Terça-feira , Setembro 29 2020
ÚLTIMAS
Home / RALI / Histórias do Rali de Portugal por…Luís Caramelo
Histórias do Rali de Portugal por…Luís Caramelo

Histórias do Rali de Portugal por…Luís Caramelo

Esta semana lançamos um desafio aos nossos leitores, através do nosso grupo no Facebook, para nos contarem algumas histórias sobre o Rali de Portugal. Lançamos também o desafio a alguns pilotos, navegadores e jornalistas e o nosso amigo Luís Caramelo enviou-nos duas histórias fantásticas sobre a nossa prova.

Para os mais distraídos, Luis Caramelo dispensa apresentações. Foi jornalista do Autosport e foi o jornalista que acompanhou Rui Madeira e Nuno Rodrigues da Silva nas suas carreiras. É também um dos fundadores do Portugal Motorsport.

 

Hoje damos-lhe a conhecer a história do Rali de Portugal 1995 com a vitória a ser entregue a Carlos Saimz depois de intensa luta com o finlândes Juha Kankkunen.

 

“Figueiró dos Vinhos – Último troço da prova

O duelo entre Sainz e Kankkunen pela vitória no TAP de 1995, durou até ao último troço da prova, disputado em Figueiró dos Vinhos.

Tínhamos feito a reportagem do Relvas – Lousã em direto – eu, o Paulo Solipa e o João Paulo Almeida e “voámos” para o final de Figueiró, para acompanharmos o desfecho final da prova, com Sainz a ter alguma vantagem sobre KKK pois tinha ganho 7 segundos na Lousã e tinha à partida da derradeira classificativa, 10 s de vantagem.

Sem poder mudar pneus para o último troço, qualquer dos dois utilizou as duas rodas suplentes para Figueiró e lançou-se na luta, pois nada estava decidido. Eu e o Zé Pinto estávamos no camião da “régie” da RTP e o João Paulo no final – stop. O KKK chegava primeiro e combinámos que tínhamos que ser os primeiros a dizer quem ganhava. Sabendo que a diferença era 10s entre os dois e sem hipóteses de comunicar a não ser visualmente com o João Paulo, combinei com ele que via o tempo do KKK e me dizia. Quando chegasse o Sainz, se perdesse 11s – tínhamos a indicação de que o Subaru estava sem travões… – olhava para o camião da régie onde estávamos e colocava o polegar para baixo. Se pelo contrário perdesse menos de dez ou ganhasse, punha o polegar para cima.

Foram alguns segundos de tensão e no meio da multidão que rodeou o carro do espanhol, o João Paulo que estava do lado do Luis Moya ouviu o tempo e levantou a mão bem alto… Eu vi e dei uma cotovelada ao Zé Pinto que de imediato disse. “Carlos Sainz ganha o Rallye de Portugal 1995”!

No final, o piloto espanhol, um grande amigo ainda hoje, deu-me as luvas da vitória. Era um “par” diferente da esquerda e direita, com esta a ter um reforço para manusear a caixa – não havia ainda estes automatismos modernos – dois dias depois fui com o António Simões fazer um teste ao carro à Prodrive em Inglaterra…”

 

Um muito bem ao Luis Caramelo e mais uma vez pedimos a quem quiser que nos envie para o mail nunowrcdinis@gmail.com as suas histórias e fotos sobre o Rali de Portugal

Foto: http://rallyazores.blogspot.pt

 

Scroll To Top