Quarta-feira , Novembro 25 2020
ÚLTIMAS
Home / RALI / Conselhos de Mikkelsen mexeram com a Citroen…
Conselhos de Mikkelsen mexeram com a Citroen…

Conselhos de Mikkelsen mexeram com a Citroen…

 

Poucas horas após o final do rali da Sardenha, a Citroen Racing testou o seu Citroen C3 WRC por forma a preparar convenientemente o Rali da Polónia. Após esta sessão que durou um total de quatro dias (dois Mikkelsen, um para Breen e Lefebvre), a equipa francesa apresentou a FIA um pedido para homologação de uma nova homologação para a rampa do diferencial traseiro e um joker para a distribuição de binário entre ambos os eixos, ou seja dois novos “jokers” no seu Citroen C3 WRC (já testados) e que irão ser utilizados no próximo Rali da Polónia apenas por Andreas Mikkelsen.

Segundo Yves Matton o Diretor Desportivo da marca, depois de uma primeira sessão de testes com o ex-piloto da Volkswagen, a equipa decidiu mudar o seu trabalho: “para reafirmar o seu compromisso no Mundial e retornar rapidamente para o caminho do pódio. Nós tivemos que ter a perspectiva necessária para descobrir que alguns riscos assumidos durante o desenvolvimento do C3 WRC, não foram bem sucedidos. O nosso carro é inegavelmente poderoso, mas o seu grau de desenvolvimento provou ser muito curto. Então começamos com grandes mudanças na nossa organização, os nossos métodos e os nossos princípios. O primeiro foi a chegada de Andreas Mikkelsen, que nos incentivou a explorar novas ideias. Depois de sua primeira verdadeira sessão de testes ao volante do C3 WRC, introduzimos mudanças para complementar o trabalho feito nos últimos meses. ”

Um carro mais adequado para norueguês ?
Com apenas três dias de testes e ter participado no Rali da Sardenha sem estar 100 % entrosado com o carro francês, Andreas Mikkelsen já impôs suas ideias dentro da equipa Citroën, ao contrário de Kris Meeke cujo estatuto de piloto número 1 da equipa parece agora passar um bocadinho ao lado das “renovadas” ambições do construtor francês. Segundo Mikkelsen: “Fizemos uma boa sessão de testes na semana passada. Depois de dois dias ao volante em estradas com uma configuração muito próximas do próximo rali, eu defini uma configuração que se adapta o meu estilo. Obviamente, há sempre trabalho a fazer, mas acho que Craig e Stéphane também ficaram satisfeitos.”

Ao contrário de Sardenha, o norueguês beneficiará desta vez de um C3 WRC mais adequado ao seu estilo de condução e deve logicamente expressar-se melhor numa prova que ele gosta particularmente. “A Polónia é o meu rali favorito. Terminei em segundo lugar em 2014 e 2015, antes de impor-me em 2016. Sinto-me confiante nas estradas que requerem uma grande quantidade de compromisso por parte do condutor. Depois de uma prova de aprendizagem na Sardenha, espero lutar no grupo da frente. Muitos parâmetros – tais como o clima, poeira ou ordem de partida – pode influenciar o curso da corrida, mas espero conquistar um lugar no pódio se tudo correr bem.”

Embora esta cooperação ainda não emitiu um acordo formal, Mikkelsen já conquistou os seus novos colegas com uma abordagem diferente e poderia abalar a hierarquia estabelecida por contratos que, a julgar pelas palavras de Yves Matton, “não fornecem nenhuma imunidade. ”

E os outros pilotos?
A equipa francesa já anunciou que Andreas Mikkelsen será o único piloto a beneficiar dos novos desenvolvimentos na Polónia , por falta de tempo suficiente para todos os carros estarem equipados com o novo “joquer”. Por outro lado Kris Meeke – que relembre-se foi temporariamente “afastado” da equipa, foi confirmado esta segunda-feira para o Rally da Finlândia ao lado de Craig Breen e Khalid Al Qassimi…

 

Carlos da Silva

 

Scroll To Top