Segunda-feira , Setembro 24 2018
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Pedro Salvador sagra-se campeão na Montanha!
Pedro Salvador sagra-se campeão na Montanha!

Pedro Salvador sagra-se campeão na Montanha!

 

 

Teve um final brilhante o Campeonato Nacional de Montanha Valvoline 2016, com a vitória de Pedro Salvador na Rampa de Boticas com o seu Norma M20FC. O piloto flaviense mostrou-se implacável este Domingo, garantindo o triunfo absoluto e na Categoria 1 com o tempo total de 3:54s925, conseguindo desta forma chegar ao título de Campeão 2016.

A luta pelo título absoluto prolongou-se até aos derradeiros metros da prova organizada pela Demoporto, com o imprescindível apoio da Câmara Municipal de Boticas, que não regateou esforços, para proporcionar aos pilotos as melhores condições para competir nesta bonita terra transmontana, num fim-de-semana em que o bom tempo contribui, para o espectáculo proporcionado ao público presente.

“Estou naturalmente muito feliz por este triunfo e por estes títulos. Foi extremamente difícil vencer, já que tive de me aplicar ao máximo para bater o Rui, que esteve muito bem e a quem dou os meus parabéns. Ontem não tivemos um bom dia, com um problema ao nível do jogo de pneus novos que utilizamos e a algumas coisas que correram menos. Mas hoje demos o tudo por tudo, tanto a equipa como eu, e foi possível chegar ao triunfo. O facto de termos faltado a duas provas, deixava-nos com a necessidade absoluta de vencer aqui em Boticas e foi com muita vontade e a arriscar um pouco, que conseguimos este resultado conquistado perto do local onde nasci, o que torna tudo ainda mais gratificante.” Disse Pedro Salvador.

Rui Ramalho em Osella PA21S Evo deu uma excelente réplica a Salvador, mas no final teve de se contentar com a segunda posição final, na frente de Paulo Ramalho em Juno CN09, pilotos que completaram o pódio. Nuno Guimarães, António Barros e Joaquim Rino, todos em BRC terminaram por esta ordem nas posições seguintes.

Muita emoção na Categoria 2, uma das que estava ainda em aberto no que concerne à atribuição do titulo. Com uma actuação brilhante, José Correia levou o espectacular Nissan GT-R GT3 ao triunfo, subindo pela primeira vez este ano ao lugar mais alto do pódio, com o tempo final de 4:19s432. Na segunda posição ficou Gonçalo Manahu em Porsche 997 GT3 Cup, que acabou por garantir os pontos necessários para garantir os louros de campeão. Também candidato ao título, Edgar Reis (Porsche 997 GT3 Cup) foi o terceiro.

“Foi difícil, mas finalmente consegui a primeira vitória do ano. A minha adaptação a um carro pouco adequado a provas de montanha e muito potente, foi complicada e por isso os resultados demoraram a aparecer. Esta era uma rampa que se ajustava na perfeição ao meu carro e por isso dei o meu melhor, que felizmente foi suficiente para ganhar.“ Referiu José Correia.

“É uma sensação excelente ser campeão na montanha e logo no meu ano de estreia. Foi uma luta até ao último momento o que torna ainda mais saboroso este título. Gostei muito desta rampa, que me deu muito gozo disputar e onde lutei até ao final pela vitória. Não foi possível vencer, mas o resultado foi suficiente para chegar ao título, que era o objectivo principal.” Sintetizou Gonçalo Manahu.

Na Categoria 3 a vitória pertenceu a Manuel Correia em Ford Fiesta R5, que dominou por completo ao vencer em todas a subidas, para finalizar a prova com o tempo total de 4:34s437. Com este resultado Correia sagrou-se campeão, ultrapassando o até aqui líder Luis Silva, ausente nesta prova. Tiago Silva em BMW E30 e Jorge Meira em Citroen Saxo Cup, completaram o pódio nesta categoria.

“Foi um campeonato excelente e que me deu muito gozo vencer. Nesta prova em Boticas não tive grande oposição e por isso foi uma vitória fácil, mas ainda assim muito importante dado que precisava desta pontuação, depois de falhar uma prova a meio do ano. Tenho pena que o Luis Silva não tenha estado presente, teria sido uma luta certamente interessante. Cumpri os objectivos para a época e por isso termino o ano da melhor forma.” Referiu Manuel Correia.

Sem pressões e com objectivos concretos de terminar o campeonato com um triunfo, o já coroado campeão da Categoria 4, Luis Nunes, foi mais uma vez rei e senhor nesta competição, que completou com a marca final de 4:29s045. José Cerqueira em SEAT Leon MKI foi o segundo classificado.

“Objectivos cumpridos para esta rampa com a vitória e bons tempos à geral. Já não havia nada em jogo, pelo que para esta prova queria essencialmente dar visibilidade aos meus patrocinadores e ficar a conhecer o traçado. Correu tudo muito bem e por isso estou satisfeito.” Adiantou Luis Nunes.

Dominador desde a primeira subida, José Silvino Pires levou o seu Ford Escort MKI ao triunfo final na Categoria 5 em Boticas, realizando o tempo total de 4:46s532. No entanto o interesse maior no que diz respeito a esta categoria, centrou-se na luta entre os pilotos inscritos no campeonato, com o segundo lugar conseguido a representar a vitória ao Porsche 911 SC de Carlos Oliveira.

O sexto lugar final foi suficiente para Pedro Cerqueira BMW E30 garantir o título, ele que teve um acidente na segunda subida de prova, completando o evento a muito custo com uma subida final muito lenta.

“Foi com alguma sorte que consegui chegar ao título, já que tive um despiste que quase me arruinou a prova. Completei a última subida muito a custo e só para conseguir pontuar o que consegui e por isso estou muito feliz depois de um ano difícil.” Disse Pedro Cerqueira.

Pedro Couceiro em Opel 1904 SR foi terceiro, seguido por Parcidio Summavielle em Datsun 240 Z e José Conceição em BMW 325i.

Numa luta a sós contra o cronómetro, Martine Pereira triunfou na Categoria 6, com o piloto do Lola T70 subir ao segundo lugar final do campeonato atrás de Hélder Silva, piloto já consagrado campeão e que esteve ausente nesta prova.

“Não tive adversário e por isso foi uma luta contra mim próprio e contra o carro, que não é nada adequado a este tipo de provas e por isso será o último ano que faz. Estou satisfeito com a prova que fiz aqui em Boticas e por este resultado, me permitir subir ao segundo lugar do campeonato.” Disse Martine Pereira.

Na Taça Nacional de Montanha, depois de mostrar que dificilmente seria batido ao longo do fim-de-semana, Leonel Brás não escapou a um susto na segunda subida de prova que não completou devido a uma avaria no seu Citroen Ax Sport. Esta situação quase deitava tudo a perder, mas Brás acabou garantir o triunfo na derradeira subida de prova, registando um tempo total de 5:40s023. Roberto Meira em Fiat Punto Sport foi o segundo classificado, garantindo o título nesta competição.

“Foi uma no positivo com o triunfo a ser uma justa recompensa para mim e para toda a equipa”. Referiu Roberto Meira.

Na Taça Nacional de Clássicos Montanha, Domingos Fernandes levou o seu Autobianchi A112 até ao final para ficar o tempo total de 6:43s018. Fernandes sagou-se campeão nesta Taça reservada aos automóveis clássicos.

“Estou muito satisfeito pelo título, tive alguns contratempos ao longo do ano mas isso não me impediu de chegar aos objectivos.“ Disse Domingos Fernandes.

 

 

Scroll To Top