Quinta-feira , Dezembro 14 2017
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / PAULO SOUSA EM GRANDE PLANO NO REGRESSO DO SONETT
PAULO SOUSA EM GRANDE PLANO NO REGRESSO DO SONETT

PAULO SOUSA EM GRANDE PLANO NO REGRESSO DO SONETT

 

 

28 a 30 de Outubro decorreu o Algarve Historic Festival.

Para terem uma ideia sobre o evento: http://algarveclassicfestival.com/

Eu e o Sonett estivemos como reserva para a prova de Historic Endurance até terça-feira ao fim do dia. Altura em que recebi um telefonema do Diogo Ferrão (promotor) a dizer-me que, face a uma desistência, tinha acabado de entrar na grelha.

Mal ele sabia que o motor também só tinha ficado OK umas horas antes e que no dia seguinte ainda ia dar três voltas a Braga para confirmar.

Depois do acidente de Vila Real a equipa apontou o regresso para os 250 Km do Estoril, no final de Novembro. À medida que a coisa foi evoluindo acreditamos que seria possível alinhar no Algarve. Não contávamos era que o motor nos pregasse o susto que pregou e só nos tivesse dado o sinal final de OK no dia anterior à viagem.

Como sempre só foi possível ter o carro pronto a tempo porque o meu chefe de equipa, Marco Moreira, veste a camisola e sofre como mais ninguém. Sempre secundado pelo Domingos Laranjeira e com o apoio e ajuda do Teófilo Tuna.

Como o estouro foi grande, toda a equipa da Auto Leixonense se dedicou ao máximo, desta vez com uma ajuda especifica para a reconstrução da fibra: Sr. Zito. Recomendo. Excelente qualidade e bom preço.

Sexta-feira fizemos os treinos crono. O Sonett nunca tinha rolado em Portimão e quando após três paragens para mexer no set-up já o sentia mais a meu gosto, os treinos terminaram. P28 em 48 participantes. Vejam o calibre dos colegas de grelha nas classificações.

Percebi que tinha um problema na esquerda mais fechada, em frente à bancada do padock (a curva que mais gostei o ano passado com o 1.200). Em 2ª saía muito lento, em primeira não avançava. Passei o fim de semana a tentar melhorar a abordagem, já que as relações são todas únicas e as mesmas para todos os circuitos. Tinha que entrar muito mais devagar para começar a acelerar mais cedo. Achei muito mais difícil andar devagar do que rápido.

Sábado e Domingo o HE tinha uma corrida de 50 minutos. O Historic Endurance é uma competição com corridas muito diferentes do Campeonato Nacional de Clássicos: http://www.historicendurance.com/home.

Em ambas as largadas fui muito mais cauteloso que o costume: “síndrome Vila Real”.

Sábado  larguei de P28 e cheguei em P28 e muito frustrado. Sabia depois dos treinos que podia melhorar e evoluir na classificação. Só que o safety car saiu numa altura em que a janela de tempo para a paragem obrigatória ainda não se encontrava aberta. Até aqui tudo bem. Só que em vez de conseguir aproveitar para me juntar aos da frente fiquei retido, na companhia do big For Falcon, atrás de um carro muito lento. Não perdi tempo, perdi uma eternidade e refletiu-se na classificação.

Nota positiva: o Sonett rolou como um herói o que me dava tranquilidade para a corrida de Domingo.

Domingo larguei de 28º e na primeira volta perdi algumas posições (o tal síndrome…). A partir daí comecei a rolar com confiança, a divertir-me com as ultrapassagens e a subir na classificação.

A paragem obrigatória correu na perfeição e, no fim, P16 na geral, 6º nos H-76 e penso que bem na classificação do índex de performance que ainda não saiu. No meio dos fab 48.

Senti a P16 como uma vitória.

Grandes responsáveis: toda a equipa que contribuiu para que o carro ficasse pronto a tempo, com o Marco no comando.

No Algarve esteve o Marco, o Domingos e uma equipa de luxo para a cronometragem das paragens: os meus dois filhos mais velhos, João Diogo e Marta João.

Foi um fim de semana de regresso muito feliz, numas corridas com um ambiente fantástico e muitíssimo bem organizadas e “controladas” pelo Diogo Ferrão.

Historic Endurance 4ever.

Obrigado ao Marco; ao Mingos; ao Té; a toda a equipa da Auto Leixonense; ao Sr. Zito; ao Diogo e à Martinha.

Obrigado à DRT-Group; à YouniK; à Casa dos Limos Verdes; à Prediconforto e à Beira Douro Cafés.

Um obrigado sempre especial à Sónia Calado e ao Valdemar Duarte.

Voltamos no último fim de semana de Novembro nos 250 Km do Estoril. A minha prova preferida e da equipa também.

Esperemos que chova!!

 

Scroll To Top