Domingo , Agosto 20 2017
ÚLTIMAS
Home / TODO-O-TERRENO / Rómulo Branco encerrou temporada em Fronteira
Rómulo Branco encerrou temporada em Fronteira

Rómulo Branco encerrou temporada em Fronteira

Piloto luso angolano teve um início auspicioso, mas foi traído pela mecânica

As 24 Horas TT Vila de Fronteira foram o palco da derradeira jornada de todo-o-terreno de 2014. Para Rómulo Branco que nesta temporada competiu em Portugal ao mais alto nível, a mítica prova alentejana de resistência foi encarada com o habitual empenho na luta por uma boa classificação e a satisfação de poder competir acompanhado de amigos.

Numa competição que teve uma impressionante moldura humana, estimada em cerca de 50 mil espectadores, mas disputada numa pista que, mercê das condições meteorológicas adversas, se foi degradando progressivamente, o piloto luso-angolano teve um excelente início de corrida mas viria a ser posteriormente traído pela mecânica da sua máquina.

Aos comandos de um Mitsubishi Pajero, cujo volante partilhou com o seu irmão Gonçalo Branco e ainda com Jorge Silva e Rui Farinha, Rómulo Branco teve a seu cargo realizar o primeiro turno de condução, incluindo naturalmente a sempre difícil e complicada tarefa de partir numa grelha composta por uma centena de máquinas.

Partindo da décima fila da grelha, em função do 28º tempo averbado nos treinos cronometrados, Rómulo Branco foi galgando lugares e cumpridas que estavam duas horas de prova, ocupava já a 13ª posição absoluta. Cumpridas que estava as primeiras quatro horas de prova a equipa ascendeu à 12ª posição e ao 1º lugar na classe C.

A liderança da Classe C foi mantida durante mais três horas, altura e que os problemas mecânicos se foram agravando. A meta da equipa passou então a ser terminar uma corrida que contou com cerca de 400 pilotos de mais de duas dezenas de nacionalidades, entre as quais diversos piloto angolanos.

A par da equipa liderada por Rómulo Branco, participou também nestas 24 Horas TT Vila de Fronteira um outro Mitsubishi Pajero cujo volante foi partilhado entre o português António Laranjeira e os angolanos Hugo Carvalho e Ricardo Reis.

Para Rómulo Branco esta foi “a corrida possível. Nem sempre tudo corre conforme nós desejamos. Começámos bem mas depois tivemos diversos problemas que nos atrasaram de forma irremediável. A pista estava muito complicada, mas isso era igual para todos. Apesar de todos estes contratempos o ambiente geral da prova e o da nossa equipa em particular foi ótimo e foi o culminar de uma temporada muito intensa, com muitas novidades e muito positiva. Estamos agora a estudar várias ideias para o próximo ano para depois planificarmos a temporada de 2015”.

Outras informações sobre a prova em www.24horastt.com

 

Scroll To Top