Segunda-feira , Maio 21 2018
ÚLTIMAS
Home / TODO-O-TERRENO / Pedro Ferreira em destaque nas 24 Horas TT de Fronteira
Pedro Ferreira em destaque nas 24 Horas TT de Fronteira

Pedro Ferreira em destaque nas 24 Horas TT de Fronteira

Jovem piloto nortenho encerrou em Fronteira ciclo brilhante de iniciação

Pedro Ferreira aos comandos do Depieres Proto de duas rodas motrizes, por si utilizado ao longo da temporada 2015, teve uma participação muito positiva nas 24 Horas TT Vila de Fronteira onde partilhou os comandos da máquina construída por Fernando Santos com Nuno Madeira, Paulo Oliveira e Pedro Silva.

A equipa obteve o 17º tempo nos treinos cronometrados, o que correspondeu a uma muito interessante sexta posição entre as equipas portuguesas. De salientar que no ano passado aos comandos desta mesma máquina e fazendo equipa, entre outros, com Hélder Oliveira, o jovem Pedro Ferreira fazia então a sua segunda corrida na modalidade depois de uma primeira experiência nesta mesma prova em 2012. De então para cá a evolução foi notória e os tempos por volta baixaram na casa dos três minutos.

Tendo a seu lado o experiente Luís Ramalho, coube a Pedro Ferreira fazer o arranque. À passagem da 2ª hora e pouco tempo antes de terminar o seu primeiro turno de condução Pedro Ferreira colocava o Depieres Proto na 8ª posição absoluta e terceiro entre os portugueses. Com 9 horas de corrida a equipa chega ao 6º lugar absoluto e segundo dos portugueses, tendo conseguido ainda ascender à liderança. Durante a noite um problema com um fio de massa que se desligou obrigou o carro a parar e, mais do que isso, forçou a equipa a uma longa paragem para detetar a origem do problema, o que só aconteceu uma hora e meia depois. Apesar de tudo, o piloto fazia, no final da prova, um balanço muito positivo:

“O balanço que faço desta prova é o melhor possível. Aliás, a partir do momento em que conseguimos terminar uma prova tão dura é sempre positivo. As condições climatéricas este ano ajudaram bastante porque o tempo seco é sempre mais favorável para o nosso carro que tem apenas duas rodas motrizes. Apesar de tudo fica um certo sentimento agridoce porque estávamos em quarto lugar entre as equipas portuguesas quando tivemos um problema mecânico que demorou muito tempo a resolver e nos tirou a posição. No entanto, terminámos e isso já é bastante bom. Penso que foi a melhor forma de terminar aquela que foi a minha primeira temporada no todo-o-terreno. A minha evolução foi notória, aprendi muito ao longo desta época e penso que estou preparado para enfrentar novos desafios”, salientou Pedro Ferreira.

 

Scroll To Top