Domingo , Julho 22 2018
ÚLTIMAS
Home / TODO-O-TERRENO / Muita competitividade nos trilhos do Caldeirão
Muita competitividade nos trilhos do Caldeirão

Muita competitividade nos trilhos do Caldeirão

 

A Praça da República recebeu a cerimónia de encerramento da edição de 2016 da Baja de Loulé-Alcoutim-Almôdovar, consagrando os vencedores que aceleraram pelos trilhos da Serra do Caldeirão, na prova elegível para os campeonatos nacionais de TT.

Desde muito cedo se percebeu que Miguel Barbosa, navegado por Miguel Ramalho no Mitsubishi Racing Lancer vinha para vencer. Sendo a segunda viatura em pista, fez uma prova ao ataque, e à passagem pelo primeiro controlo já liderava a prova. Mantendo um ritmo elevado foi gradualmente aumentando a sua vantagem, para somar a quinta vitória na prova algarvia. O seu mais direto adversário, João Ramos, na Toyota Hilux acompanhado por Vítor Jesus, entrou ao ataque com uma vitória no Prólogo, mas não conseguiu acompanhar o ritmo do adversário. Estes dois participantes foram prejudicados no final do 1º setor seletivo, quando apanharam um concorrente atrasado em pista que impediu a marcha normal. A fim de garantir o rigor desportivo, a organização optou por atribuir um tempo de referência (do 3º participante em pista) e repor a competitividade para o 2º Setor.  Aproveitando da melhor forma alguns percalços de João Ramos, a dupla Nuno Matos e Filipe Serra que estiveram próximos das viaturas da frente, levaram o Opel Mokka à 2ª posição final, relegando o piloto da Toyota para o último lugar do pódio. De referir a boa prova de Pedro Ferreira/Valter Cardoso, com o Amarok a suplantar os problemas de juventude que o assolaram no início do campeonato. César Sequeira e Tânia Sequeira (Isuzu) venceram entre os T2 e Adelino Oliveira/Ezequiel Fragoso (Mitsubishi) venceram entre os T8. De referir também que na competição reservada à Taça FPAK, que só fez o primeiro setor seletivo, os melhores foram Pedro Valério/Luís Bento (Nissan).

Nas motos Sebastian Buhler venceu pela primeira vez uma prova do CNTT aos comandos de uma Yamaha da classe TT1, depois de uma luta acesa com Gustavo Gaudêncio até ao final do primeiro setor seletivo, com o piloto ribatejano da Honda a sofrer alguns problemas e a perder o segundo posto no final para António Pereira (Yamaha), o melhor dos TT2, mas ainda assim a conseguir ser o melhor nos TT3. O vencedor entre os veteranos foi Sandro Carolino (KTM), na Promoção o melhor foi Tiago Santos (Suzuki) e Flávia Rolo (KTM) venceu entre as senhoras. A prova fica também marcada pela queda de António Maio no prólogo, que provocou lesões que impediram o campeão nacional de continuar no evento.

Nos quads Beto Borrego (Yamaha) voltou a impor a lei do mais rápido, com o piloto alentejano a manter a invencibilidade na temporada de 2016. Seguiram-se no pódio Arnaldo Martins (Suzuki) e Fábio Ferreira (Yamaha). Nota ainda para o 4º lugar do piloto de Monchique, José Nunes (Suzuki).

Na cada vez mais popular categoria dos UTV/Buggies, o vencedor foi o líder do campeonato, João Dias (Polaris), navegado por João Miranda, seguido de Ricardo Carvalho (Yamaha) e Pedro Santinho Mendes (Polaris). De referir que o primeiro líder foi o espanhol Roberto Viñaras que venceu o prólogo, e abria a pista mas desistiu após o primeiro controle de passagem.

A Baja de Loulé 2016 foi uma organização do Clube Automóvel do Algarve sob a égide da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting e da Federação de Motociclismo de Portugal, contando com o apoio dos municípios de Loulé, Alcoutim e Almodôvar, Solverde – Casinos do Algarve, Hydraplan e Acrimolde.

 

Scroll To Top