Quinta-feira , Maio 28 2020
ÚLTIMAS
Home / TODO-O-TERRENO / Armindo Neves em Góis no arranque de temporada ambiciosa
Armindo Neves em Góis no arranque de temporada ambiciosa

Armindo Neves em Góis no arranque de temporada ambiciosa

Piloto alentejano foi 4º da Classe TT3 e 5º entre os Veteranos

Vencedor da Taça Nacional de Veteranos em 2019, Armindo Neves iniciou este fim-de-semana a época desportiva 2020 com o Raid TT de Góis, primeira jornada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno – Road to Dakar, com 330 km que o piloto de Avis, aos comandos de uma SWM RS 500 R e inscrito pela LOPES & GOMES / LUSOMOTOS / SWM / MOTO GARDUNHA concluiu na quarta posição da classe TT3, tendo ainda fechado o Top 5 entre os Veteranos.

O objetivo traçado para esta corrida era claro: conquistar o pódio em ambas as categorias. O piloto de 49 anos rolava em terceiro entre os TT3 e os Veteranos quando um erro que cometeu ainda no primeiro dia o impossibilitou de atingir o que pretendia.

Foi no Raid TT de Góis que o piloto apoiado pela Lusomotos, importador da SWM para Portugal, teve o primeiro contacto com a potente SWM 500. O piloto alentejano enaltece o trabalho realizado pela organização da prova, mas confessa não ser esta a sua jornada de eleição.

“Foram mais de três centenas de quilómetros, muita dureza e muita pedra, um teste á resistência mecânica e física. Uma época nova, nova moto, novos objetivos, a mesma equipa, os mesmos patrocinadores e mais alguns que se juntaram a nós. Góis nunca foi a minha praia, pois é um terreno onde não me sinto particularmente à vontade e onde costumo sofrer… eu que sou alentejano e que gosto de outro tipo de percurso. Mas é todo-o-terreno e é igual para todos. Nada a dizer. A prova estava bem marcada e os (inúmeros) perigos bastante bem assinalados”, revela o piloto que será ao longo deste ano também apoiado por: Revolution-Lavandarias, MST-Special Things, J3LP, Motards d’Aviz e XRace.pt.

Sobre a prestação de Armindo Neves no 27º Raide TT de Góis – 2020 o piloto explica que o entusiasmo que sentiu acabou por sentenciar a oportunidade de atingir o pódio “Após a primeira fase de adaptação e numa altura em que vinha a divertir-me aos comandos da SWM, que é uma moto fantástica, rodando em 3º dos veteranos e também da classe TT3, cometi um erro de principiante e segui em frente num gancho a subir que tinha as fitas caídas, só me apercebendo do erro cerca de 3 ou 4 km mais à frente de tão entusiasmado que vinha a desfrutar da condução da “máquina”. Com isto condicionei a corrida e a possibilidade de lutar pelo pódio, acabando o dia a quase 5 minutos do 3º lugar de ambas as categorias, (apesar de, na derradeira especial do dia, com 70 km, e sem problemas, ter feito o 3º tempo entre os veteranos e também na categoria reservada às motos acima de 450cc.)”.

O dia de domingo também não foi fácil para o piloto da LOPES & GOMES / LUSOMOTOS / SWM / MOTO GARDUNHA que apesar dos contratempos assume que o resultado foi positivo tendo em conta o objetivo final, a aposta na internacionalização que começa já este ano: “Para Domingo restou-me rodar e terminar a última prova especial com 130 km bem duros, sem amortecedor de direção e com o depósito de combustível solto entre as pernas, em virtude de se ter partido o apoio que lhe serve de suporte e também ao amortecedor, para assim finalizar esta primeira corrida no 4º lugar da categoria TT3 e em 5º entre os veteranos. Apesar de tudo foi positivo, pois permitiu-me rodar e testar a moto e também o físico, tendo em vista aquele que é o nosso objetivo maior e para o qual estamos a trabalhar; – A estreia ainda este ano no Rally Panáfrica e tentar estar à partida do África Eco Race daqui a dois anos”, conclui Armindo Neves que aproveita para dar os parabéns aos restantes concorrentes e dirigir alguns agradecimentos: “Pela minha parte resta-me dar os parabéns a todos os vencedores e a todos os colegas que estiveram presentes e terminaram a corrida, ao Moto Clube de Góis pela prova que realizou, à Federação e ao promotor do campeonato pela excelente iniciativa de trazerem novos participantes ao campeonato. Dou também os parabéns à minha assistência, encabeçada pela minha mulher Rosália, que uma vez mais não deixou nada ao acaso; ao Paulo Cardoso pela ajuda e bricolage ao final do dia, ao José Mira pelo fantástico trabalho de preparação da moto. Envio também um abraço ao Telmo e desejo que tudo corra pelo melhor. Finalmente quero agradecer, uma vez mais, a todos os patrocinadores e parceiros deste projeto e pedir-lhes desculpa pelo meu erro e desconcentração, que possivelmente custou um lugar no pódio. Ninguém sente mais que eu o peso da responsabilidade, nem ninguém mais que eu está empenhado em retribuir o apoio e confiança que depositam em mim. Dou sempre o melhor e o máximo, mas nem sempre é suficiente…Muito obrigado a todos”.

Com o intuito de se preparar da melhor forma para as provas africanas, Armindo Neves prossegue com o seu calendário desportivo e vai estar à partida para a Baja TT ACP – Santiago / Grândola, prova extracampeonato que se disputa de 6 a 8 de março.

 

Scroll To Top