altitude da pista. Tenho pena de não termos outros patrocínios que nos permitam evoluir e, quem sabe, até disputar mais algumas provas no Mundial, referiu Mário Barbosa. Ainda assim, o piloto português chegou a conseguir um tempo mais rápido do que o britânico Liam Doran, vencedor desta prova de Montalegre em 2013.

 

Agora o piloto da Compincar vira-se para a segunda prova do Campeonato Nacional em Mação, onde vai descobrir uma pista onde nunca correu e tentar, ao mesmo tempo, introduzir algumas alterações no set-up do Citroën DS3 depois da experiência recolhida em Montalegre.

 

Scroll To Top