Segunda-feira , Outubro 23 2017
ÚLTIMAS
Home / RALI / Ricardo Moura conquista pela terceira vez o Rallye Vidreiro Centro de Portugal
Ricardo Moura conquista pela terceira vez  o Rallye Vidreiro Centro de Portugal

Ricardo Moura conquista pela terceira vez o Rallye Vidreiro Centro de Portugal

 

 

Ricardo Moura, em Ford Fiesta R5, venceu o Rallye Vidreiro Centro de Portugal 2015. O piloto açoriano aproveitou bem o furo de Pedro Meireles (quando este liderava o rali) e terminou a prova organizada pelo Clube Automóvel da Marinha Grande com o tempo acumulado de 1 hora, 2 minutos, 24 segundos e 6 décimos, menos 3.9 segundos que José Pedro Fontes. Moura conquista pela terceira vez o rali disputado na Marinha Grande e alarga a vantagem na luta pelo título sobre o piloto do Citröen DS3 R5.

Numa sexta-feira que prometia muita animação foi o vencedor da edição de 2014 o primeiro líder da edição 2015 do Rallye Vidreiro Centro de Portugal. José Pedro Fontes, em Citröen DS3 R5, venceu o primeiro troço com 0.6 segundos de vantagem sobre João Barros e mostrava que vinha à Marinha Grande para renovar a vitória do ano transato.

Na segunda passagem pelo troço do “Farol”, Carlos Vieira, ao volante do Porsche 997 GT Cup que venceu a edição de 2014 do Rali Vidreiro, foi o mais rápido numa especial discutida ao segundo entre os quatro primeiros.

Já na Super-Especial que agitou o centro da cidade da Marinha Grande, José Pedro Fontes voltou a conseguir impor o melhor ritmo entre os concorrentes, vencendo a SS com 0,2 segundos de avanço sobre João Barros, partindo para o segundo dia de competição com uma vantagem de 1.8 segundos sobre Barros.

Já no sábado, dia que se tornaria decisivo, Carlos Martins, aos comandos do Skoda Fabia S2000 que venceu o Campeonato Nacional 2014 pelas mãos de Pedro Meireles, entrou ao ataque surpreendendo a concorrência. Porém, o azar acabaria por bater à porta do piloto alentejano que iria desistir na PEC seguinte após saída de estrada. Ricardo Moura, em Ford Fiesta R5, com o segundo melhor tempo em “Caranguejeira 1” assumia a liderança do Rali com uma curta vantagem sobre José Pedro Fontes, João Barros e Pedro Meireles.

Numa constante luta pela vitória nas especiais e com os líderes da classificação a mudar, o rali estava cada vez mais animado e o vimaranense Pedro Meireles não quis perder a oportunidade de vencer a sua primeira especial aos comandos do Skoda Fabia R5 que estreou na prova organizada pelo Clube Automóvel da Marinha Grande.

De regresso às matas do Pinhal do Rei na zona de S.Pedro de Moel, Pedro Meireles voltaria a ganhar a especial e assumiria a liderança do Rali com 0,9 segundos de vantagem sobre o açoriano Ricardo Moura.

Com uma diferença tão curta entre os pilotos da frente e com poucos troços para cumprir, José Pedro Fontes iria voltar a vencer na segunda passagem por Caranguejeira. Meireles aumentava ligeiramente a liderança à geral e entrava para os dois troços finais com a possibilidade de vencer Rali Vidreiro pela primeira vez.

Mas num rali como o Vidreiro, qualquer pequeno incidente deita tudo a perder e foi mesmo isso que aconteceu ao vimaranense que com um furo no troço de Espite-Matas acabaria por perder 1 minutos e 7 décimas para Ricardo Moura. O açoriano venceu o troço e atacou a última especial com 7,3 segundos de avanço para José Pedro Fontes.

Com uma vantagem confortável para gerir na última classificativa, o açoriano Ricardo Moura ainda perdeu alguns segundos para José Pedro Fontes mas não desperdiçou a oportunidade de conquistar a terceira vitória da temporada e vencer o Rali Vidreiro também pela terceira vez (2011,2012 e 2015). Com esta vitória, Ricardo Moura dilata a vantagem na liderança do Campeonato Nacional de Ralis quando faltam apenas disputar três provas.

Ao conquistar a última especial do dia, José Pedro Fontes venceu o Troféu Aníbal Pedrosa que homenageia um dos presidentes e fundadores do Clube Automóvel da Marinha Grande.

 

Scroll To Top