Sábado , Dezembro 16 2017
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Nuno Santos só faltou a vitória para uma ronda perfeita no Estoril
Nuno Santos só faltou a vitória para uma ronda perfeita no Estoril

Nuno Santos só faltou a vitória para uma ronda perfeita no Estoril

Quatro pódios a fechar um intenso fim-de-semana de corridas

O final de temporada de Nuno Santos foi tudo menos aborrecido. Intensidade, lutas renhidas e muitas corridas. Este é o resumo mais simples da jornada do piloto no Estoril Racing Festival. Quatro lugares no pódio em outras tantas corridas é o balanço rico que só não foi perfeito porque faltou uma vitória. Ainda assim, chegou para que o seu companheiro de equipa no Super Seven by Kia vencesse a competição.

 

Concentrado nas corridas do Super Seven by Kia, em que tinha como principal objectivo ajudar Hugo Araújo a vencer e lutar pela vitória nas corridas, Nuno Santos não começou esta jornada da melhor maneira. “Fizemos a qualificação com todos os carros em pista, os R300 e os 1600. Havia imenso tráfego. Ainda tentei, mas não consegui uma única volta limpa”, lamentou o piloto que, assim, não conseguiu fazer um tempo que lhe garantisse um lugar entre os primeiros.

Já em dia de corridas, Nuno Santos começou por alcançar o terceiro lugar na prova do Troféu Mini. “É muito divertido. No início senti algumas dificuldades, mas a partir da terceira volta comecei a ser mais rápido e recuperei algumas posições que tinha perdido na primeira fase. Tive um duelo extremamente interessante com o Francisco Guedes”, afirmou.

Sem tempo para descansar, Nuno Santos deixou o Mini e saltou para o seu Super Seven R300. E nesse confronto conseguiu novo terceiro lugar. “Senti que o carro estava bom, mas houve um acidente que embrulhou tudo. Ainda tive algumas guerras com pilotos ingleses, mas optei, a determinada altura, poupar para a última corrida”, explicou.

Para terminar, Nuno Santos ainda foi mais duas vezes para a pista. Na primeira, fez a segunda parte da corrida de resistência do Super Seven by Kia e selou a vitória de Hugo Araújo na competição. “Não puxei muito. O Hugo estava a discutir o troféu e a minha preocupação foi gerir para que tudo corresse bem.”

No final, o piloto ainda disputou as duas horas de resistência com o Mini, numa equipa com Hugo Araújo, Manuel Cabica e Daniel Esteves. Para não variar, o terceiro lugar foi o resultado alcançado. “Foi uma prova muito gira. Tínhamos tudo para ganhar. Mas após uma situação de safety-car, não fizemos a melhor gestão de corrida e acabámos no último lugar do pódio”, concluiu.

 

Scroll To Top