Domingo , Abril 22 2018
ÚLTIMAS
Home / RALI / WRC 2017: Ano Novo, Era Nova (por Carlos da Silva)
WRC 2017: Ano Novo, Era Nova (por Carlos da Silva)

WRC 2017: Ano Novo, Era Nova (por Carlos da Silva)

 

A vinte dias do início oficial de uma nova temporada do Campeonato do Mundo de Ralis e depois de um final de época onde o foco de todas as atenções incidiram sobre o abandono algo inesperado da grande denominadora das ultimas quatro temporadas – a Volkswagen Motorsport, está na altura certa para fazer uma espécie de “estado da nação” das equipas que irão pontificar no WRC.

Com uma Silly season deveras movimentada que há muito não se assistia no Mundial, com algumas mudanças de cadeiras um tanto ao quanto vistas como “um mal necessário” e depois das habituais aturadas sessões de testes que as quatro equipas oficialmente inscritas levaram ao cabo maioritariamente na segunda metade do ano ido (excepto a regressada Toyota), quais os pontos fortes e mais anémicos que as mesmas se apresentam para a temporada que se avizinha?

M-Sport World Rally Team – Ford Fiesta RS WRC 2017.
Pilotos: Sebastien Ogier, Ott Tanak, Eric Camilli e Elfyn Evans
+ Contratação do quatro vezes campeão mundial Sebastien Ogier;
+ Dupla dos dois principais pilotos (Ogier/Tanak) com a “cotação” em alta.
+ Entusiasmo da equipa em redor deste projecto.
– O orçamento mais limitado de todo o plantel;
– Equipa sedenta de resultados;
– Carro com o menor numero de testes efetuados.

Hyundai Motorsport – Hyundai i20 Coupe WRC.
Pilotos: Thierry Neuville, Hayden Paddon e Dani Sordo
+ Tripla de pilotos inalterada;
+ Equipa com o maior staff técnico do WRC;
+ Equipa mais cotada após a saída da VW.
– Fiabilidade dos Hyundai ainda não são a referencia;
– Terceiro i20 em três temporadas consecutivas;
– A estabilidade traseira (conjunto coeficiente de arrasto/diferencial central e traseiro) algo sobre-viradora dos i20 notado durante os testes.

Abu Dhabi Citroen Total WRT – Citroen C3 WRC 2017
Pilotos: Kris Meeke, Stéphane Lefebvre, Craig Breen e Khalid Al Qassimi
+ Know how tecnológico adquirido no WTCC;
+ Mais de 9500 kms divididos por cerca de 42 dias de testes;
+ Pacote aerodinâmico do C3 o mais fluido do plantel.
– Ano sabático em 2016;
– Programa inconstante da dupla de segundos pilotos;
– Alguma fogosidade de Kris Meeke (sob pressão).

Toyota Gazoo Racing WRC – Toyota Yaris WRC.
Pilotos: Jari-Matti Latvala, Juho Hänninen e Esapekka Lappi
+ Orçamento ilimitado;
+ Isenção de pressão de resultados imediatos;
+ Contratação de um piloto “vencedor” e com mais experiência do WRC (Jari-Matti Latvala).
– Conjunto de pilotos, staff técnico e estrutura da equipa “demasiado” finlandesa;
– A equipa com menor experiência no Mundial;
– Pacote aerodinâmico do Yaris esteticamente pouco consensual e com uma durabilidade/eficácia ainda por comprovar.

Creditos @ Copyrights decoRacing, by Mario Pereira

 

Scroll To Top