Terça-feira , Novembro 20 2018
ÚLTIMAS
Home / RALI / SIMONE TEMPESTINI GANHA TAMBÉM NO ASFALTO!
SIMONE TEMPESTINI GANHA TAMBÉM NO ASFALTO!

SIMONE TEMPESTINI GANHA TAMBÉM NO ASFALTO!

Após as vitórias na terra de Portugal e da Polónia, Simone Tempestini e Giovanni Bernacchini demonstraram a sua polivalência, ao ganharem o Rali da Alemanha. A equipa italiana soube evitar as armadilhas da prova para se oferecer uma vitória que lhes permitirá visar o título no FIA Junior WRC já a partir da Volta à Córsega.  

 

Vencedor na Finlândia, Ole-Christian Veiby relançou-se da melhor forma na corrida ao título FIA Junior WRC. O norueguês não tinha mais que 18 pontos de atraso antes da partida para o ADAC Rallye Deutschland e parecia estar em condições de lutar com Simone Tempestini. Decidido a atacar forte desde o início, Veiby saiu no entanto de estrada logo na PEC1 e perdeu 12 minutos num declive.

Autor de dois melhores tempos na sexta-feira, Martin Koci ascendeu ao comando após a PEC3. Mas depois Tempestini desferiu o seu ataque no final do dia e tomou as rédeas do FIA Junior WRC. Terry Folb, terceiro da geral e autor do melhor tempo na PEC4, perdeu um minuto na última Especial do dia.

À entrada para a assistência de Trèves, Simone Tempestini tinha um avanço de 12,1s sobre Martin Koci. Terceiro, Terry Folb estava na frente de Romain Martel, Vincent Dubert e Mohamed Al-Mutawaa, vítima de um furo na PEC4.

No sábado, foi de novo Ole-Christian Veiby o mais rápido em ação, com o primeiro « scratch » do dia. Infelizmente, o norueguês saiu de novo de estrada na PEC7 e teve que abandonar. Na PEC6, Vincent Dubert colocou-se por sua vez em evidência, com o seu primeiro « scratch » no FIA Junior WRC. Terry Folb voltou a sorrir com o melhor crono na dupla passagem pela Arena Panzerplatte, mesmo antes da longa Especial no campo militar de Baumholder ser anulada, por causa da saída de estrada de Stéphane Lefebvre, o Campeão FIA Junior WRC de 2014.

Na classificação geral, Simone Tempestini conservava agora 5,4s de avanço sobre Martin Koci. Após o almoço, o italiano assinou três melhores tempos em quatro Especiais. Graças à sua escolha de pneus cautelosa, fez a diferença em Panzerplatte Lang (40,80 km), ganhando dez segundos de uma só vez ao seu rival : «Percebi em que sítio tinha que atacar e em que sítio tinha que levantar o pé», explicou Tempestini. «Ataquei mantendo sempre uma pequena margem de erro e então ficámos com 17s de vantagem sobre o Martin.»

Na manhã de domingo, Simone Tempestini acabou com as esperanças dos seus adversários, mostrando-se logo o mais rápido no primeiro sector. Depois Terry Folb confirmou a sua progressão, assinando os dois melhores tempos na Especial de Sauertal.

Pela terceira vez em quatro ralis, Simone Tempestini subiu ao pódio final como vencedor. Com 37 pontos de vantagem sobre o seu principal perseguidor, basta-lhe um terceiro lugar na Volta à Córsega para garantir o título FIA Junior WRC, ganhando um programa de seis provas em WRC2 para a temporada de 2017.

Martin Koci terminou em segundo na frente de Terry Folb, autor de cinco melhores tempos ao longo do fim-de-semana. Romain Martel, que acreditava ainda num lugar no pódio durante a Primeira Etapa, terminou em quarto, na frente de Vincent Dubert, vítima de um furo na última ronda. Mohamed Al-Mutawaa garantiu os pontos do sexto lugar, diante de Ole-Christian Veiby, que regressou em Rali2 para a última etapa.

«Estou satisfeito com o resultado, mas sobretudo com a nossa abordagem da prova», declarou Simone Tempestini à chegada. «Fizemos sempre boas escolhas ao longo do fim-de-semana, quer se tratassem de afinações ou de pneus. Soubemos mostrar-nos prudentes, para evitarmos as maiores armadilhas e atacámos quando as condições o permitiam. Durante os reconhecimentos, não podia imaginar a que ponto as estradas iriam ficar sujas com a continuação das passagens dos carros. Após algumas curvas na PEC1, percebi que era preciso ter muita atenção a cada curva. Marcámos pontos muito importantes na óptica do Campeonato e podemos agora virar-nos para a Córsega. Este é um rali em que já participei e é um dos meus favoritos.»

PIERRE-LOUIS LOUBET QUINTO NO WRC2

Como na Polónia, Pierre-Louis Loubet e Vincent Landais realizaram uma performance sólida, resultado de uma grande regularidade ao longo de toda a prova. Suplantaram a sua melhor classificação no WRC2, terminando desta vez em quinto da categoria, na sua primeira participação no Rali da Alemanha. Yoann Bonato teve que abandonar na PEC3 a seguir a um duplo furo, antes de retomar a prova à tarde e terminá-la em 12º lugar. Quentin Gilbert, por sua vez, bateu num muro na PEC. O pilotos dos Vosges não voltou em Rali2, preferindo concentrar-se nos seus desafios de final de temporada.

 

CLASSIFICAÇÕES

ADAC RALLYE DEUTSCHLAND

1º           Tempestini / Bernacchini, 3h21m12,4s

2º           Koci / Kostka, + 38,9s

3º           Folb / Le Floch, + 2m12,8s

4º           Martel / Lemoine, + 3m05s

5º           Dubert / Coria, + 6m17,1s

6º           Al-Mutawaa / McAuley, + 11m38,1s

7º           Veiby / Skjaermoen, + 1h12m05s

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL

1º           Simone Tempestini, 93 pontos

2º           Ole-Christian Veiby, 56

3º           Terry Folb, 48

4º           Vincent Dubert, 44

5º           Martin Koci, 42

6º           Romain martel, 40

7º           Mohamed Al-Mutawaa, 26

8º           Juuso Nordgren, 15

9º           Lukas Pieniazek, 9

10º         Frédéric Hauswald, 8

11º         Andrea Crugnola, 2

 

Scroll To Top