Sábado , Dezembro 15 2018
ÚLTIMAS
Home / RALI / Crónica Mário Castro- Rallye Castelo Branco
Crónica Mário Castro- Rallye Castelo Branco

Crónica Mário Castro- Rallye Castelo Branco

FINALMENTE O SONHO CONCRETIZADO…

Após tantos anos à espera deste momento chegou finalmente o dia de me sentar ao volante num rali.

O rali Castelo Branco será sempre recordado como o meu primeiro rali, assim como os meus patrocinadores, LIBER JEANS, Stu Dio D, Auto Docim, Q&F Lda., Pirelli, JMC automóveis, JMS seguros, Manaiacar e Yuma – transportes aos quais eu estou muito grato por me ajudarem a concretizar este sonho de criança.

Para além destes tenho de me sentir também muito grato a todos os meus amigos que me apoiaram (e eles sabem quem são) à família, ao meu mecânico Carlos Pereira, meu navegador ( Ricardo Cunha ) que se portou melhor que o piloto e muito em especial à minha esposa ( Marisa Cunha ) pois ás vezes são também esses apoios (ainda que morais) que nos dão força para atingir a nossas metas.

Mas falando do rali em si, foi uma prova, ainda que curta, com algumas estórias para recordar. Como já tinha dito, não passei agora para o volante com ideias de “virar piloto” pois estou muito feliz como navegador e por isso este meu projeto passa apenas e só por me divertir mas de uma forma séria e o mais profissional possível pois é assim que todos quantos me apoiaram merecem que seja essa a minha postura em cada rali que venha a participar. Ainda assim estava confiante para o rali sabendo de antemão todas as limitações que tinha, não apenas por ter um carro (ainda que bom) de uma classe menos competitiva mas essencialmente porque tudo seria novo para mim.

Então fomos para o rali com vontade de andar o mais rápido possível e logo na super especial de abertura do rali as coisas até nem correram mal apesar de, não fosse a “tromba” de água que caiu na altura que estava a entrar para especial, poderia ter feito ainda melhor.

Para o dia seguinte tínhamos mais 3 difíceis classificativas pela frente e para complicar ainda mais a minha estreia o “S. Pedro” decidiu pregar-me uma partida e ora molhava a estrada, ora a secava!!!… Optando pela escolha de pneus, a meu ver mais segura, levei o pneus indicados para chuva forte, escolha essa que não se viria a revelar a mais correta. Já preparado para a primeira especial do dia, fomos obrigados a realizar a mesma em troço de ligação e então pensei… aí está mais uma bela “partida” para a minha estreia!!!..

O meu primeiro verdadeiro troço de rali ao volante será de “apenas” 30km e debaixo de condições que nem os pilotos mais experientes gostam. Assim lá entramos para a especial e senti algumas dificuldades em entrar num ritmo razoável pois com a chuva que estava a cair e com a muita sujidade que estava na estrada não tinha confiança no comportamento do carro, mas lá fomos tentando aumentar o ritmo até que sensivelmente a meio da especial apanhamos o piloto que partia à nossa frente e voltei a desconcentra-me um pouco até à altura em que acabei por o passar (como entendi agora os meus pilotos quando acontece estes casos e eu tanto lhes tento impor a calma). Mas lá voltamos ao nosso ritmo até final conseguindo um tempo que a meu ver poderia ser bem melhor mas que para uma estreia e perante as condições de aderência tão precárias até nem foi muito mau.

Depois restou-nos a ultima especial, onde já me senti bem mais á vontade mas ainda assim com bastantes dificuldades em segurar o carro pois com os pneus que tinha eles não funcionavam no seco e mesmo nas partes húmidas, não havia água suficiente para a tipologia do pneu. Com tudo isto terminamos o rali em 9º da geral e 2º do grupo X5 o que não é nada mau pois consegui trazer um troféu para casa na minha primeira experiencia, coisa que nem todos se podem gabar, eheheh….

Um muito obrigado a todos quantos me apoiaram não só pessoalmente como através aqui do facebook e espero vir a reunir condições para repetir a experiencia.

 

Photo: Facebook Mário Castro

 

Scroll To Top