Quinta-feira , Dezembro 3 2020
ÚLTIMAS
Home / MONTANHA / Campeonato de Portugal de Montanha vai arrancar em força este fim-de-semana!
Campeonato de Portugal de Montanha vai arrancar em força este fim-de-semana!

Campeonato de Portugal de Montanha vai arrancar em força este fim-de-semana!

São mais de meia centena os inscritos para o arranque do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group 2020. Quantidade acrescida e qualidade maior atestam o crescimento contínuo de uma modalidade cada vez mais sólida.

O Campeonato de Portugal de Montanha JC Group 2020 está aí. No próximo fim-de-semana, são as famosas curvas da Porca de Murça que vão ter honras de abertura da nova época de competição. Será pela batuta do Clube Aventura do Minho e por terras transmontanas que vamos tirar o pulso a um campeonato que, em 2020, se apresenta com algumas alterações regulamentares importantes e com mudanças significativas de calendário.

Depois do arranque em Murça, seguirá, ainda nos idos de março, para sul, para voltarmos a Setúbal, com a Rampa PêQuêPê Arrábida, que será seguida da Rampa da Penha Paisagem Protegida, no início de abril. A primeira é organizada pelo Clube de Motorismo de Setúbal e a segunda tem a assinatura do Demoporto.

No começo de maio dá-se uma das grandes novidades. A rampa comum do CPM e do Europeu de Montanha muda-se de armas e bagagens para Boticas, com novo evento a cargo do Demoporto, já que, mercê de um acordo entre os clubes, o promotor, a FPAK e a FIA, Braga prescindiu, por esta época, do Europeu, recebendo o FIA Hill Climb Masters, em outubro.

Ainda em maio, será tempo, no último fim-de-semana, de tocarmos no teto de Portugal Continental, com a realização da Rampa da Serra da Estrela, na Covilhã, organizada pelo CAMI.

O CPM JC Group volta a ter jornada dupla em Julho. Primeiro, será tempo de subirmos a Rampa de Santa Marta, a cargo do Clube Automóvel da Régua e, quinze dias mais tarde, descemos ao centro, para encarar a mítica montanha do Caramulo. Aqui será o Targa Clube o organizador.

As férias de verão serão um pouco maiores, pois a última prova do CPM JC Group decorrerá na reta final de setembro, com nova jornada em Boticas, como sempre sob a égide do Demoporto. Em termos regulamentares, o CPM JC Group tem algumas alterações relevantes. Quanto a títulos nacionais, estarão em jogo os títulos Absoluto, Protótipos, GT, Turismos, Clássicos e ainda de Legends.

A aproximação aos regulamentos da velocidade é ainda mais alargada. As antigas Divisões 5 e 6, onde se enquadravam os concorrentes do Campeonato de Portugal de Clássicos de Montanha, são agora substituídas em Grupos, distribuídos pelos H65, H71, H75, H81, Gr. 1 e 3 Nacional e GR5. No campeonato reservado aos Legends existirão os Grupos 85, 90, 99, especial, Livre, Feup 2 e Feup 3. Uma referência ainda à Categoria Protótipos. Esta é agora dividida em duas Divisões, A e B, numa busca pela maior equidade desportiva.

Plantel com muitas novidades

O entusiasmo e a expectativa dos amantes da Montanha atingem níveis altos. O defeso trouxe notícias sobre novos projetos que veem enriquecer um parque automóvel, já de si forte. A lista de inscritos da Rampa Porca de Murça supera as cinquenta unidades.
Na categoria de Protótipos, são cinco os bólides que se apresentam “a combate”.
Entre estes, duas novidades: Helder Silva, muito motivado pela vitória alcançada em 2019, em Murça, bem como pelo pódio final global, aposta num BTC BR53 para tentar chegar ao título.

Já Nuno Guimarães “despediu” o BRC e vai alinhar num mais competitivo Silver Car S2.
A categoria apresenta um acréscimo de pilotos pois, pelo menos mais três já confirmaram ir fazer a época por inteiro. São eles José Correia que, aos comandos do Osella, vai aproveitar a experiência adquirida na época transata para tentar chegar ao título e Joaquim Rino e António Rodrigues, ambos pilotando BRC EVO 05. Estes, pela rapidez que demonstram, podem perfeitamente se imiscuir na luta pelos pódios.
Ausente poderá estar o campeão em título. João Fonseca ainda não se inscreveu no campeonato e são muitas as dúvidas sobre a sua participação.

O CPM JC Group vai também ser palco de uma novidade mundial. Ricardo Gomes vai estrear um Tesla P100D Electric GT, o primeiro carro de competição elétrico da marca norte-americana. Com uma potência de 778cv, transmissão integral automática e uma impressionante capacidade de aceleração que o leva dos 0 aos 100 Km/h em apenas 2,1 segundos, o bólide do bracarense promete ser um dos grandes motivos de interesse do campeonato.

Outro dos destaques prende-se com o incremente de competitividade nos GT.
Vítor Pascoal, bicampeão nacional de ralis da categoria RGT, traz o seu Porsche 991 GT3 para a Montanha e vem focado em alcançar o título. Consigo, vem Pedro Silva, seu colega de equipa, que vai utilizar um Porsche 997 GT3. A recebê-los, para os confrontar, estará Pedro Marques que, no fecho da época passada, estreou o sue novo Porsche 997 GT3. Esta é uma luta que muito promete!

Nos Turismos, a grande novidade prende-se com o dobrar dos “monstros nipónicos” da Bracadox. A Hugo Araújo, junta-se Pedro Filipe Marques, na condução dos Subaru Impreza preparados em Braga. Vão tentar contrariar o favoritismo do campeão em título. Luís Nunes confirmou a sua presença, aos comandos do seu Ford Fiesta ST R5+ e, a atestar pela sua performance de 2019, o “Foguete de Valpaços” é o principal candidato ao título. Nesta luta, estará certamente Joaquim Teixeira (Cupra TCR), bem como Parcídio Summavielle (Skoda Fabia R5) e José Pedro Gomes (Opel Astra). Gabriela Correia, que chegou a considerar dar “o salto” para os protótipos” decidiu continuar com o Seat Leon Super Copa MK3. A “Princesa da Montanha” está cada vez mais rápida e será mais uma a lutar pelos lugares de topo. Ao campeonato principal, depois de algumas participações em rampas regionais, sobe AGORA José Carlos Pouca Sorte, que vai conduzir o seu habitual BMW M3. Nuno Pinto (Mazda MX5), João Guimarães (Peugoet 206), Sérgio Nogueira (Renault Clio) e Manuel Sousa (Cupra TCR) continuam na categoria, sendo ainda previsível a presença de Luís Delgado (KIA TCR) em algumas provas, começando já por Murça.

A taça reservada aos 1300cc está ao rubro.
Primeiro destaque vai para a participação de duas mulheres. Eva Laranjeira (Fiat Uno) e Andreia Fonseca (Fiat Punto) são as protagonistas desta novidade.
Francisco Milheiro (Peugoet 106), segundo classificado em 2019 e Leonel Brás, de regresso com o seu Citroen AX Gti), apresentam-se como favoritos, mas vão ter que medir meças com Rui gama (Peugeot 106), Tiago Santos (Citroen Ax) e João Carlos Silva (Peugeot 106). Ainda sem certezas de participação está João Diogo Santos, vencedor da TPM1300 em 2019.

O Campeonato de Portugal Legends de Montanha JC Group apresenta-se como mais um motivo de atração de pilotos parta o campeonato. Nesta sua primeira edição, “roubou” já aos Turismos o rápido Luís Silva, que aqui estará com o seu BMW M3. Também com um carro da marca bávara estará em ação José Carlos Magalhães. Os Alfa Romeu 156 são maioritários. 3 estão já inscritos em Murça, pelas mãos de Raúl Delgado, Marcos Teixeira e José Cerqueira. Outro piloto que saiu dos Turismos para vir para os Legends é Alberto Pereira. O edil de Mesão Frio aposta num Honda Integra Type R.

Já no Campeonato de Portugal de Clássicos de Montanha JC Group, Ricardo Loureiro (Ford Escort MKII) vai começar a defender o título alcançado em 2019, preparando-se para enfrentar acesa oposição, num campeonato muito aberto, com vários pilotos a poderem chegar ao almejado cetro.

Saliência para o regresso “a tempo inteiro” de Flávio Saínhas (Ford Escort MKI) e de Daniel Vilaça (BMW1602).  Novidade é ainda a presença de dois Lotus Elan, tripulados por Jorge Loures e Joaquim Soares, aumentando o naipe de marcas do plantel.   A estes juntam-se, como protagonistas” na luta pelo cetro Carlos Oliveira (Ford Sierra Cosworth) e Ricardo Loureiro (Ford Escort MKII), com Augusto Vasconcelos, Paulo Teixeira, Luís Moutinho, todos em Ford Escort, bem como Carlos Fava (1303), a terem uma palavra a dizer.

No próximo fim-de-semana, o “cardápio” a servir na Rampa Porca de Murça, será distribuído pela tarde de sábado e pelo dia de Domingo. A primeira jornada terá uma subida inaugural de “warm-up”, duas oficiais de treinos e a primeira de prova.           O domingo arrancará com nova sessão de “warm-up”, seguindo-se a última de treinos oficiais e as, já habituais, duas subidas finais de prova.

 

Scroll To Top