Sexta-feira , Setembro 22 2017
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / O ADEUS DA CITROËN AO FIA WTCC APÓS TRÊS TÍTULOS MUNDIAIS
O ADEUS DA CITROËN AO FIA WTCC APÓS TRÊS TÍTULOS MUNDIAIS

O ADEUS DA CITROËN AO FIA WTCC APÓS TRÊS TÍTULOS MUNDIAIS

Disputada no Qatar, a final do Campeonato FIA WTCC 2016 marcou, igualmente, o termo do programa da Citroën Racing nesta disciplina, evento onde a Citroën conquistou a sua 50ª vitória em três temporadas. Na sua despedida do desporto automóvel ao mais alto nível, Yvan Muller garantiu o 2º lugar do Campeonato do Mundo, atrás do seu colega de equipa José María López. A Citroën concluiu, assim, esta sua aventura nas pistas com 3 títulos consecutivos de Campeã do Mundo.

 

Foi preciso esperar pelo início da tarde de sábado para que o Circuito Internacional de Losail começasse a animar-se com o programa do WTCC, que, sem a habitual sessão de reconhecimento, viu os pilotos lançarem-se diretamente para as Qualificações.

José María López desferiu, logo desde a Q1, um enorme golpe ao registar o melhor tempo em 1m59,788s, sendo um segundo mais rápido do que a sua pole position de 2015! Na Q2, Yvan Muller e Pechito López posicionaram-se de imediato nos dois primeiros lugares, antes de uma bandeira vermelha interromper a sessão. No reatar, López conseguiu baixar, de novo, a barreira dos 2 minutos, realizando o melhor tempo, na frente de Muller.

O desenrolar da Q3 revelou-se algo incaraterístico. Mehdi Bennani, o primeiro a ir para a pista, estabeleceu o tempo de referência, para, logo a seguir, Norbert Michelisz sair de pista, provocando uma longa interrupção da sessão. Uma vez reiniciada, Yvan Muller e José María López pareciam bem lançados nas suas tentativas, mas ambos fizeram o mesmo erro na mesma curva! Os décimos de segundo perdidos traduziram-se no 3º melhor tempo para o argentino e no 4º para o francês, pelo que foi Bennani quem assinou a 31ª pole position do Citroën C-Elysée WTCC!

Minutos mais tarde, a equipa SLR fazia alinhar os seus três pilotos para representar a Citroën na Qualificação MAC3. Sem cometerem erros, Bennani, Chilton e Demoustier garantiram o máximo de pontos para o Campeoonato de Construtores.

 

A partida para a corrida de abertura foi dada pelas 21h20, quando a noite tinha há muito caído no Médio Oriente. Com o 10º melhor tempo na qualificação, Tom Chilton ocupava a pole position na greha invertida, com Gabriele Tarquini a seu lado. Quando os semáforos se apagaram, Chilton assumiu o comando, enquanto Yvan Muller subiu ao 5º lugar. No meio do pelotão, as coisas não correram tão bem a José María López, empurrado por Tiago Monteiro. O português ficou na escapatória e o safety car entrou em cena, antes da corrida se ver interrompida pela bandeira vermelha.

Uma vez a pista limpa, a corrida foi reatada, com Tom Chilton a alargar a trajetória na primeira curva e Tarquini a aproveitar para o passar! Um pouco mais atrás, Yvan Muller ganhou uma posição e ascendeu ao 4º lugar. A bandeira de xadrez viu Tarquini vencer a corrida de abertura, na frente de Chilton, Huff e Muller. Após uma bela recuperação, Pechito López classificou-se em 9º lugar.

O repair time permitiu aos mecânicos repararem as carroçarias antes da derradeira corrida do ano. Na partida, Mehdi Bennani aproveitou a sua pole position para fazer na frente a primeira curva, à frente de José María López! Logo atrás vinha Thed Björk, com Yvan Muller a conservar o seu 4º lugar.

Mas uma vez mais o pelotão se mostrou algo turbulento e o safety car regressou à pista após somente uma volta. Algumas gotas de chuva começaram a molhar os para-brisas, mas nada que parecesse indicar a necessidade de colocar pneus de chuva. Pouco após o reatar da corrida, Yvan Muller perdeu o seu 4º lugar ao seu passado, de forma viril, por Norbert Michelisz. Algumas voltas mais tarde, foi a vez de Pechito López conceder uma posição a Björk.

Bennani, Björk, López, Micheliaz, Muller: a ordem parecia estabelecida até ao final da corrida. Contudo, a algumas curvas do fim, Tiago Monteiro levou a melhor sobre o seu rival e amigo Yvan Muller. O essencial estava, porém, feito para Yvan, que colocou um ponto final na sua magnífica carreira, pontuada por 4 títulos mundiais no FIA WTCC e todos os recordes da disciplina. No seu regresso ao pit lane, foi longamente aplaudido pelos elementos da equipa Citroën Total. Os oilhos vermelhos traduziam toda a sentida por cada um, neste momento único na história do automóvel.

 

 

AS ESTATISTICAS DA CITROËN NO WTCC (2014-2016)

– 35 jornadas e 69 corridas disputadas

– 31 pole positions (89%): 21 para José María López, 8 para Yvan Muller e 1 para Sébastien Loeb e para Mehdi Bennani

– 308 partidas: 69 para José María López, 68 para Yvan Muller, 47 para Sébastien Loeb, 46 para Mehdi Bennani, 34 para Ma Qiing Hua, 22 para Tom Chilton e para Grégoire Demoustier

– 50 vitórias (70%): 21 para José María López, 11 para Yvan Muller, 6 para Sébastien Loeb, 2 para Ma Qing Hua e Mehdi Bennani e 1 para Tom Chilton

– 45 melhores voltas em corrida (65%): 26 para José María López, 8 para Yvan Muller, 7 para Sébastien Loeb, 2 para Ma Qing Hua e 1 para Mehdi Bennani e para Tom Chilton

– 119 pódios (57%): 47 para José María López, 34 para Yvan Muller, 20 para Sébastien Loeb, 8 para Ma Qing Hua, 5 para Mehdi Bennani e para Tom Chilton

– 246 chegadas no lugares pontuáveis (80%)

– 3736 pontos marcados no Campeonato do Mundo de Pilotos

– 3029 pontos marcados no Campeonato do Mundo de Construtores

 

 

O QUE ELES DISSERAM…

 

Yves Matton (Diretor da Citroën Racing): «Esta foi a última aparicção da ‘Armada Vermelha’ no FIA WTCC. Quero agradecer a cada um dos elementos da equip, pela sua dedicação, pelo seu permanente empenho e pela sua enorme vontade de levantar mais alto as cores da Citroën nesta disciplina que estávamos a descobrir. Retenho dois números para ilustrar os pontos fortes da Citroën Racing: 89% das ‘pole positions’ e 72% das vitórias em 3 temporadas. Agradeço, igualmente, ao José María López e ao Yvan Muller. Tive a sorte de trabalhar com estes grandes Campeões, que são também grandes Homens. Não posso deixar de pensar no Sébastien Loeb e no Ma Qing Hua, para os juntar a este grupo, no que significará para mim uma enorme aventura humana.»

 

José María López (Citroën C-Elysée WTCC No. 37): «Esta não foi uma última corrida fácil para nós! Uma boa parte do resultado jogou-se nas Qualificações. Ficámos com a sensação de que um parámetro da pista se alterou durante a longa interrupção. Seja como for, sentimo-nos orgulhosos do que conseguimos em conjunto. Esta noite não pensei realmente em mim, mas no Yvan. Agradeço-lhe por tudo o que me ensinou, aprendi muito com ele e sinto um respeito imenso. Decidiu abandonar o desporto automóvel quando estava no topo e desejo-lhe o melhor na sua nova vida.»

 

Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC No. 68): «São muitos os sentimentos que se misturam na minha cabeça, sobretudo depois das palavras do Pechito e da celebração da equipa. Não tomei uma decisão fácil pelo que este é um momento emocionante para mim. Tudo tem m fim e sinto-me feliz por sair agora, rodeado por todos eetes adversários. As nossas lutas foram por vezes duras, mas houve sempre respeito entre todos e é por isso que adoro este desporto. Reina agora a alegria pois tenho ainda muito a fazer com a minha equipa, o desenvolvimento de jovens pilotos e a minha familia. Não me vai faltar o que fazer!»

 

 

 

CLASSIFICAÇÕES           


CORRIDA DE ABERTURA

1º      Gabriele Tarquini (Lada Vesta WTCC)

2º      Tom Chilton (Citroën C-Elysée WTCC)

3º      Rob Huff (Honda Civic WTCC)

4º      Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)

5º      Norbert Miichelisz (Honda Civic WTCC)

(…)

9º      José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

(…)

15º    Grégoire Demustier (Citroën C-Elysée WTTC)

16º    Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

(…)
Melhor volta – Gabriele Tarquini, em 2m01,760s

CORRIDA PRINCIPAL

1º      Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

2º      Thed Björk (Volvo S60 WTCC)

3º      José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

4º      Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)

5º      Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)

6º      Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)

(…)

12º    Grégoire Demoustier (Citroën C-Elysée WTCC)

(…)

Melhor volta – Nick Catsburg, 2m02,550s


 

CAMPEONATO DO MUNDO FIA WTCC 2016

PILOTOS                                                      CONSTRUTORES

1º          José María López, 381 pts                              1º      Citroën, 957 pts

2º          Yvan Muller, 257                                            2º      Honda, 675

2º          Tiago Monteiro, 214                                         3º      Lada, 536

4º          Norbert Michelisz, 212                                     4º      Volvo, 321

5º          Mehdi Bennani, 206

6º          Rob Huff, 200

7º          Nick Catsburg, 175

8º          Tom Chilton, 163

(…)

16º        Grégoire Demoustier, 11

(…)

 

Scroll To Top