Quinta-feira , Novembro 15 2018
ÚLTIMAS
Home / MOTOS / Paulo Gonçalves conquista fantástico 2.º lugar no pódio final do Dakar 2015
Paulo Gonçalves conquista fantástico 2.º lugar no pódio final do Dakar 2015

Paulo Gonçalves conquista fantástico 2.º lugar no pódio final do Dakar 2015

 

Piloto português cumpre sonho de subir ao pódio final da mais importante prova de Todo-o-Terreno do mundo

Paulo Gonçalves está no pódio final do Dakar 2015. O piloto português conseguiu fechar o somatório das treze etapas na segunda posição final, depois de mais um animado duelo contra o espanhol Marc Coma, vencedor agora por cinco ocasiões da mítica prova de Todo-o-Terreno mundial.

A última etapa da 37.ª edição do Rali Dakar terminou em Buenos Aires, depois de uma “especial” cronometrada que contava inicialmente 174 quilómetros mas que a organização acabou por encurtar para metade devido às más condições do percurso. Paulo Gonçalves apostou as últimas fichas nos últimos quilómetros para segurar o segundo lugar final e espreitar o lugar mais alto do pódio final, uma vez mais entregue a Marc Coma, que à semelhança das temporadas de 2013 e 2014 do Campeonato do Mundo de Ralis Todo-o-Terreno, disputou o título até ao último instante com o piloto português.

“Devo estar contente com o meu segundo lugar, foi um lugar muito disputado. Comecei o rali precisamente aqui com a segunda posição e mantive-me segundo, terceiro, todo o rali. Houve uma altura da corrida que fiquei na luta com o Marc [Coma], mas depois com o problema no motor e os quinze minutos de penalização acabei por praticamente ficar fora dessa luta”, afirmou Paulo Gonçalves na chegada a Buenos Aires.

Integrando a linha da frente da equipa HRC no Dakar 2015, Paulo Gonçalves e Joan Barreda impuseram desde o início da competição, a 4 de Janeiro, em Buenos Aires, um ritmo notável e mantiveram-se praticamente toda a corrida no “pódio” das etapas, com destaque para a liderança de Barreda até ao oitavo dia de prova, altura em que surgiram os inquietantes problemas no Salar de Uyuni, na Bolívia, que vitimou grande parte da caravana de participantes.

“A equipa HRC fez um trabalho fantástico, o [Joan] Barreda neste momento poderia estar aqui certamente a comemorar um grande resultado, mas infelizmente a Bolívia este ano foi um bocado desgastante para a nossa equipa, pois perdemos lá praticamente dois pilotos, o Hélder [Rodrigues] e o Barreda, em termos de classificação”, continuou.

Apesar de ter conseguido uma prova de regularidade, com apenas três etapas fora do “Top 5” e seis no pódio final, incluindo uma vitória, Paulo Gonçalves conseguiu ser o mais rápido no terreno no conjunto das treze etapas, por margem de sete segundos de vantagem para Marc Coma, mas graças um conjunto de 17min de penalizações (15min por troca de motor e 2min por excesso de velocidade numa zona limitada), o piloto de Esposende acabou por ser o segundo classificado na tabela geral final a 16min53s da desejada vitória.

No balanço final, aparte dos contratempos na segunda etapa maratona, Paulo Gonçalves mostrou-se naturalmente satisfeito com o resultado e, especialmente, com todo o trabalho da equipa HRC em prol do mesmo.

“Na segunda etapa maratona perdemos o Jeremias [Israel] que cedeu o seu motor e fez com que eu estivesse aqui hoje a celebrar o segundo lugar no rali, por isso tenho de estar contente por mim, pelo trabalho da equipa HRC, acho que tenho os melhores colegas de equipa do mundo, obrigado Barreda, obrigado Hélder Rodrigues, obrigado Jeremias Israel, se não fossem eles possivelmente eu não estaria aqui hoje a celebrar, tivemos aquele problema na etapa maratona e eles foram decisivos para que eu pudesse continuar em prova”, concluiu o piloto de Esposende.

Paulo Gonçalves conquista assim o quarto pódio para Portugal no Rali Dakar, depois dos terceiros lugares de Hélder Rodrigues em 2011 e 2012 e do segundo lugar de Ruben Faria na edição de 2013 da prova.

A chegada de Paulo Gonçalves a Portugal está prevista para a próxima Segunda-Feira, 19 de Janeiro, pelas 16h35, ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, num voo proveniente de Madrid.

 

Scroll To Top