Domingo , Outubro 21 2018
ÚLTIMAS
Home / RALI / Novidades para o Ralicross em 2016 (por Rodrigo Vasconcelos)
Novidades para  o Ralicross em 2016 (por Rodrigo Vasconcelos)

Novidades para o Ralicross em 2016 (por Rodrigo Vasconcelos)

São várias, e boas, as novidades quanto às regras de Ralicross, para o próximo ano, segundo foi anunciado no Ralicross de Lousada, o que estará prestes a confirmar-se.

 
Em 2016, as regras desportivas irão ser, em quase tudo, idênticas às dos Campeonatos do Mundo e da Europa de Ralicross. Aliás, indo de encontro aos desejos da esmagadora maioria dos pilotos de Ralicross.
Passará a haver duas sessões de treinos livres, nas quais cada piloto poderá entrar em pista várias vezes, de forma a reconhecer o traçado ou conseguir a melhor afinação para o seu carro. Acabam os treinos oficiais, tal como aconteceu há uns tempos, no Mundial
Depois, a prova terá quatro mangas de qualificação, duas meias-finais e finais.
Nas mangas, os carros serão divididas por séries, em que correrão cinco carros em cada, com as partidas a serem em linha, e não em grelha, como acontecia este ano.
Deverá haver atribuição de pontos para o Campeonato, tanto na classificação após mangas, como na classificação final.
Em traços gerais, são estes os pontos que irão sofrer uma forte remodelação, ficando os novos regulamentos em quase tudo iguais, ao que se faz lá fora. Não só nos Europeu e Mundial, como nos outros países onde há provas de Ralicross.
Quanto ao calendário, este será composto por oito provas. Sete delas, pontuarão para os Campeonatos de Ralicross e de Kartcross. A outra, será uma Taça de Portugal de Ralicross e Kartcross, que irá ser uma grande festa, em final de temporada.
Relativamente aos Regulamentos Técnicos, também deverão acontecer alterações. Algumas categorias poderão vir a ser mais abrangentes, quanto às viaturas que nelas poderão correr, enquanto outras deverão passar a ser mais limitativas, no que respeita ao nível de preparações. Uma destas, é o caso do Campeonato de Iniciação.
A terminar e face ao que referimos, sobre os regulamentos desportivos, parece-nos que deveria passar a ser obrigatório que, em todas as jornadas, a cronometragem funcionasse por “transponders”.

 

Scroll To Top