Quinta-feira , Agosto 22 2019
ÚLTIMAS
Home / RALI / CITROËN GARANTE A SUA SEGUNDA VITÓRIA DA TEMPORADA COM A DUPLA OGIER/INGRASSIA
CITROËN GARANTE A SUA SEGUNDA VITÓRIA DA TEMPORADA COM A DUPLA OGIER/INGRASSIA

CITROËN GARANTE A SUA SEGUNDA VITÓRIA DA TEMPORADA COM A DUPLA OGIER/INGRASSIA

 

Sébastien Ogier e Julien Ingrassia adoptaram um andamento calmo e ponderado na última Etapa do Rali do México e, com isso, alcançaram a sua segunda vitória da presente temporada, em três ralis disputados.

Com este 1º lugar, o C3 WRC mantém um recorde de presenças no pódio em todos os ralis desde o início do ano.

Fruto desta prestação, a Citroën Racing aumentou, para 8, o seu recorde de maior número de vitórias no México.

 

 

Começando o dia com uma vantagem de 27 segundos sobre os seus mais diretos adversários, Sébastien Ogier e Julien Ingrassia souberam refrear os ímpetos, apesar da pressão exercida por quem surgia atrás deles. A performance controlada assegurou-lhes, no final do dia, a vitória no Rali do México com uma margem ainda mais expressiva, após os 60 e poucos quilómetros finais de troços. Para além disso, ao garantir a vitória na Power Stage, a dupla francesa também somou os correspondentes 5 pontos de bónus, no final de um rali em que venceu 7 especiais, sendo os melhores do rali nesse capítulo. Foi um fim de semana excelente em termos de pontos conquistados, resultado que lhes permitiu ascender ao 2º lugar no Campeonato do Mundo de Pilotos, a apenas 4 pontos do atual líder.

 

Recorde-se que os sêxtuplos Campeões do Mundo de ralis alcançam a liderança deste Rali do México logo após a segunda passagem pelo troço de El Chocolate (31,57 km), a especial mais técnica do primeiro dia, terminando depois essa 1ª Etapa com 4 vitórias em troços e com uma vantagem de 14,8 segundos, isto apesar de serem apenas os terceiros na estrada. Destituídos desse 1º lugar no dia seguinte, quando a ES10 se viu neutralizada e depois de lhes ter sido atribuído um tempo teórico, no qual foi tido em conta o furo lento que aí sofreram, a dupla francesa, mesmo sem pneu sobresselente a bordo do seu C3 WRC, desferiu novo ataque e reassumiu a liderança na classificativa seguinte (Otates), após fazerem o 2º melhor tempo, a apenas 1,2 segundos do mais rápido. Viriam a fazer ainda melhor, ao serem os mais rápidos na última especial da manhã, para à tarde alcançarem a sua sexta vitória em especiais do fim de semana, apesar da desvantagem de levaram a bordo – foram a única equipa a fazê-lo – dois pneus suplentes, com o inerente peso extra. Esta performance permitiu-lhes acumular uma vantagem mais substancial, que puderam gerir até final do rali, processo em que são exímios.

 

Onze anos após a sua estreia no Campeonato do Mundo de Ralis, aqui no México, aos comandos de um Citroën C2 Super 1600, Sébastien Ogier e Julien Ingrassia alcançaram a sua 5ª vitória no rali, após idênticas prestações em 2013, 2014, 2015 e 2018. Esta é, também, a sua segunda vitória da presente temporada, depois da alcançada em Monte-Carlo, e a terceira vez, em outros tantos ralis de 2019, que o Citroën Total World Rally Team termina num dos dois lugares mais altos do pódio. Como se fosse necessária confirmação da sua competitividade.

 

Após a sua primeira vitória em 2017, o C3 WRC fez, de novo, as honras na América Central, modelo que deixou a sua marca neste evento, de reputação e características particularmente exigentes, devido às elevadas temperaturas e às altitudes extremas, num processo que permitiu à Citroën Racing aumentar para 8 o seu registo de vitórias nesta ronda do WRC.

 

Naquela que foi apenas a sua segunda participação no México, Esapekka Lappi e Janne Ferm rapidamente demonstraram o seu inegável potencial. Alcançando o 4º melhor tempo no troço de El Chocolate (31,57 km), a apenas 6,2 segundos dos seus companheiros de equipa, e, ainda na tarde de sexta-feira, um 2º melhor tempo na ES7, a apenas dois décimos do tempo de referência, viriam a terminar a Etapa de abertura na 5ª posição, a apenas 2 segundos do 4º lugar. O ritmo definido no início do dia seguinte confirmou que estavam em harmonia com o seu C3 WRC, mas uma súbita alteração na aderência do piso apanhou-os desprevenidos, deixando-os presos nos limites da estrada. O seu regresso na Etapa final, na qual foram os primeiros na estrada, deu-lhes uma oportunidade extra para acumular experiência, ao mesmo tempo que se preparavam para os futuros eventos em terra deste WRC 2019. Lappi e Ferm somaram 1 ponto extra na Power Stage, resultado que até é um pouco surpreendente, dado que todos os pilotos da frente se empenham a fundo na conquista desses pontos extra, mas que serviu como oportunidade de sublinhar, junto dos mesmos, que também os finlandeses são uma força a ter em conta para a restante temporada.

 

 

 

 

O QUE ELES DISSERAM…

Sébastien Ogier, Piloto do Citroën Total WRT

“O México é, definitivamente, um lugar especial para mim e estou especialmente satisfeito por ter garantido esta quinta vitória aqui, somando o máximo de pontos para o Campeonato. Era isso o que procurávamos e, pese embora não tenha sido um fim de semana isento de problemas, conseguimos fazê-lo bem do início até final. O potencial que vi no WRC C3 continua a comprovar-se e isso permitiu-nos ser os melhores neste fim de semana. Agora cabe-nos continuar a trabalhar a fundo, pois tudo indica que esta época vai ser mais renhida do que nunca. Gostaria de agradecer à equipa pelo fantástico trabalho realizado neste fim de semana. Agora vamos para a Córsega, à procura de um resultado semelhante.”

 

Esappeka Lappi, Piloto do Citroën Total WRT

“Estou satisfeito por ter aprendido a conduzir neste tipo de piso tão específico com o meu C3 WRC e por também ter feito progressos na compreensão da estratégia de pneus para estas especiais. Agora vamos concentrar-nos na Volta à Córsega, com a firme intenção de voltar a ficar entre os pilotos da frente.”

 

DUAS PERGUNTAS A PIERRE BUDAR, DIRETOR DA CITROËN RACING

Como comenta esta 8ª vitória da Citroën Racing no México, segunda da presente temporada?

“Estamos naturalmente satisfeitos com isso, porque é o resultado de um esforço de toda uma excelente equipa. Vencer aqui não é tarefa fácil. A combinação das elevadas altitudes e temperaturas muito quentes é o maior desafio para o homem e a máquina, em igual dose. Mas todos estivemos empenhados durante o fim de semana e esta vitória apenas premeia o nosso esforço. Este evento permanece diferente dos demais, mas também é sempre positivo ganhar a primeira prova de terra do campeonato, pois é essa a superfície que tem maior representatividade no calendário e, embora não possamos descansar sobre os louros, é a confirmação de que estamos no ponto certo em termos de ‘mix’ definido para o C3 WRC. Três pódios em igual número de corridas, realmente não poderíamos esperar um melhor início de temporada com as nossas duas novas duplas de pilotos. Claro que tudo isto não seria possível sem a magnífica performance do Sébastien e do Julien. Eles conseguem  demonstrar sempre toda a sua maestria e qualidades: velocidade, capacidade de concentração, de reação e de gestão de competências. Já o sabíamos, mas eles têm mesmo tudo.”

 

Como resume a prestação do Esapekka Lappi e do Janne Ferm?

“Eles cometeram um pequeno erro que lhes custou muito caro, mas prefiro destacar o modo como souberam lidar com as dificuldades dos troços mexicanos. Ainda não os dominam na totalidade, mas souberam elevar a fasquia gradualmente e conseguiram adotar um ritmo muito respeitável. Sentiram-se bem a bordo do C3 WRC em terra, no que é um bom presságio para o resto do campeonato.”

 

 

O PONTO ALTO DO FIM DE SEMANA

Thomas Breton, Engenheiro de Prova de Sébastien Ogier e Julien Ingrassia, destaca a 1ª Etapa do Rali, gerida na perfeição pela sua dupla de pilotos.

“Eles impressionaram-me realmente na sexta-feira. Claro que a nossa posição na estrada era melhor do que a do Tänak e do Neuville, mas houve outros pilotos que cumpriram as especiais com as estradas bem mais limpas. Também é verdade que esses tipos de condições são sempre difíceis de trabalhar e de se reproduzir nos testes. Demos-lhes um carro fácil de conduzir e eles fizeram muito bom uso do mesmo. Ambos têm a incrível capacidade de adaptar o seu ritmo às circunstâncias, forçando sempre um pouco mais, sempre que necessário, mas sabendo controlar o seu ritmo quando não é o momento certo para assumir riscos desnecessários.”

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL (provisória)

  1. Ogier / Ingrassia (Citroën C3 WRC), 3:37:08.0
  2. Tänak / Järveoja (Toyota Yaris WRC), +30.2
  3. Evans / Martin (Ford Fiesta WRC), +49.9
  4. Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC), +1:27.0
  5. Meeke / Marshall (Toyota Yaris WRC), +6:06.2

  1. Lappi / Ferm (Citroën C3 WRC) +1h03’40’’5

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

  1. Ott Tänak – 65 pontos
  2. Sébastien Ogier – 61 pontos
  3. Thierry Neuville – 55 pontos
  4. Kris Meeke – 35 pontos
  5. Elfyn Evans – 28 pontos
  6. Esapekka Lappi – 20 pontos
  7. Sébastien Loeb – 18 pontos
  8. Jari-Matti Latvala – 14 pontos
  9. Andreas Mikkelsen – 12 pontos

 

Scroll To Top