Segunda-feira , Maio 29 2017
ÚLTIMAS
Home / RALLYCROSS / Muito calor e animação no Ralicross de Mação
Muito calor e animação no Ralicross de Mação

Muito calor e animação no Ralicross de Mação

2ª Corrida de Qualificação

Super Iniciação

No início até parecia que Santinho Mendes (Peugeot 205) ia ter em Leandro Macedo um duro adversário, mas o VW Polo mais uma vez lhe pregava uma partida e a caixa traía as esperanças do jovem de Vila Real. Santinho voltou a ganhar e Rafael Rocha (Peugeot 106) voltou a ser segundo.

João Fonte Novo (Peugeot 106) terminou em terceiro, à frente de Leandro Macedo.

Super Nacional

Luís Moreira (BMW 325i) terminou a corrida na frente, bateu o segundo mais rápido, Celmo Guicho (Renault Clio) por meio segundo, em termos de contas da prova. Realce-se que Guicho foi o vencedor da serie A.

José Eduardo Queirós (Ford Escort) foi a oposição de Luís Moreira e isso valeu-lhe o terceiro lugar.

João Oliveira (Peugeot 206) foi quarto, à frente de Nuno Araújo (Peugeot 106) e de Sérgio Dias (Citroen Saxo).

Super 1600

Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600) venceu a serie A. Inicialmente Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600) andava pela frente. Bruno Gonçalves (Citroen Saxo S1600) andava por perto o mesmo fazia João Ribeiro (Citroen Saxo S1600).

Com o desenrolar  da corrida, a má sorte batia à porta do Fiesta de Mário Teixeira, uma saída larga, um toque na barreira e um mortal encarpado para a frente, punha-o fora de combate. João Ribeiro (Citroen Saxo S1600) não durava mais em prova.

Na serie B, Ricardo Soares só fez meia dúzia de metros depois de ver a transmissão do Citroen Saxo S1600 ceder.  Joaquim Machado e José Eduardo Rodrigues ficavam a discutir a prova, numa espécie de troféu Peugeot 206 S1600, em que Machado levava a melhor e feitas as contas foi o vencedor da corrida.

Após as duas primeiras corridas de qualificação, Bruno Gonçalves (Citroen Saxo S 1600) comanda a classificação geral.

Bruno Gonçalves (Citroen Saxo S1600), Bruno Gonçalves (Citroen C2 S1600) em segundo.

Super Cars

Joaquim Santos (Ford Focus Super Car) colocou-se na frente logo no início e depois ficou por lá até à bandeirada xadrez.

Dany Moreau parece que tem que ir à bruxa. Viu a roda traseira esquerda ser mais rápida do que o Renault Clio e a prova acabava aí.

Daniel Costa (Citroen Saxo Bimotor) é segundo e é o primeiro na Categoria Nacional. Ademar Pereira (BMW 325 Ix) era a concorrência, fechava com o terceiro posto da geral, segundo na Nacional.

1ª Corrida de Qualificação

Super Iniciação

Santinho Mendes (Peugeot 205) arrancou bem e logo na primeira curva, apesar de estar por fora, assumiu a liderança.  Dominou a prova “de fio a pavio” e nem mesmo os problemas de transmissão que sentiu no fim o impediram de ganhar.

Rafael Rocha (Peugeot 106) foi a oposição a Santinho e no final chegou mesmo a aproximar-se da traseira do 205, mas entretanto a bandeirada xadrez era mostrada e corrida terminava.

Leadro Macedo (VW Polo) mais uma vez esteve bem, mas o memso não se pode dizer da caixa de velocidades do carro alemão. Arrancou devagar, em terceira e foi gerindo a corrida, desde último até terceiro.

João Fonte Novo (Peugeot 106) teve uma “discussão” bem interessante primeiro com Lucas Simões (Peugeot 106), que entretanto desistia depois de um toque na barreira e depois com Leandro Macedo, que como já vimos levou a melhor. Novo foi quarto.

Super Nacional

Celmo Guicho (Renault Clio) venceu a primeira corrida. Foi o primeiro com uma vitória arrancada a ferros, em que após recuperar da ida à joker lap, não evitava um toque em Daniel Leal (Peugeot 106), que então comandava, apesar da pressão de Tiago Alexandre, que nas contas finais foi segundo.

João Oliveira (Peugeot 206) foi o vencedor a outra manga, que por ter sido cerca de 2,8 segundos mais lenta, lhe deu a terceira posição nas contas da corrida. Luís Moreira (BMW 325i) foi um forte opositor, provando que desde que o piso esteja seco, é possível “meter” os cavalos (da tracção traseira) no chão.

Arlindo Martins (Peugeot 306) e José Eduardo Queirós (Ford Escort) completaram os seis da frente.

Super 1600

Bruno Gonçalves (Citroen Saxo S1600) dominava a primeira manga da corrida e Ricardo Soares (Citroen Saxo S1600) afirmava-se como oposição.

Nas contas da S1600 Mário Teixeira é terceiro, depois de vencer a segunda manga da corrida. José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600) foi segundo na manga, depois de uma luta muito interessante com Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600). Em termos de classificação da corrida os homens dos Peugeots foram quarto e quinto respectivamente.

Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600) não partiu bem e teve que se defender do ataques de João Ribeiro (Citroen Saxo S1600). Foram respectivamente sexto e sétimo classificados.

Super Car

Dany Moreau (Renault Clio Super Car) arrancou na frente, com Joaquim Santos (Ford Focus Super Car) logo colado. Na discussão pela liderança um toque, aparente ocasional, entre os dois primeiros deixava Joaquim Santos na frente.

A sorte, ou melhor o azar, dos dois primeiros estava longe de estar selada. Mais um outro toque à mistura e ambos ficam a perder. Dany Moreau fica atravessado e recebe um embate forte de Vítor Lopes (BMW 325 Ix). O BMW já não seguia, Lopes tinha que ser assistido a uma lesão no pulso e o piloto do Clio só se aguentava mais umas centenas de metros em prova: o carro não estava em condições de seguir.

Joaquim Santos saia largo na curva que precede a recta da meta e dava um toque que lhe deixada o Ford completamente desalinhado.

Quem lucra com estes imbróglios é Daniel Costa (Citroen Saxo Bimotor), que ganha a corrida e é o primeiro na Categoria Nacional. Ademar Pereira (BMW 325 Ix) era a concorrência em ambas as frentes e em ambas as frentes era segundo.

Super Buggys

Ludgero Santos (Toniauto TNTT) venceu. Comandou a corrida desde o semáforo até à bandeirada final.

Nuno Neto (Toniauto TNTT) acabou em segundo. Terminou a dois segundos e meio do vencedor.

Lá mais para trás Paulo Godinho (PGRacing) e Manuel Guerreiro (Atmos Strong) discutiram o terceiro posto e o homem do PGRacing levou a melhor.

António Estevão (Bombardier Maverich) foi quinto à frente de Miguel Ferreira (Luna Sport).

Kartcross

Nuno Bastos (ASK EVO) concluiu a respectiva serie (a terceira) em 3m 15,440s e foi quem ficou na frente da classificação. Pedro Rosário ((Semog Bravo ER) tentou levar a melhor, mas terminou a 1,99s, tem igual classificação na geral. Sérgio Bandeira (Semog) foi terceiro, depois de ser terceiro nesta mesma serie.

Sérgio Castro (ASK 600) venceu a serie B. Inicialmente era dominada por José Mota, mas um toque fazia o homem da Transwite perder o primeiro posto e pouco depois o segundo. Nas contas da geral, Castro foi quarto.

Jorge Gonzaga (ASK 600) fechou com o quinto posto, à frente de Luís Caseiro (ASK 600).

José Luís Pereira (AG Sport) comandou a primeira serie, mas um pião já quase no final da serie relegou-o para posições secundárias.

Treinos

Super Buggys

Ludgero Santos (Toniauto TNTT) foi o mais rápido nas contas das duas sessões de treinos, tendo feito a melhor volta em 38,793s. Dessa forma foi 1,74s mais rápido do que Nuno Neto (Toniauto TNTT).

Bruno Branco (Atmos Strong) foi o terceiro mais rápido com mais 2,9s e Paulo Godinho (PGRacing) atingiu a terceira melhor marca.  Manuel Guerreiro (Atmos Strong), Arménio Rodrigues (Atmos Strong) e Miguel Ferreira (Luna Sport) seguiram-nos por esta ordem.

Kartcross

Mais uma sessão de treinos, que espelha bem como as provas de kartcross são disputadas.  Posições discutidas à milésima e um segundo a separar os 14 mais rápidos (!), é o cômputo da sessão, em que José Luís Pereira (AG Sport) foi o mais rápido.

Sérgio Castro (ASK 600) rodou a 51 milésimas, na volta mais rápida, e foi segundo. A Pedro Rosário (Semog Bravo ER) faltaram duas décimas para ser primeiro e Mário Rato foi uma décima mais rápido do que o Campeão em título. Nuno Bastos (ASK EVO) e Jorge Francisco (Semog Bravo SE) completaram o grupo dos seis da frente, com meio segundo a ser a diferença que separa a primeira meia-dúzia dos kartcross.

 

Scroll To Top