Sábado , Fevereiro 16 2019
ÚLTIMAS
Home / TODO-O-TERRENO / Elisabete Jacinto motivada para enfrentar deserto da Mauritânia
Elisabete Jacinto motivada para enfrentar deserto da Mauritânia

Elisabete Jacinto motivada para enfrentar deserto da Mauritânia

Cumpriu-se hoje o dia de descanso do Africa Eco Race 2015. Em Dakhla, uma bela cidade costeira do sul de Marrocos, a equipa OLEOBAN® composta por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho usufruiu de um dia onde teve a possibilidade de rever a mecânica do MAN TGS de competição e ajustar as estratégias para as próximas jornadas.
Elisabete Jacinto tem estado em destaque nesta competição onde logo ao segundo dia alcançou a sua primeira vitória em etapas. Mesmo perante a forte concorrência que enfrenta este ano – na linha de partida estão dois KAMAZ, o SCANIA de Miklos Kovacs e o TATRA de Tomas Tomecek, o já três vezes vencedor desta competição – a portuguesa mostrou toda a sua competitividade ao imprimir um andamento sólido e extremamente eficaz desde o primeiro momento.
Todavia, um grave problema mecânico a afetou o MAN TGS da formação portuguesa, durante a quarta etapa deste Africa Race. Essa situação penalizou fortemente a equipa OLEOBAN® que, ainda assim, foi capaz de encontrar soluções para todas as dificuldades e na quinta etapa os portugueses conseguiram terminar a especial num brilhante segundo lugar entre os T4 a apenas três minutos do vencedor do dia da categoria camião, o KAMAZ de Sergey Kuprianov.
Depois do merecido dia de descanso Elisabete Jacinto entra amanhã nas pistas da Mauritânia onde conta ter dificuldades acrescidas: “quando entramos na Mauritânia sabemos que a competição vai começar a ser mais dura. De agora em diante o piso será muito diferente e as pistas não vão ser fáceis de ultrapassar. O nosso camião é muito pesado e fica facilmente preso nas areias moles do deserto mauritano. Por este motivo, as perspectivas de vencer etapas são menores. No entanto, vamos continuar a dar a nossa melhor etapa após etapa para obtermos bons resultados”, revelou a piloto portuguesa.
Apesar das dificuldades registadas, Elisabete Jacinto faz um balanço positivo da primeira parte desta corrida: “as especiais que cumprimos em Marrocos correram bem e se não fosse o problema mecânico que tivemos durante a quarta etapa estaríamos, de certeza, a discutir os lugares da frente da corrida. Vencemos uma especial e mostrámos que conseguimos ser muito competitivos”, acrescentou a piloto da formação OLEOBAN®.
Em termos desportivos, esta sétima edição do Africa Eco Race é liderado por Jaques Loomans, na classificação conjunta auto camião, enquanto o russo Anton Shibalov, da equipa KAMAZ, segue na frente da categoria T4. Elisabete Jacinto figura, em virtude da forte penalização sofrida na quarta etapa, na 24ª posição da classificação geral. Até ao momento, estão já cumpridas cinco das 12 etapas que compõe este rali e foram percorridos 2759 quilómetros em solo marroquino.
Amanhã a caravana sai de Marrocos e vai realizar uma longa ligação de 437 quilómetros até à Mauritânia. A especial desta sexta etapa, que liga Dakhla a Chami, cumpre-se já em solo mauritano. Na passagem da fronteira as equipas percorrem os famosos 7 km da chamada “Terra de Ninguém”. O sector selectivo será curto, conta apenas com 174 quilómetros cronometrados.

 

Scroll To Top