Terça-feira , Maio 17 2022
ÚLTIMAS
Home / MONTANHA / Arrábida em festa num fim-de-semana em que vira “Rainha da Montanha”
Arrábida em festa num fim-de-semana em que vira “Rainha da Montanha”

Arrábida em festa num fim-de-semana em que vira “Rainha da Montanha”

O Clube de Motorismo de Setúbal preparou um programa muito especial para receber os 47 inscritos na Rampa Pêquêpê Arrábida powered by Caetano Power Setúbal, 3ª prova do Campeonato de Portugal JC Group, aos quais se juntarão 15 convidados que, extracompetição, alinharão integrados no “Arrábida Revival Tour”, comemorando os 40 anos da prova desde que foi realizada pela seção de automobilismo do Vitória Futebol Clube.

A exemplo do que fez em edições anteriores, o CMS prepara “festa rija” para o fim-de-semana que se avizinha, assinalando a ida até Setúbal da “Família da Montanha”.

A Rampa Pêquêpê Arrábida powered by Caetano Power Setúbal arrancará na sexta-feira, com as verificações documentais e técnicas a realizarem-se no Parque Urbano de Albarquel, em Setúbal a partir das 15h00, com o fim-de-tarde e noite a serem palco na mesma zona de uma exposição de veículos de competição e de um desfile noturno, ações pensadas para premiar os aficionados da Montanha e a comunidade setubalense.

As lides competitivas arrancarão na manhã de sábado com um “warm up” às 10.00 da manhã, seguindo-se às 11.00 horas a 1ª subida de treinos oficiais. Duas da tarde é o horário previsto para a 2ª subida de treinos, com a primeira Subida Oficial às 14.15, fazendo cair o pano sobre a jornada.

Domingo, segundo e decisivo dia, arranca com novo “warm-up”, às dez da manhã, cabendo ainda na manhã dominical a 3ª subida de treinos do fim-de-semana, pelas 11.15. A parte da tarde reserva-se para as duas últimas Subidas Oficiais: às 13.00 e 14.15 horas, respetivamente, com a entrega de prémios a decorrer no pódio instalado junto da Secil.

Quanto à antevisão competitiva, à espera das quase cinco dezenas de pilotos estarão os 3,9 quilómetros e as 19 desafiantes curvas do traçado plantado na paisagem protegida da Serra da Arrábida, num cenário único e idílico, tendo o Sado e o Atlântico como testemunhas de uma luta que tem todos os condimentos para ser acesa, juntando-se aos engredientes muito particulares desta rampa a forte possibilidade de a chuva fazer uma aparição “musculada”, pelo menos a espaços, durante o fim-de-semana.

Por isso, tudo indica que não será um “duelo ao sol”, mas continuará a ser uma refrega de “pistoleiros” a discussão pelo triunfo absoluto.

Aqui, José Correia (Norma FC20) e Hélder Silva (Osella PA2000 EVO2 PA.30) assumem-se como favoritos, chegando a Setúbal empatados no comando da tabela absoluta do CPM JC Group, depois de terem registado uma vitória e uma segunda posição, nas duas primeiras provas da temporada.

Ainda dentro da Divisão Protótipos A, Sérgio Nogueira terá na Arrábida o capítulo número três da aprendizagem que está a assumir para poder evoluir aos comandos da sua Osella PA21 S EVO.

Numa segunda linha de favoritismo, mas motivado por um início de temporada a roçar a perfeição, Nuno Guimarães (Silvercar S2) quererá continuar a saborear o pódio absoluto, apontando ainda na manutenção da invencibilidade na Divisão Protótipos B, enfrentando aqui o regressado Joaquim Rino, ausente na Penha, que está cada vez mais afoito com o seu BRC BR49 EVO.

Nos GT a questão é saber se Gabriela Correia (Mercedes AMG GT4) ou Bernardo Garcia de Castro (Porsche 997 GT3 CUP) conseguirão impedir que Vítor Pascoal mantenha a invencibilidade que ostenta em 2022. No entanto, o ritmo que o piloto baionense tem assinado com o seu Porsche 991 GT3 Cup tornará árdua a tarefa da “Princesa da Montanha” e do piloto espanhol.

Nos Turismos, saliência para a Arrábida voltar a ser palco de um primeiro “tira teimas” quanto à liderança pontual na classificação da Categoria.

Joaquim Teixeira (Cupra TCR) e Luís Nunes (Skoda Fabia R5) estão empatados e no traçado sadino o favoritismo poderá pender para Nunes, sobretudo se a chuva fizer a aparição prevista. Nestas circunstâncias, torna-se mesmo candidato aos lugares do pódio absoluto, mercê da tração total do carro checo, mas Teixeira tem argumentos para disputar o triunfo de forma intensa.

Ambos são, com toda a lógica, favoritos a mais um triunfo nas duas respetivas Divisões. Na T1, onde compete, Luís Nunes, a oposição virá da cada vez mais rápida Daniela Marques, Num Subaru Impreza WRX.

Já na T2, Joaquim Teixeira enfrentará um trio de respeito: Paulo Silva (Audi RS3 LMS), Manuel Rocha e Sousa (Cupra TCR) e José Carlos Pouca Sorte (VW Golf GTi). A divisão contará ainda com as presenças de José Carlos Magalhães (Fiat Punto R3D), José Salgado (Mini Cooper S) e de António Ferreira (VW Golf V GTI).

Na Divisão Turismo 1, Parcídio Summavielle fará tudo para manter a invencibilidade na época. O fafense faz o que quer do seu Renault Clio RS R3. mas sabe que terá opositores fortes, com Bruno Carvalho (Citroen Saxo) a assumir-se como o principal rival, sendo ainda expectável que, a exemplo do que fez em anteriores aparições na Arrábida, Gonçalo Inácio (Honda Civic Type R) tenha uma palavra a dizer quanto ao triunfo, estando ainda na liça José Borges (Citroen C2 R2) e Cláudio Alves (Toyota Carina 2000).

A Rampa Pêquêpê Arrábida powered by Caetano Power Setúbal será palco da primeira prova do ano da Taça de Portugal de Kartcross de Montanha. Nelson Rocha e Sérgio Mateus, ambos em SEMOG, serão os protagonistas de serviço.

Mário Silva comanda pelotão dos Clássicos

O consagradíssimo piloto marca sempre “o ponto” na Arrábida. E, a exemplo do que tem acontecido nesta nova fase da prova, traz o seu imponente Porsche Carrera RS que, em circunstâncias normais, não terá oposição, tal a diferença competitiva que o carro alemão tem sobre os demais, sendo ainda de salientar a forma como Mário Silva “espreme todo o sumo” do carro.

Mais focado em somar forte pontuação para manter a liderança da tabela pontual dos Clássicos, Fernando Salgueiro (Ford Escort MKII) será óbvio candidato ao pódio, assim como Flávio Saínhas e Luís Moutinho, ambos em Ford Escort MKI.

Os carismáticos Carlos Fava (VW 1303) e Rui Gama (Austin Clubman) completam o plantel dos Clássicos nesta Rampa Pêquêpê Arrábida powered by Caetano Power Setúbal.

Luís Silva aponta ao terceiro triunfo entre os Legends

Nas contas do Campeonato de Portugal Legends de Montanha JC Group, o favoritismo total vai para o BMW M3 de Luís Silva. O famalicense tem estado “intratável”, tendo dominado por completo em Murça e na Penha, mas vai enfrentar um pelotão vasto e “furioso” na Arrábida.

São 9 os seus opositores, estando na linha da frente Carlos Oliveira (Ford Sierra Cosworth), João Macedo (BMW 328is), Miguel Gonçalves (BMW E36 Coupé), Gonçalo Antunes “Janeira” (Citroen AX GTi) e o regressado Bernardo Sá Nogueira (Alfa Romeo 156).

Arlindo Beça dará continuidade à adaptação ao Toyota Carina E, o mesmo fazendo Celso Fonseca com o Citroen Saxo e Alexandra Rino no VW Golf GTI, com esta “rookie” do clã Rino a ser uma estreante na Arrábida. O plantel dos Legends fica completo com o Peugeot 106 GTI de Luis Santos.

“Duelo de Titãs” nos 1300

Vai ser lindo de se ver: de um lado, Armando Freitas (Yoyota Starlet), do outro Daniel Rolo (Datsun 1200 Coupé).

Ambos tem por “assinatura” vencer e convencer sempre que atacam as provas reservadas aos 1300. Como tal, estão na linha da frente do favoritismo para discutir a vitória na Arrábida, no que concerne ao Campeonato de Portugal de Montanha 1300 JC Group, sendo alta a curiosidade para ver qual dos dois se irá impor.

Quem também estará na Arrábida com motivação redobrada é a setubalense Eva Laranjeira. Confiando no seu bem preparado Peugeot 205 Rallye, a “Dama de Aço” almeja conquistar “em casa” o primeiro pódio da temporada.

Num campeonato onde o “poder feminino” é intenso, Daniela Ferreira (Citroen C1) e Rita Matos (Fiat Uno 45S) vão querer dar continuidade aos excelentes resultados que estão a alcançar na presente época, o mesmo sucedendo com José Pedro Figueiredo (Datsun 1200)

“Arrábida Revival Tour”

é novidade festiva no programa da rampa

Quanto ao “Arrábida Revival Tour”, não podemos deixar de referir, entre os 15 pilotos que vão percorrer o traçado da prova, sem as pressões da competição, o nome de Ferreira da Silva. O campeão de Portugal de Montanha por nove vezes e vencedor da prova por cinco vezes, ao volante de um Ford Escort RS Cosworth, vai regressar à Arrábida.

Entre os quinze pilotos inscritos no “Arrábida Revival Tour”, destaque ainda para José Grosso (Ford Escort RS), Rui Madeira (Ford Sierra Cosworth) e Nuno Madeira (Ford Cortina Lotus), Cipriano Antunes e Alexandre Lourenço, ambos em Audi Quattro, Anibal Rolo que regressa à Arrábida com o seu espetacular Datsun 260Z e Jorge Faria com um Porsche 911 ST 2.7. Daniel Santos (Ford Escort RS) e um trio de pilotos franceses (Georges Guebey, Laurent Schultz e Michel Giraldo), preenchem o plantel.

Ni Amorim, campeão de Portugal de Velocidade e piloto com extenso palmarés internacional, atual presidente da FPAK, estará presente no “Arrábida Revival Tour” para fazer duas subidas no sábado ao volante do Opel Kadett GT/E que Pedro Queiroz Pereira, mais conhecido como Pêquêpê, conduziu. Já no domingo, será a vez de Jorge Mira Amaral se sentar no Opel Kadett GT/E e cumprir um par de subidas.

&nbsp

Scroll To Top
Posting....