Quinta-feira , Abril 26 2018
ÚLTIMAS
Home / RALI / Vidreiro com seis presenças
Vidreiro com seis presenças

Vidreiro com seis presenças

 

 

Três meses depois de Castelo Branco, o Challenge DS3 R1 regressa para a sua segunda prova com a presença de seis equipas à partida.

 

A segunda prova do Challenge DS3 R1 é o Rali Vidreiro que se realiza nos próximos dias 9 e 10 de junho, novamente em paralelo com os concorrentes do Nacional de Ralis.

 

No entender de Victor Calisto, responsável pelo Challenge DS3 R1, esta segunda prova tem tudo “para ser bem mais disputada e competitiva que a prova inicial em Castelo Branco. Por certo que os pilotos mais consagrados quererão no Rali Vidreiro impor a sua experiência, mas os mais jovens tentarão também fazer vingar o maior ritmo que têm de competição e que demonstraram na prova inicial. O Vidreiro marcará também a estreia de mais um piloto, Sérgio Brás, que por certo irá acrescentar valor a esta competição”.

 

Vencedor na primeira prova em Castelo Branco e atual detentor do Challenge, Diogo Soares, afirma que “o Rali do Vidreiro será certamente um dos maiores desafios da época. Para além de ser um rali que não se enquadra muito no meu estilo de condução, é uma prova que não permite qualquer tipo de erros. Queremos continuar a mostrar que a nossa vitória no troféu o ano passado não foi mero acaso e, por isso, vamos tentar fazer o melhor rali possível”.

 

Para Ricardo Sousa, o objetivo desportivo nesta prova “passa, acima de tudo, por continuar a adaptação aos novos pneus e tentar alcançar um ritmo que nos permita chegar aos lugares cimeiros. Para tal vamos tentar evoluir gradualmente troço a troço”.

 

Depois do azar na primeira prova, João Ruivo diz que no Rali Vidreiro “a nossa aposta passa, em primeiro lugar, por terminar para pensarmos no Challenge e só depois pensar no resultado. É logico que gostamos de andar na frente, mas novo desaire pode colocar em causa todo o projeto. Rápidos, mas seguros… será essa a táctica para esta prova”.

Quanto a Miguel J. Barbosa, no Rali Vidreiro o objetivo é “contribuir para um bom espetáculo no troféu. Contudo, estamos preparados para lutar pela vitória”.

 

Para Hugo Lopes este “é um rali longo e difícil, mas eu estou confiante de que tudo pode correr bem, vamos tirar umas boas notas para que consigamos ganhar confiança e irmos evoluindo ao longo do rali. Quanto a resultados claro que o objetivo é lutar por um pódio e vamos fazer por isso”.

 

O estreante Sérgio Brás, que terá ao seu lado o experiente Paulo Fiúza, diz que como “vai ser a minha primeira experiência ao volante de um carro de rali o objetivo passa por terminar o rali, na melhor classificação possível e tentando perceber onde nos vamos colocando ao longo dos troços. A estratégia terá de ser a prudência. Será arrancar com calma, pois este rali tem troços com alguma rapidez e alguns deles longos e a experiência é pouca, tentando imprimir um ritmo constante, atacando sempre que é possível, mas nunca perdendo a concentração”.

 

 

O Rali Vidreiro estará na estrada no próximo dia 9 e 10 de junho.

 

Scroll To Top