Sexta-feira , Setembro 22 2017
ÚLTIMAS
Home / RALI / ROSÁRIO, MAIS UM PASSO PARA O TÍTULO (por Rodrigo Vasconcelos)
ROSÁRIO, MAIS UM PASSO PARA O TÍTULO (por Rodrigo Vasconcelos)

ROSÁRIO, MAIS UM PASSO PARA O TÍTULO (por Rodrigo Vasconcelos)

Foram 14 os pilotos de Kartcross, presentes no Ralicross de Montalegre. Uma prova em que todos os inscritos compareceram. A vitória foi de Pedro Rosário, que deu um largo passo, em direção a mais um título.
Entre os presentes, mais uma estreia. A de Ruben Lopes, numa prova que não deslustrou.
Nos treinos, realizados no sábado, Luís Almeida deu o mote, ao conseguir o melhor crono. Pedro Rosário, em segundo, Luís Oliveira e Nuno Bastos, os terceiro e quarto classificados, ficaram no mesmo segundo de Almeida. José Carlos Pinheiro, José Mota e Jorge Francisco, os três seguintes classificados, estavam a pouco mais de 1 segundo do líder. Depois, apareciam Nelson Rocha, Artur Monteiro, José Luís Pereira, João Matias, Carlos Valentim e Ruben Lopes. Azar para Filipe Oliveira, que não passou dos treinos livres, com um motor partido.

Primeira corrida, com duas partidas e Oliveira a vencer
A primeira corrida de qualificação, teve duas partidas. A primeira foi interrompida. Alguns pilotos tocaram-se, na primeira curva. Ficam parados Nuno Bastos e Jorge Francisco. Este, mais uma vez com o azar a bater-lhe à porta e com o Kartcross de Bastos sobre a traseira do seu.
Segunda partida, sem Francisco e Bastos. Não tiveram culpa na carambola, mas foram impedidos de alinhar, pelo regulamentado. Isso no caso de Francisco, pois Nuno Bastos pôs o motor a trabalhar e trouxe o Kartcross pelos seus próprios meios, até à meta. Mesmo assim, foi impedido de participar, o que levantou alguma polémica.
Na segunda partida, Luís Oliveira vence, seguido de Pedro Rosário, Luís Almeida. José Luís Pereira, José Mota, Nelson Rocha, José Carlos Pinheiro, João Matias, Artur Monteiro e Ruben Lopes. Nesta não alinhou, também, Carlos Valentim, mas este por problemas mecânicos.
No final, mais alguns protestos. Tudo face ao muito pó. A partir do terceiro ou quarto Kartcross, a visão era nula, em muitas partes do traçado.
Felizmente, quanto a esta situação, tudo ficou normalizado no dia seguinte.

 

Vitória de José Mota, na segunda qualificação
Foram somente 11 os que alinharam na segunda corrida. Esta a realizar-se na manhã de domingo. A corrida em que a grelha de partida é invertida, no que respeita aos oito primeiros.
A vitória sorriu a José Mota, seguido de Luís Oliveira, Luís Almeida, Pedro Rosário, José Luís Pereira, Nuno Bastos, que partiu de último, José Carlos Pinheiro, Ruben Lopes, Artur Monteiro e João Matias. Eram 11 os pilotos e seriam só eles que continuariam em prova. Isto porque Jorge Francisco, optou por não alinhar no domingo, depois do que se tinha passado no dia anterior e que, mais uma vez, sem nenhuma culpa da sua parte, tivesse ficado com o Kartcross em muito mau estado.
De fora, já estavam os outros dois azarados, Carlos Valentim e Filipe Oliveira.

 

A vez de Rosário, foi na terceira
A terceira corrida foi ganha por Pedro Rosário, seguido de Luís Oliveira, José Mota e Luís Almeida. Começava-se a adivinhar que estes, eram os principais candidatos à vitória.
Nesta terceira corrida, depois de Almeida, classificaram-se José Carlos Pinheiro, José Luís Pereira, Nelson Rocha e Nuno Bastos, a novamente tornar a partir de último, face a não o terem deixado alinhar na primeira corrida, o que o penalizou fortemente em pontos de acesso à final. Terminaram ainda João Matias, Artur Monteiro e Ruben Lopes.
Tudo em aberto para a final, que teria 11 participantes. A derradeira grelha de partida tinha na pole Luís Oliveira. Ao seu lado, estavam Rosário e Mota. Segunda linha Almeida e Pereira.
Na terceira, Rocha , Pinheiro e Matias. Artur Monteiro, e Ruben Lopes ocupavam os dois lugares da quarta linha. Nuno Bastos era o último. Estava sozinho na quinta linha, penalizado por não lhe ter sido permitido alinhar na primeira corrida. Aliás, esteve mesmo para abandonar a prova. Só participou no domingo, face aos pedidos de amigos e de fãs.

 

Mais um passo para novo título
Foi, possivelmente, a final menos disputada até este momento. Na primeira curva, ficaram dois dos favoritos. Os dois Luís, Almeida e Oliveira. Este último, detentor da pole e que já vem merecendo uma vitória. Uns toques, estes normais, obrigaram-nos a ficarem parados na pista.
Pedro Rosário ficou na frente e liderou até ao baixar da bandeira de xadrez. Mais atrás, terminava José Mota. Mais uma boa corrida, do piloto da Transwhite, desta vez sem azares à mistura. No terceiro posto, classificou-se José Luís Pereira. Outro pódio, no ano da sua estreia.
Desta vez sem azares à mistura, José Carlos Pinheiro conseguiu uma classificação que já vinha merecendo. Foi quarto, deixando atrás de si Nelson Rocha, também ele a fazer uma boa final. João Matias, no seu ano de estreia, foi o sexto classificado, prometendo melhorar ao conseguir mais experiência. Bom foi o sétimo lugar de Ruben Lopes, na prova de estreia. Foi para Montalegre sem qualquer experiência em pista.
Artur Monteiro, mais uma estreante desta temporada, na sua terceira jornada, foi o oitavo classificado. Com menos uma volta, terminou Nuno Bastos, que se passeou durante toda a final.
No Campeonato, Pedro Rosário passou a totalizar 176 pontos, seguido de Luís Oliveira com 134 e de José Mota, que tem 130. Nuno Bastos caiu de segundo para quarto. Tem 121. Claro que estas, são contas não oficiais, e sujeitas a confirmação.
Depois destas cinco jornadas já disputadas, teremos que dizer que há muita coisa que terá de ser repensada, para se melhorar o futuro. São muitos os pilotos que o afirmam E não só ao nível de regulamentos.
Confira AQUI a Classificação Oficial.

 

Scroll To Top