Quinta-feira , Outubro 19 2017
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Vitória chinesa em Vila Real
Vitória chinesa em Vila Real

Vitória chinesa em Vila Real

Tiago Monteiro protagoniza aparatoso acidente

O chinês Ma Qing Hua (Citroen C-Elysée) venceu a segunda corrida do WTCC, que foi bastante mais agitada do que anterior, a ponto de ter sido dada por concluida três voltas antes do que era suposto, em consequência do terceiro acidente. Tiago Monteiro foi o protagonista do primeiro acidente na altura da partida que o colocou de fora o que provocou uma enorme tristeza no público presente, que “empurrava” o piloto português para o pódio.

Como consequência da terem escapado às confusões, o francês Yvan Muller (Citroen C-Elyseée) e o italiano Gabriele Tarquini (Honda Civic) acabaram por completar o pódio, numa corrida que permitiu ao volante chinês conquistar.a segunda vitória da sua carreira.

Ao largar da quinta posição da grelha, Tiago Monteiro sabia que teria de ser na sequência da partida que podia aspirar a ganhar lugares e foi isso que tentou ao aproveitar uma abertura entre os Lada Vesta dos holandeses Nick Catsburg e Jaap Van Lagen.

Mas os pilotos da marca russa apertaram o Honda e o embate no muro foi inevitável colocando Tiago Monteiro na posição de espectador, depois de uma passagem pelo hospital do circuito. A corrida seria neutralizada durante quatro voltas, para o Honda ser retirado do local, onde tinha ficado, com a dupla da Citroen a manter as duas primeiras posições, que ocupavam à partida.

Por sua vez, o holandês Nick Catsburg, então na terceira posição, que era claramente mais lento do que os seus perseguidores, via formar-se atrás de si um comboio que integrava Gabriele Tarquini, o hungaro Norbert Michelisz (Honda Civic), o francês Sebastien Loeb (Citroen C-Elysée) e o argentino Jose Maria Lopez (Citroen C-Elysée).

Na 10.ª volta, o italiano aproveitou uma entrada mais larga na curva de reentrada no circuito novo do holandês para o passar, com Norbert Michelisz e Sébastien Loeb a procurarem fazer o mesmo. Só que os três carros tocaram-se e o francês ficou de fora.

Duas voltas mais tarde, eventualmente, em consequência dos toques anteriores, Nick Catsburg não evitou um violento embate nos ‘rails’ na descida de Mateus, deixando espalhados pela pista bocados do Lada, com a direcção de prova a decidir mostrar a bandeira vermelha e a dar a corrida por concluída.

No final da prova, Ma Qing Hua começou por agredecer à equipa “Pelo excelente trabalho feito, ontem, quando o objectivo foi o de assegurar a ‘pole’ para a segunda corrida. Fiz uma boa partida e voltei a subir ao lugar mais alto do pódio. Não sei o que se passou atrás de mim e a minha única preocupação foi manter-me concentrado atrás do ‘safety car’, para poder ganhar avanço. Quando me disseram que a corrida tinha acabado foi fantástico. A minha vitória numa prova campeoanto do mundo é uma boa noticia para o desporto motorizado na China”.

Já Yvan Muller estava “Satisfeito com o pódio, pois não podia esperar muito mais. Perdi mais alguns pontos para o Lopez, mas nada está decidido. Ontem, senti vibrações na qualificação e não tive condições para lutar pela ‘pole’, mas são situações do desporto motorizado. Andei o mais depressa que pude, mas o Ma foi mais rápido e mereceu a vitória”.

Gabriele Tarquini confessou que “Ontem perguntei se queriam que largasse da ‘pole’ para a segunda corrida, porque bastava fazer uma volta devagar, mas disseram-me que não e que tentasse chegar à Q3. Este fim-de-semana tive, talvez, o melhor carro da temporada e consegui um bom resultado. Tive sorte, quando o Tiago teve o acidente, porque estava ao seu lado e depois ataquei os Lada, porque não tinha nada a perder. Nestes circuitos, que não têm longas rectas, os nossos carros são bons e podemos fazer um jogo mais igual aos dos Citroen”.

Para Tiago Monteiro ficou “Um sentimento de frustração, porque o pódio era possível e porque perdi pontos no campeonato. Na partida da segunda corrida meti-me pelo único sitio, por onde podia tentar passar, mas os Lada apertaram-me, tive o azar de as rodas terem tocado e foi impossivel evitar o acidente. Agora vamos testar, com o pensamento na próxima corrida, que é no Japão”.

Classificação:
1.º, Ma Quin Hua (Citroen C-Elysée), 11 voltas (52,305 km), em 26.44,910 (140,3 km/h); 2.º, Yvan Muller (Citroen C-Elysée), a 5,573 s.; 3.º, Gabriele Tarquini (Honda Civic), a 10,812 s. ; 4.º Norbert Michelisz (Honda Civic), a 11,982 s.; 5.º, Jose Maria Lopez (Citroen C-Elysée), a 12,432 s.; 6.º, Nick Catsburg (Lada Vesta), a 15,1877 s.; 7.º Hugo Valente (Chevrolet Cruze), a 15,639 s.; 8.º, Nestor Gerolami (Honda Civic), a 16,060 s.; 9.º Robert Huff (Lada Vesta), a 16,669 s.; 10.º, Mehdi Bennani (Citroen C-Elysée), a 17,174. Classificaram-se mais cinco pilotos.

Classificação do WTCC, depois da prova portuguesa – 1.º, Jose Maria Lopez, 322 pontos; 2.º, Yvan Muller, 269; 3.º, Sébastienn Loeb, 240 ; 4.º, Ma Qing Hua, 146; 5.º, Norbert Michelisz, 142; 6.º, Gabriele Tarquini, 138; 7.º, Tiago Monteiro, 124; 8.º, Tom Chilton, 76; 9.º, Hugo Valente, 73; 10.º, Robert Huff, 58. Estão classificados mais 14 pilotos.

Próxima prova – Motegi (Japão) de 11 a 13 de Setembro

 

Scroll To Top