Domingo , Dezembro 16 2018
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Corrida emocionante homenageou Carlos Gaspar
Corrida emocionante homenageou Carlos Gaspar

Corrida emocionante homenageou Carlos Gaspar

 

 

Duas dezenas de equipas, constituídas por quase 40 pilotos apaixonados por automóveis, reuniram-se numa corrida de 50 minutos, ao melhor estilo das competições das décadas de 60 e 70 do século passado, para prestar tributo um dos grandes nomes do automobilismo português, Carlos Gaspar. Num dia bastante preenchido, o momento alto foi a entrega de uma imagem autografada por todos os participantes ao homenageado em plena recta da meta do Circuito Vasco Sameiro preenchida pelos carros que iam iniciar a prova.

 

O dia foi repleto de simbologia e significado. A manhã foi dominada pela sessão de treinos cronometrados. A pista molhada beneficiou os modelos mais ágeis e menos potente. Luís Alegria, em Datsun 1200 Sedan, aproveitou as condições para estabelecer o melhor tempo e garantir a pole-position para a corrida.

 

Ao início da tarde, a recta da meta engalanou-se para a cerimónia de homenagem a Carlos Gaspar. As equipas colocaram os automóveis estacionados em espinha junto ao muro das boxes, enquanto os pilotos se perfilaram no lado oposto para, logo após a entrega do quadro, aplaudirem esta figura incontornável do desporto automóvel em Portugal.

 

Com toda a gente a postos, Carlos Gaspar deu o mote para a partida da corrida tal como se fazia nas corridas de antigamente. Os pilotos correram para as suas máquinas e deram uma volta ao traçado antes da partida oficial que aconteceu mal voltaram à grelha.

 

Ao longo de 50 minutos, os quase 40 pilotos envolvidos, discutiram a corrida do Historic Endurance. No final, a dupla Sousa/Sousa, em BMW 635 CSI, foi a primeira a ver a bandeirada e triunfou na classe H-Convidados.

 

Paulo Sousa, ao volante do irreverente Saab Sonet II, não se destacou apenas pela imagem do seu automóvel. Em pista foi mesmo o melhor da classe 76, num pódio completado pelo Porsche 911 3.0 RS de Brízido/Albuquerque, que ficou em segundo, e pelo BMW 2002 TI de Simplício e Marco Pinto.

 

A corrida foi totalmente disputada com piso seco, algo muito raro durante o fim-de-semana do Braga Festival of Speed. Mas se isso daria vantagem aos clássicos mais potentes, não impediu Luís Alegria de triunfar na classes H-71 e 1300cc com o Datsun 1200 Sedan e terminar em quarto da classificação final. Francisco Sanchez ocupou o segundo lugar em ambas as categorias, enquanto Aníbal Rolo e Jorge Corrêa, em Datsun 1200 Coupé, completaram o pódio da classe 1300cc. Na classe dos mais históricos e com mais classe, o Porsche 911 preparado pela Garagem Aurora e pilotado por António Torres da Silva e Eduardo Santos obteve o triunfo.

 

Para o organizador do Carlos Gaspar Trophy, Diogo Ferrão, a iniciativa não podia ter corrido da melhor forma. “Foi muito comovente o momento que vivemos antes do Carlos Gaspar Trophy. Para além de todos os pilotos à partida, muitos mais vieram expressamente a Braga dar um abraço a este grande homem. Carlos Gaspar é uma figura incontornável desta modalidade pela qual todos temos uma imensa paixão. Esta foi uma forma simples, mas genuína, de prestar homenagem a um piloto tão importante do automobilismo português e isso sentiu-se com a vontade de tanta gente em querer associar-se ao acontecimento”, afirmou.

 

Scroll To Top