Quarta-feira , Setembro 30 2020
ÚLTIMAS
Home / TODO-O-TERRENO / Elisabete Jacinto sem amortecedor de direção alcança Top 10
Elisabete Jacinto sem amortecedor de direção alcança Top 10

Elisabete Jacinto sem amortecedor de direção alcança Top 10

A piloto portuguesa Elisabete Jacinto terminou hoje a primeira etapa do Rallye Oilibya du Maroc na 10ª posição da tabela conjunta da classe Open. No que diz respeito à categoria camião a formação lusa classificou-se no sétimo posto logo atrás do IVECO de Gerard de Rooy. O vencedor do Dakar de 2012 terminou os 330 quilómetros cronometrados desta etapa inicial com uma escassa vantagem de oito minutos para Elisabete Jacinto. A portuguesa concluiu esta especial em 4h22m01s.
A equipa OLEOBAN® arrancou bem e depressa alcançou um bom ritmo. No entanto, ao quilómetro 30 partiu-se o suporte do amortecedor de direção do MAN TGS de Elisabete Jacinto situação que dificultou consideravelmente a pilotagem e condicionou o seu andamento.
Todavia a equipa está satisfeita com o seu desempenho e Elisabete Jacinto acredita que as condições para realizar uma boa corrida se mantêm: “a primeira etapa é sempre complicada. Além de ser o dia de adaptação, há ainda o facto de os camiões serem os últimos a partir. Esta situação dificulta-nos muito a vida porque apanhamos muitos concorrentes mais lentos que nós e as ultrapassagens nem sempre são fáceis e hoje algumas delas chegaram mesmo a ser perigosas devido ao pó. Como se não bastasse o suporte do nosso amortecedor de direção partiu logo no início da corrida e tivemos que continuar toda a etapa sem ele e foi um trabalho muito difícil de gerir. Mas, mesmo com todos estes contratempos conseguimos ser o sétimo camião o que é bastante satisfatório tendo em conta a quantidades de excelentes máquinas que estão aqui a competir”, afirmou a portuguesa.
Amanhã cumpre-se a segunda etapa do 16º Rallye Oilibya du Maroc, na qual a areia e as dunas vão estar presentes em grande parte do percurso. No início do dia os participantes vão ter de cumprir trilhos rápidos e sinuosos. A navegação não será fácil e, acima de tudo, será necessário ter atenção às muitas pistas paralelas, bem como às armadilhas colocadas no road-book. A especial, composta por 224 quilómetros cumpridos ao cronómetro, terá a travessia do Oued Draa como o grande desafio do dia.

 

Scroll To Top