Quarta-feira , Novembro 29 2023
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / ALGARVE PRO CELEBRA VITÓRIA DOMINANTE NAS 24 HORAS DO CENTENÁRIO DE LE MANS
ALGARVE PRO CELEBRA VITÓRIA DOMINANTE  NAS 24 HORAS DO CENTENÁRIO DE LE MANS

ALGARVE PRO CELEBRA VITÓRIA DOMINANTE NAS 24 HORAS DO CENTENÁRIO DE LE MANS

A Algarve Pro Racing conquistou uma vitória dominante e controlada na categoria LMP2 Pro-Am na edição centenária das 24 Horas de Le Mans com o carro #45 da CrowdStrike de George Kurtz, James Allen e Colin Braun (10-11 de Junho).

É a quinta vitória da equipa portuguesa na categoria LMP2 Pro-Am no Campeonato do Mundo de Resistência (WEC) da FIA – mais do que qualquer outra equipa – e o segundo triunfo consecutivo da subclasse no clássico francês de resistência.

O resultado deve-se a uma atenção suprema aos detalhes e a uma estratégia de gestão da corrida que garantiu que os seus pilotos se mantivessem em pista durante uma corrida caótica, caracterizada por condições climatéricas adversas, uma elevada taxa de desgaste, Safety Cars prolongados e zonas lentas.

O Vale do Loire, em França, foi banhado pelo glorioso sol de Junho durante os testes, os treinos livres e a qualificação, mas as nuvens negras pairavam ameaçadoras e houve relatos de chuva no primeiro sector da volta de 13,6 km do Circuito de la Sarthe durante a “contagem decrescente para o verde” na tarde de sábado (10 de Junho).

Alguns prepararam pneus para tempo húmido quando as formalidades pré-corrida chegaram ao fim, mas a Algarve Pro considerou as condições prevalecentes e optou por manter o ORECA 07 LMP2 #45 da CrowdStrike com pneus Goodyears.

O piloto australiano Allen foi seleccionado para a partida e, partindo de nono na LMP2 e segundo na Pro-Am, sobreviveu a uma primeira volta cheia de incidentes que obrigou à intervenção do Safety Car.

Alguns optaram por partir imediatamente para a box, mas o piloto da Algarve Pro ficou de fora e estava em décimo na fila dos LMP2, à frente dos Pro-Am, quando a corrida recomeçou, e Allen fez uma volta competitiva até à primeira ronda de paragens nas boxes, a maior parte das quais ocorreu no início da primeira hora.

Kurtz, da CrowdStrike, foi instalado para a sua primeira corrida de sempre em Le Mans e o americano Bronze fez um excelente trabalho para manter o protótipo #45 no meio da luta Pro-Am, até que um aguaceiro na terceira hora levou a Algarve Pro a substituí-lo pelo experiente Braun, que foi enviado para o dilúvio com pneus de chuva.

Com observadores posicionados em todos os lados da pista, o pelotão estava preparado e pronto para reagir às condições em constante mudança, mas várias equipas foram apanhadas pela tempestade de nuvens e o Safety Car foi chamado quando os carros de todas as classes se atravessaram, bateram nas barreiras ou ficaram encalhados na gravilha.

Braun, no entanto, manteve o nariz limpo e voltou a subir aos lugares do pódio da Pro-Am quando outra torrente atingiu o Circuito de la Sarthe na marca das seis horas, e o seu companheiro de equipa Allen continuou a avançar para o segundo lugar da classe, fazendo tempos por volta que frequentemente excediam os do líder da classe, o #80 da AF Corse.

A perseguição ao P1 foi interrompida quando a Algarve Pro foi forçada a substituir um gravador de dados de acidentes por volta da meia-noite, mas o Safety Car limitou a perda de tempo e, apesar de ter caído para 14º na classificação geral dos LMP2, a equipa portuguesa manteve-se na luta por um pódio Pro-Am.

Braun aumentou o ritmo no recomeço da corrida com bandeiras verdes, subindo para primeiro quando o #37 da COOL Racing foi parar para reparações durante a 11ª hora, mas o domínio da equipa do #45 na P1 foi relativamente breve, com um furo induzido por detritos a forçar uma paragem não programada que permitiu ao carro #80 tomar a iniciativa.

Durante as primeiras horas da manhã de domingo, Kurtz saiu para a escuridão; ele era o único piloto Bronze em pista nessa altura e os seus preparativos minuciosos com a equipa garantiram que ele corresse de forma limpa e sólida no segundo lugar, com uma diferença de duas voltas para o líder, e que nenhuma ameaça surgisse por trás.

Os engenheiros e estrategas de corrida da Algarve Pro forneceram informações quase constantes aos três pilotos, gerindo o seu ritmo e as suas ultrapassagens, mantendo-os informados sobre os incidentes e as suas causas e encorajando-os a não correrem riscos desnecessários.

Como resultado, o protótipo #45 da CrowdStrike sobreviveu incólume à noite e, numa reviravolta dramática quando a luz do dia regressou a Le Mans, a Algarve Pro subiu ao topo da tabela de classificação Pro-Am quando o carro #80 da AF Corse sofreu danos terminais numa colisão a alta velocidade com as barreiras nas Porsche Curves.

Com Allen aos comandos e a pouco mais de nove horas do final da corrida, a Algarve Pro tinha uma confortável vantagem de quatro voltas sobre os seus adversários mais próximos e a equipa orientou os seus pilotos ao longo de cada stint para garantir que se mantinham na pista e continuavam a avançar.

A equipa #45 da Algarve Pro Racing nunca esteve à frente e recebeu a bandeira axadrezada depois de 322 voltas ao Circuito de la Sarthe para selar a vitória da LMP2 Pro-Am nas 24 Horas de Le Mans pelo segundo ano consecutivo, com a maior margem de vitória das 13 corridas do WEC LMP2 Pro-Am até à data.

George Kurtz (#45 Algarve Pro Racing ORECA 07 LMP2): “Nunca imaginei estar no degrau mais alto do pódio, perante milhares de pessoas, no centenário das 24 Horas de Le Mans. Teria parecido absurdo se alguém o tivesse sugerido antes da semana da corrida, por isso não podia estar mais feliz por estar aqui e estou apenas a tentar absorver tudo e desfrutar da vitória. A chuva tornou a corrida bastante complicada e era importante não cometer erros e cuidar do carro, o que fizemos de forma brilhante enquanto colectivo. Ajudou o facto de a Algarve Pro Racing nos ter dado um excelente carro para começar. Tudo se conjugou e sinto-me muito feliz por estar no primeiro degrau.”

Colin Braun (#45 Algarve Pro Racing ORECA 07 LMP2): “Que dia! Estou muito orgulhoso do James (Allen) e do George (Kurtz) porque ambos conduziram muito bem, e foi uma corrida difícil com muitos desafios. O mais difícil foi provavelmente a meteorologia; regressar às boxes com pneus slicks quando começou a chover e depois conduzir com pneus molhados após os Safety Cars foi muito difícil, mas é sempre importante mantermo-nos fora de problemas e imprimir um ritmo razoável numa corrida tão caótica.

“Sobrevivemos a tudo, o que foi fundamental, e a Algarve Pro Racing fez um trabalho fenomenal; tivemos de substituir um sensor de dados a meio da noite e eles fizeram-no bem, executando também paragens nas boxes perfeitas e uma grande estratégia, e é muito fixe estar no pódio das 24 Horas de Le Mans. O que mais se pode pedir?”

James Allen (#45 Algarve Pro Racing ORECA 07 LMP2): “Esta é a primeira vez que trabalho com o George (Kurtz) e o Colin (Braun), mas fiquei muito impressionado com ambos quando testámos juntos pela primeira vez em Monza, pois adaptaram-se bem ao novo kit aerodinâmico e aos pneus do carro LMP2. Como resultado, começámos a trabalhar a todo o gás e resolvemos tudo rapidamente aqui em Le Mans, e rapidamente sentimos que era a nossa corrida a perder.

“As 24 Horas de Le Mans são sempre um evento muito especial, mas particularmente este ano, por ser o centenário. Esta é a terceira vez que subo ao pódio e a segunda vez que ganho, e é sempre espantoso ver toda a recta das boxes cheia de pessoas a partir do degrau mais alto. É realmente impressionante”.

O Director da Equipa Algarve Pro Racing, Stewart Cox, disse: “É um feito notável vencer as 24 Horas de Le Mans LMP2 Pro-Am dois anos seguidos, e a forma como a corrida foi gerida pela equipa e pelos pilotos George (Kurtz), James (Allen) e Colin (Braun) foi fundamental para o nosso sucesso. Não posso culpar a nossa atenção aos pormenores esta semana; trabalhámos arduamente para preparar o George para a sua estreia em Le Mans, com passeios minuciosos pela pista, análise de incidentes e de dados, e mostrando-lhe como se sente o carro em todas as fases do dia e da noite, em todas as condições.

“O nosso ritmo e as ultrapassagens foram geridos, o nosso pessoal foi mantido totalmente informado dos incidentes e dos erros dos outros pilotos, tivemos pessoas em bicicletas a informar sobre o estado do tempo em vários locais, porque a estratégia era simplesmente manter o carro na pista. Obrigado a todos os envolvidos por terem feito o seu trabalho de forma tão brilhante. Estou ansioso por desfrutar deste resultado e deixá-lo realmente entrar na memória.”

&nbsp

Scroll To Top