Sábado , Outubro 21 2017
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / McLaren M19A: História da F1 sobre rodas
McLaren M19A: História da F1 sobre rodas

McLaren M19A: História da F1 sobre rodas

 

 

Estamos a pouco mais de semana e meia do Estoril Classic Festival, que nos próximos dias 21 e 22 de Outubro trará de novo a Fórmula 1 a Portugal e alguns dos carros que fizeram história na categoria máxima do desporto automóvel, sendo o McLaren M19C um exemplo e mais um motivo para dar um salto ao “nosso Autódromo”.

 

O carro concebido por Ralph Bellamy foi responsável por colocar a equipa fundada por Bruce McLaren, então já desaparecido, definitivamente entre as grandes equipas de Grandes Prémios, assegurando à estrutura, então liderada por Teddy Mayer, diversos resultados de relevo.

 

Apesar de não ter a sofisticação do Lotus 72 ou de ter um dos pilotos de ponta da época aos seus comandos – então personificados por Jackie Stewart e Emerson Fittipaldi – o chassis de alumínio com estrutura em monocoque animado pelo venerável motor V8 Cosworth DFV – que este ano celebra os cinquenta anos da sua estreia – mostrou-se uma máquina competitiva pelas mãos de Peter Revson e Denny Hulme ao longo da maior parte da temporada de 1972.

 

Seria o herdeiro da fortuna da empresa de cosméticos Revlon a assegurar a primeira pole-position da história da McLaren, tendo beneficiado das características do M19C para o conseguir no Grande Prémio do Canadá. Por seu lado, o Campeão Mundial de 1967, depois da estreia novo carro da formação britânica no Grande Prémio do Mónaco, assegurou cinco pódios, terminando a temporada no terceiro lugar do Campeonato de Pilotos a vinte e dois pontos de Emerson Fittipaldi, que vencia o seu primeiro ceptro.

 

Mas não foi apenas no campo desportivo que o McLaren M19C marcou a história da formação fundada por Bruce McLaren a 2 de Setembro de 1963, dado que foi o primeiro carro da equipa a não ostentar o cor de laranja típico da equipa.

 

Já em plena “era do patrocínio”, que se iniciou em 1969, a McLaren foi das últimas escuderias a mudar a sua cor a favor de um acordo comercial, o que aconteceu precisamente com o modelo que poderá ser visto no Autódromo do Estoril nos próximos dias 21 e 22 de Outubro, quando foi assinado entre Teddy Mayer e a companhia de perfumes londrina Yardley válidos para 1972 e 1973.

 

Joaquin Folch-Rusinol estará no nosso autódromo – que celebra em 2017 os seus quarenta e cinco anos de existência – precisamente aos comandos de um destes históricos modelos que apesar de branco, para satisfazer as necessidades do seu patrocinador, exibia ainda flancos cor de laranja que Bruce McLaren, orgulhosamente, sempre fez questão de ter nos seus carros.

 

E se o McLaren M19C é um carro de grande simbolismo histórico, na verdade será apenas mais um num lote de cento e cinquenta bólides carregados de importância que estarão presentes no evento organizado pela Race Ready em parceria com a Câmara Municipal de Cascais. O monolugar de britânico poderá ser visto nas duas corridas de Fórmula 1 do programa, batendo-se com outras máquinas de elevado interesse.

 

 

Scroll To Top