Terça-feira , Agosto 9 2022
ÚLTIMAS
Home / TODO-O-TERRENO / Breves Baja Loulé
Breves Baja Loulé

Breves Baja Loulé

Luís Cidade conquista pódio na Baja Loulé

Piloto do Team Can-Am Off Road Portugal foi 3º classificado numa prova extremamente dura

Luís Cidade, aos comandos de um Can-Am e navegado por Pedro Mendonça, conquistou este fim-de-semana um lugar no pódio da Baja de Loulé A quinta jornada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, que se disputou de 27 e 29 de maio no Algarve, revelou-se bastante dura para pilotos e máquinas. No entanto, o piloto da Can-Am Off Road Portugal conseguiu superar com sucesso todas as adversidades e alcançou um excelente resultado.

A dupla do Team Can-Am Off Road Portugal começou a prova com um quinto lugar no prólogo, disputado na manhã de sábado nas imediações do Estádio do Algarve. No setor seletivo que se seguiu desde cedo imprimiu um andamento fortíssimo e chegou a ser referenciado como o mais rápido em determinada fase da prova. Terminou o primeiro dia desta corrida organizada pelo Clube Automóvel do Algarve no terceiro lugar uma posição que manteve até ao final da competição.

“No geral esta Baja de Loulé correu bem dentro do possível. Não foi uma prova extraordinária, porque ainda tivemos uns pequenos problemas no carro, mas foi bastante positivo chegar ao fim no terceiro lugar. A prova foi muito dura, mas estamos satisfeitos com o resultado alcançado. Não foi uma prova limpa, no entanto, valeu pelo resultado”, salientou Luís Cidade no final da corrida.

Gonçalo Guerreiro em segundo na Baja Loulé

Piloto da JB Racing liderou a corrida até 20 km do final

Gonçalo Guerreiro, aos comandos de um Can-Am, foi o segundo classificado da 32ª Baja de Loulé, uma corrida que o piloto dominou até muito perto da meta, quando um problema num tubo de travão no seu Can-Am o impediu de somar mais uma vitória. O piloto da JB Racing mantém-se, todavia na luta pelo título de campeão nacional, o grande objetivo desportivo para esta temporada.

A prova organizada pelo Clube Automóvel do Algarve entre os dias 27 e 29 de maio, quinta jornada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, começou bem para Gonçalo Guerreiro ao ser segundo no prólogo, vencendo depois o setor seletivo com 35,4s de vantagem para o segundo classificado. No domingo, o piloto da JB Racing estava a fazer uma excelente corrida, mas a sorte não esteve consigo.

“A Baja de Loulé não terminou da melhor maneira. Tinha a prova completamente controlada, não tirando mérito a nenhum piloto. Mas, os problemas podem acontecer a qualquer momento e a mais ou menos 20 quilómetros do fim um tubo rompeu e fiquei completamente sem travões. Não consegui fazer mais nada a não ser levar o carro até ao fim e perder o primeiro lugar. É frustrante estar tão perto e de repente ficar tão longe. Voltaremos a Reguengos fortes e eu não desisto. Estamos a 11 pontos e não me vou colocar na posição de derrotado. Só dependo de mim para conquistar o título e vou continuar a lutar por isso”, revelou Gonçalo Guerreiro que mais uma vez triunfou entre os juniores.

Gonçalo Amaral 2º júnior e 5º TT2 na Baja de Loulé

Salvador Amaral em 6º lugar da Classe TT1

Gonçalo Amaral, piloto Wingmotor Honda, conquistou o 2º lugar entre os juniores e uma posição no top 5 da Classe TT2 na Baja de Loulé, a quinta jornada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno 2022.

Depois de um prólogo menos bem conseguido e apesar do pó que se antevia como uma das grandes dificuldades na prova algarvia, Gonçalo Amaral conseguiu ultrapassar alguns pilotos e partir para o dia de domingo mais bem posicionado.

“Fiz um mau prólogo. Devido a isso vim sempre no pó em SS1 o que afetou a minha prestação. Entretanto lá consegui ultrapassar dois ou três pilotos e no domingo já correu melhor. Foi uma corrida muito positiva”, salienta Gonçalo Amaral que na prova algravia conseguiu um lugar no top 10 absoluto.

A prestação de Salvador Amaral na Baja de Loulé ficou marcada por algumas vicissitudes que se registaram desde o início da corrida. “Tive um problema no travão da frente da moto enquanto disputava o prólogo, o que me fez arrancar muito detrás para o primeiro setor seletivo. Foi sofrer do início ao fim, sempre com pó, sem ver nada, o que não me permitiu fazer um bom lugar. No domingo arranquei novamente detrás, vim a sofrer de uma das mãos. A corrida também já estava decidida e eu preferi vir calmo e seguro até ao final. Procuramos sempre fazer um bom resultado, mas tudo isto faz parte das corridas.”, esclarece o piloto que terminou a corrida com um 6º lugar na Classe TT1 e na 13ª posição absoluta.

António Maio infeliz na Baja Loulé 2022

Problema elétrico retirou mais uma vitória ao piloto da Yamaha

António Maio, que vinha com uma sucessão de quatro vitórias consecutivas no Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, viu um problema mecânico retirar-lhe a oportunidade de se sagrar antecipadamente Campeão Nacional de Todo-o-Terreno de 2022.

Nesta que foi a quinta jornada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, que percorreu pistas serranas algarvias dos municípios de Loulé, Tavira e Alcoutim, o piloto da Yamaha começou por vencer o prólogo deixando o segundo classificado a uma distância de 6,5s e liderou a corrida até cerca do km120 quando foi forçado a parar para resolver um problema elétrico que o atirou para a 29ª posição da classificação geral das motas.

No segundo dia, o major da GNR fez uma corrida brilhante que lhe permitiu ser o quarto mais rápido na derradeira etapa. No entanto, o tempo perdido na 1ª etapa não lhe permitiu ir além do 15º lugar.

“A Baja de Loulé era uma prova que eu tinha como objetivo vencer porque com a vitória poderia sair já desta corrida com o título de Campeão. É uma prova que gosto bastante e o percurso estava espetacular. Mas, tive um problema elétrico na minha moto e tive que parar a meio do troço para resolver a situação. Perdi muito tempo e as expectativas ficaram logo ali defraudas e o objetivo de vencer caiu por terra. No domingo, como ia partir de trás, sabia que ia ser uma etapa difícil por causa do pó, mas consegui fazer alguns pontos importantes que podem ser essenciais para as contas do Campeonato. Estou motivado porque as contas ainda estão a meu favor e espero resolver o Campeonato já na próxima corrida”, afirmou António Maio.

Micael Simão triunfa na Baja de Loulé

Primeira vitória absoluta do piloto GasGas que está a um ponto de se sagrar campeão TT3

Micael Simão foi o grande vencedor da Baja Loulé, conquistando assim a sua primeira vitória absoluta numa prova do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno. A juntar a este triunfo, Micael Simão acrescentou mais uma vitória na Classe TT3 e está agora a um escasso ponto de se sagrar campeão nacional. Micael Simão assumiu a liderança da corrida a meio de SS1 quando lutava pela primeira posição com o campeão António Maio. Na segunda etapa voltou a ser o mais rápido terminando a corrida com uma vantagem de 1m24s para o segundo classificado.

“Foi uma prova um pouco sofrida. Aqui em casa teve um sabor especial. No sábado correu melhor depois de conseguir apanhar os dois pilotos que saíram à minha frente. No domingo arranquei em primeiro e fui a lebre. Ao km 20 o escape da mota saiu do sítio, o que dificultou a tarefa, essencialmente a nível psicológico. Pensei que tinha a corrida perdida. A mota ficou com pouca resposta, mas parece que vim com a estrelinha para esta corrida. Apesar de ter sofrido, tanto psicologicamente como e fisicamente, as estrelas estavam alinhadas para conseguir conquistar a vitória em Loulé. A mota, excluindo esse problema, portou-se lindamente. Ficou um pouco mais difícil de conduzir, mas o que interessa é que conseguimos vir até ao fim. Depois da assistência, onde sabia que ia ser difícil arranjar o escape por estar bastante caído, conseguimos recuperar o tempo que perdemos até aí. Era o tudo ou nada e conseguimos. Tive felizmente muita gente a apoiar-me e isso deu-me um alento extra. Esta vitória nas condições em que foi conquistada teve um sabor muito especial. Tenho de agradecer a todos os que se deslocaram de bastante longe para me ajudar: à minha equipa, ao meu mecânico, à minha namorada, à família, aos amigos, ao pessoal de Martinlongo, para o nosso Nelsinho, que partiu cedo demais, para quem me apoia e patrocina. Esta vitória é para todos vocês. Obrigada a todos. Sem vocês não teríamos conseguido. Não podia estar mais satisfeito”.

Um furo impediu nova vitória”

Decididos a manter a invencibilidade na categoria T8, a dupla Nuno Tordo / Nelson Ramos teve que contentar-se com um honroso segundo lugar, mas consolidou a sua liderança no campeonato, estando ainda mais perto do título.

Sabia-se que a Baja de Loulé, quarta prova do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, era a mais dura do calendário e a equipa estava preparada para lutar pela vitória, mas um furo e algumas dificuldades nas ultrapassagens, levaram os comandantes do Campeonato T8, a cortar a meta no segundo lugar:

“Antes de mais, quero saudar a entrada para a equipa do Nelson Ramos, que é o quarto navegador desta época e que foi uma pedra muito importante neste sucesso, que vivemos este fim-de-semana em terras algarvias.” – começa por nos dizer o piloto, que continua; “Conhecemo-nos de há muitos anos, de outras lutas interessantes, mas sempre leais e dentro do carro de competição, só no prólogo, o relacionamento competitivo começou e acho que foi uma boa experiência para ambos”.

Começando ao ataque logo no prólogo, uma ligeira saída de pista e a manobra posterior fez com que a equipa não vencesse o primeiro teste, mas a confiança estava em alta e logo no primeiro sector, o maior andamento e consistência levaram a Navara da O.R.C. para a frente:

“Um erro ligeiro no prólogo, colocou-nos atrás do nosso adversário mais directo, mas cedo começámos a ganhar vantagem no primeiro sector, que e acabámos, com mais de um minuto de vantagem sobre o segundo, sem arriscar, para não furar e sempre a poupar a mecânica. O sector seria interrompido entretanto, o que foi pena, pois por certo que, no final, a nossa vantagem seria ainda maior.

No Domingo, a repetição do mesmo percurso, trouxe dificuldades acrescidas. Nas ultrapassagens temos que parar para deixar passar pilotos mais rápidos, azarados no primeiro dia, mas partimos para a pista em nono da geral, ou seja dentro do lote das equipas, que partiam separadas por dois minutos. Por duas vezes perdemos muito tempo – cerca de 40 segundos de cada vez… – por causa das ultrapassagens e depois foi um furo que nos retirou a possibilidade de conseguir mais uma vitória. As corridas são assim, mas saímos de Loulé ainda mais na frente do CPTT – T8, agora a três provas do final do mesmo.” – concluiu, Nuno Tordo.

A próxima prova será a Baja Reguengos – Capital dos Vinhos de Portugal, nos dias 22 a 25 de Setembro. 555 é o número que devem continuar a seguir. Nuno Tordo / Nelson Ramos – Nissan Navara T8.

&nbsp

Scroll To Top